Durante toda a história, talvez um dos maiores sonhos que o homem já teve foi o de conseguir voar! Conquistar os céus e poder ver o mundo lá do alto, ter uma nova perspectiva do mundo em que vive foi um feito e tanto para toda a humanidade! Na vida do jundiaiense Tiago Abrantes, não há a menor sombra de dúvidas de que voar foi o seu maior feito! E, detalhe: não apenas voar, mas comandar uma aeronave e ganhar a vida assim: nas alturas! ✈

E como por trás de todo feito tem uma boa história pra ser contada, e por sua vez um belo sonho para se inspirar, vamos conhecer um pouco mais da trajetória do piloto jundiaiense, que nasceu e reside em Jundiaí, mas que na verdade, é dos céus de toda a parte!

A decolagem de um sonho

A paixão de Tiago pelos céus, e principalmente por voar, nasceu quando era criança, ainda com seu pai o levando para o Aeroporto de Guarulhos para ver todo aquele movimento danado de aviões. “Ir ao aeroporto ver os aviões, aquelas máquinas de ferro alçando os ares é maravilhoso. E quando vi aqueles aviões pelo vidro do aeroporto meus olhos brilharam, fiquei entusiasmado e desde então surgiu a paixão de voar“, relembra emocionado.

Os anos se passaram, a fase da adolescência chegou, e com ela as responsabilidades e a perda de seu pai. O que parecia ser a receita perfeita para esfriar seus sonhos de criança, na verdade serviu de combustível para ir em frente – e para o alto! “Aos 15 anos eu fui trabalhar para ajudar em casa. Trabalhava no Restaurante Lago Azul, que fica na Rodovia dos Bandeirantes e em frente ao aeroporto. Eu ficava então ali, vendo os aviões pousarem, decolarem, e aquilo aumentou ainda mais o meu desejo de um dia ser aviador”.

Haja perseverança!

“O processo para eu me tornar piloto foi um tanto quanto difícil. Eu fiquei órfão de pai com 15 anos, e desde então precisei trabalhar e a formação é cara”, afirma Tiago. Para se ter ideia, o piloto conta que com o salário que ganhava na época dava para o que iria comer durante o mês e bancava apenas uma hora de voo, e nada mais. “É caro demais, e acabou então que eu tive que me especializar em outras áreas. Fui trabalhar em uma empresa de cestas básicas, e lá a própria empresa me ajudou com a faculdade.”

Tiago foi então cursar os 5 anos de Direito, mas ainda com a imensa vontade de alçar voos mais altos. “Depois da faculdade, fiz o curso de Comissário de Bordo, que era mais barato, e fui ainda trabalhar em um jornal aqui em Jundiaí.” Lá, o então comissário fez amizade com um prestador de serviços de uma empresa de transportes, que além de transportar os funcionários do jornal, transportava também os pilotos de companhias aéreas e os pilotos que traziam os aviões para manutenção em Jundiaí. “Nisso, eu já era Comissário de Bordo e estava fazendo o curso teórico de piloto privado, e ali decidi que não iria gastar um dinheiro tão grande sem saber se iria ter algum retorno. Era o meu sonho, mas às vezes a gente também tem que ter pé no chão”, ponderava.

Abandonando então o emprego no jornal, foi ser motorista na empresa do amigo, justamente para se aproximar dos pilotos e dos envolvidos na aviação. “Com isso, ganhei as amizades deles, a confiança dos pilotos, e consegui tirar minha carteira. Fui muito ajudado por esses amigos pilotos, muitos me incentivaram, outros me ajudaram com horas de voo.” Com essa proximidade cada vez maior com os ‘donos dos céus’, Tiago logo foi trabalhar de motorista em uma empresa de Táxi Aéreo, e quando finalmente alcançou as horas de voo necessárias, lá mesmo foi promovido a copiloto de multimotor, e logo depois a copiloto de turboélice.

Um passo de cada vez, até o céu!

E parece que, após tanta espera, a recompensa veio em dobro: não bastou apenas a realização do sonho de ser piloto, Tiago tinha que também ser piloto de celebridades! Olha só: ele até já voou para a dupla Zezé Di Camargo & Luciano! “Foram aproximadamente cinco anos transportando eles, quatro como copiloto e um como comandante. Geralmente iam com eles os seguranças, os empresários, produtores, às vezes as esposas, enfim, voávamos para levá-los a shows no Brasil todo e até na América do Sul“, conta.

Após prestar os serviços para a dupla, o jundiaiense foi pilotar um Phenon 100, jato que pode chegar a até 864 km/h! “Entrei como 1º oficial, e um amigo meu me instruiu a sair como comandante de jato. Hoje, graças a Deus consegui chegar ao mais alto patamar da aviação“, vibra com a conquista. “Atualmente, transporto na maior parte do tempo empresários, que geralmente são os proprietários das aeronaves, e o pessoal que trabalha com eles.”

Paixão nas alturas

E cada um de nós, olhando a vida do Tiago dessa forma, com toda a espera e superação vividas, temos mesmo a sensação do porque o Tiago é apaixonado pelo que faz, né? Mas ó, há outros motivos também, tá? “Se você me perguntar o que é legal da carreira de aviador, eu vou te responder que é você não ter rotina. E se você me perguntar a parte chata de ser aviador, eu vou te responder da mesma forma: é não ter rotina. Porque é isso: cada pouso é um pouso, cada decolagem é uma decolagem, o desafio é a todo momento. Nenhum voo é igual a outro“, conta.

Tem mais um motivo que separamos aqui pro final porque ele é mais que especial. ? Sua esposa também vive nas alturas! “Olha, se for falar de aviação, eu fico com você dias e dias falando sem me cansar. Ainda mais pela minha esposa também ser aeronauta. Ela é Comissária de Bordo da Azul e a gente ama fazer o que faz. Nós dois amamos de verdade o que fazemos!” Legal, né? 🥰💜

Se eu pudesse resumir a minha experiência como piloto, a experiência de como é enxergar o mundo lá do alto, em apenas uma frase, ela seria assim: eu tenho o melhor escritório do mundo! Eu trabalho no escritório com a vista mais maravilhosa que existe!

É incrível ver todo o entusiasmo e profissionalismo do Tiago, seja na terra ou nos céus, né? Parabéns ao Tiago e obrigado pela história mais que inspiradora! 🤩👏✈


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você tem alguma informação bacana de Jundiaí e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: jornalismo.jundiai@solutudo.com.br

4 COMENTÁRIOS

  1. Eu amei.
    Parabéns pela matéria.
    Conseguiu explanar realmente nosso sentimento e gratidão pela nossa profissão.

  2. Parabéns ao jornalista Mateus Storti.
    Mateus conseguiu explanar com maestria nossa paixão pela aviação.
    ???????

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui