Você, que sempre nos acompanha por aqui e pelas nossas redes sociais, sabe como a Solutudo ama Itupeva e sua história, não é mesmo? Já escrevemos sobre a origem da cidade, de seu brasão cheio de significados, de sua mina de tungstênio, que um dia trouxe muitas pessoas e riquezas para essa cidade, e também personagens importantes, como o padre Moutinho.

Mas, você sabia que boa parte de tuuudo o que escrevemos aqui é compartilhada e contada pelos próprios moradores de Itupeva? Pois é!! Além de fazer a história, todos os dias, cada itupevense também é responsável por guardá-la e contá-la, sobretudo pelas redes sociais. No Facebook, por exemplo, existem dois grupos que fazem um verdadeiro trabalho de divulgação e preservação de histórias e memórias de Itupeva!

(Foto: Memórias de Itupeva/ Reprodução)

Da família para Itupeva

O primeiro grupo para compartilhamento de memórias da cidade foi o ‘Itupeva Histórica‘, criado em 20 de maio de 2020 pelo auxiliar administrativo Anderson Muraro Vanini. Apesar de ter nascido em Jundiaí, sua família se estabeleceu em Itupeva a partir de seus avós, que vieram da Itália recomeçar suas vidas aqui na cidade. Também por isso que Anderson ainda cultiva muitas amizades e admiração por Itupeva, a ponto de sempre pesquisar sobre a história da cidade. 🔍

“E como sempre encontrava poucos registros, pensei em como seria bom se existisse um espaço pro pessoal entrar e conhecer um pouco das coisas antigas que Itupeva teve e ainda tem, seja as antigas fazendas ou a história das famílias pioneiras. E como era bem o início da pandemia, me sobrou um tempo e então criei o grupo”, explica.

No início, a intenção do Itupeva Histórica era de servir apenas como um local de memórias familiares. “Eu criei o grupo pra ser algo mais entre família mesmo. No começo, ali tinha os Muraro, Vanini, Menegon, Tonolli, e um foi passando pro outro. O trabalho ficou tão legal que achei injusto não dividir com todo mundo que quisesse participar e saber também da história de Itupeva.” Foi então que, poucos dias após criar o grupo, Anderson o transformou em um grupo público, em que qualquer um pudesse entrar e participar.

(Foto: Facebook/ Reprodução)

“O que mais gosto de ver, e o que incentivo a postarem no grupo, são fotos históricas, fotos antigas de como era a igreja antes, como eram as antigas fazendas e o que restou delas… São assuntos que geralmente até entre trabalhos de escola são pedidos e tem muito pouco material. Então, com a criação desse e de tantos outros grupos, a gente consegue ter muito material pra estar ajudando até a molecada nos trabalhos da escola e os mais antigos a recordarem como era antigamente a cidade.”

Recordações essas como o vídeo divulgado no grupo e que mostra as imediações da Fazenda Monte Serrat em 1928. “Eu gosto muito deste vídeo, porque além de ser um vídeo muito antigo, estava acontecendo ali uma reunião com parentes vindo. É mostrado então o terreiro de café, a colheita, mostra a antiga estação… É de fato uma preciosidade e que foi cedida por um descendente dos Tonolli”, conta Anderson.

Itupeva é o ponto de partida, é dali que toda minha família, que veio da Itália, se estabeleceu e é um bom lugar de se estar e sempre é um destino a se voltar. Itupeva é boa ontem, hoje e eu acho que vai ser sempre.

Memórias virtuais

Outro itupevense que sentiu a necessidade de resgatar a história da cidade foi o empresário Moacir Donizetti Perlini, responsável pelo ‘Memórias de Itupeva‘, grupo com mais de 10 mil membros. “Eu morei em Nazaré Paulista em 1988, e no início de 2020 vi um grupo dessa cidade, que foi criado há uns 6 anos, e era voltado para compartilhar memórias.”

Moacir também conta que, junto com a ideia, surgiu a ocasião perfeita para a criação do grupo. “Coincidentemente, o Luís Pires de Campos postou em seu Facebook uma foto antiga da agência do Bradesco de Itupeva, onde eu trabalhei por muito tempo. Falei com ele, e no mesmo dia criamos a página. Como sou nascido aqui a motivação foi enorme em rever e conhecer fotos e fatos que aconteceram nessa cidade”, conta.

(Foto: Facebook/ Reprodução)

Assim como o Itupeva Histórica, o grupo criado por Moacir e Luiz é 100% relacionado à história de Itupeva, e em prol de uma interação constante com o que é postado pelos membros. “Quando são postadas fotos de algum lugar, nós incentivamos outras pessoas a também postarem fotos de quem morou ou era dono daquele local. Quando é nome de rua perguntamos se alguém tem foto daquele homenageado. E são muitas as contribuições, mas posso citar aqui as fotos do Padre Moutinho, do Zé Batuta, do Eduardinho, da chuva de pedra que aconteceu em 1988, e muitos outros que deram muitos comentários”, lembra.

E os planos para o futuro são bem ambiciosos – assim como nossa cidade merece! “Temos algumas ideias para amadurecer, e entre elas está a criação de um espaço na cidade para concentrar todo esse material que está sendo catalogado no grupo. Lógico que aí dependeríamos do poder público, mas por enquanto é uma ideia. Mas, de qualquer forma, eu penso que para as futuras gerações vamos deixar uma grande fonte de informações sobre a história de Itupeva.”

Itupeva pra mim é tudo. É onde nasci, onde constituí família, onde criei meus filhos, onde me estabeleci comercialmente… não troco por nenhuma outra cidade.

Participe você também!

Se você ainda não conhece os grupos Itupeva Histórica e Memórias de Itupeva não perca mais tempo e entre agora mesmo neles! Tem muita coisa bacana te esperando em ambos os grupos, e com certeza você também tem como contribuir (e muito!) com a preservação e divulgação da história de nossa querida Itupeva, né? 🥰💜


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você tem alguma informação bacana de Itupeva e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: jornalismo.itupeva@solutudo.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui