Este conteúdo é um oferecimento UNIVEM, instituição referência em educação e que apoia as boas notícias de Marília.


O dia 21 de setembro é dedicado às árvores e a tudo de bom que elas nos proporcionam. Seja uma amigável sombra para proteção contra o sol do meio-dia, seja para encantar a paisagem urbana dominada por telhados e paredes, uma árvore concentra não só importância orgânica, mas também histórica. 🌳🌳

Árvores em Marília

Em Marília, através de decretos municipais, várias espécies estão imunes ao corte e trazem em si parte da história e da formação da cidade. Um exemplo é o ipê plantado no jardim do Paço Municipal no dia 22 de junho de 1958 por sua majestade Takahito, o príncipe Mikasa, irmão do imperador japonês Hirohito.

Neste mesmo jardim, outras árvores foram plantadas por delegações vindas do Japão, como dos líderes da cidade irmã de Higashi-Hiroshima e da princesa Mako de Akishino, no ano de 2018.

A Solutudo Marília selecionou três árvores que adornam tanto a paisagem de Marília, como a trajetória da cidade e de boa parte de seus moradores.

Jacarandá-mimoso, da Coronel José Braz

O jacarandá-mimoso que fica na praça da Bandeira pode ser visto por quem passa pela rua Coronel José Braz, no centro de Marília. Há anos está imune ao corte por ser uma espécie pioneira e possuir grande valor ornamental.

Suas flores têm coloração azulado-lilás. Encantou muitos artistas que se apresentavam no teatro ‘Waldir Silveira Mello’, por ficar estrategicamente na entrada para os bastidores. Atualmente seus galhos proporcionam sombra para entregados de moto que trabalham com aplicativos.

Paineira da Rua Maranhão

Tudo indica que a paineira da Rua Maranhão, na entrada para o estacionamento do Shopping Atenas, está descrita no livro ‘Marília, sua terra, sua gente’, do historiador Paulo Correia de Lara. A árvore é um ponto de referência de quanto Marília estava se urbanizando e pairava uma ‘lenda’ de que paineiras não se derrubava por que desencadeavam azar. Desde 1993 é imune ao corte pelo Decreto Municipal 6.628/1993.

Seringueira da Saturnino de Brito

É uma das mais significativas árvores da região central de Marília. Recentemente se tornou um ponto de visitação de famílias, pois abriga um morador inusitado: um miquinho-preto. A seringueira também já esteve no olho de uma polêmica, precisou ser dedetizada em decorrência de uma infestação de ratazanas. É imensa e gera sombra durante todo o dia!

Leia também:


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! Se você conhece alguma história bacana da sua cidade e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br.


Este conteúdo é um oferecimento UNIVEM, instituição referência em educação e que apoia as boas notícias de Marília.

Avalie este conteúdo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui