Esse conteúdo é um oferecimento da Univem Botucatu, empresa madrinha que apoia as boas notícias de Botucatu.

Uma bela noite, após sair de seu trabalho, Fadel, de longe, ouviu uma recitação:

“Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o sabiá,
As aves que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.

Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nosso bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores.

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer eu encontro lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o sabiá…”

Há quem diga que o Professor Fadel, de Literatura, seja um dos melhores professores de Botucatu. No entanto, são poucos os que conhecem sua história.

Cinquenta anos, cinco décadas, meio século. Não importa a forma de contar o tempo, mas sim as histórias diárias, desafiantes e inspiradoras na construção do professor, que prioriza os valores humanos.

Memórias de um Professor Histórico

Nascido em 1947, em uma cidade no Norte do Líbano, veio para o Brasil com apenas 5 anos. Segundo ele: encontrar um país do futuro e de oportunidades.

Instalando-se inicialmente em Pardinho, estdou no Grupo Escolar Napoleão Corule. No entanto, havia apenas o primário na escola. Consequentemente, mudou-se para Botucatu aos 11 anos para dar sequência aos estudos.

Aos 11 anos, ingressou com bolsa de estudo no Ginásio Diocesano (atual La Salle) porém, seu pai, dono de um negócio local, faliu e Fadel teve que se transferir para a rede pública de ensino, passou a estudar no EECA. Inicialmente, o plano era ser médico.

Aos 16 anos, começou a trabalhar na rádio municipalista e fez o curso de Letras para se aperfeiçoar em seu magistério. Em 1968, Fadel conquistou seu primeiro emprego, no Senac (na época era uma escola regular). No ano seguinte, já naturalizado brasileiro, começou a dar aula no Colégio La Salle.

Uma curiosidade é que em sua naturalização, seu nome saiu Bahige, nome que, em seu país, é considerado feminino, por terminar com a letra “E”.

“Eu jurei amor e respeito aos seguros nacionais”.

De Professor a Supervisor de Ensino, se aventurou em diversas áreas do ensino no Brasil, dando aula em diversas escolas de Botucatu, hoje, no entanto, leciona em duas. Após ser Supervisor de Ensino, foi convidado pelo Governo de São Paulo a ser Dirigente Regional de Ensino, profissão a qual se aposentou em 2009. E continua dando aula e encantando os alunos.

Carreira Política

Por sugestão de um amigo, Progresso Garcia, Fadel se aventurou na política. Segundo o próprio, a carreira se findou brevemente devido o seu temperamento forte e a dificuldade de abdicar de alguns valores. Por outro lado, analisa seu trabalho na política como positivo pois, nos dias atuais, é lembrado com carinho e respeito por figuras locais.

Após 6 anos como vereador abandonou sua carreira política.

“Me realizei mais como Professor, do que como Político”.

Agradecimento

O gosto pela aprendizagem é a inspiração que o mundo precisa para evoluir. Um feliz dia do Professor ao saudoso Fadel e a todos os profissionais da categoria. Pois, hoje, homenageamos aqueles que dedicam sua vida a construir um mundo melhor.


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você tem uma sugestão e quer ver ela ela aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br


Esse conteúdo é um oferecimento da Univem Botucatu, empresa madrinha que apoia as boas notícias de Botucatu.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui