Nesse momento de quarentena, nada melhor que abrir os leques e conhecer produções feitas por profissionais da cidade. Portanto, confira algumas recomendações de filmes, séries e curtas ou longas-metragens com gravações realizadas em Presidente Prudente por amantes nativos do cinema.

Vários prudentinos certamente já ouviram falar do nosso conterrâneo, Vicentini Gomez, ator, escritor e diretor conhecido mundialmente. Ficou famoso por contracenar em novelas como “Avenida Brasil” e “Cúmplices de Um Resgate”, além de comandar as gravações dos filmes “Justiça! Uma História” e “Histórias & Estórias – Cem Anos: Presidente Prudente”.

“Estou sempre à disposição pra Prudente. Minha terra, minha gente, meu porto seguro. Com o apoio logístico da cidade, realizei vários filmes, inclusive, o centenário, que ficou em cartaz no cinema do Centro Cultural Matarazzo desde o aniversário da cidade, até dezembro nas comemorações e tem sido exibido vez ou outra, principalmente para as escolas e no museu”, comenta.

Em tempos de reclusão por conta do Coronavírus, Vicentini ressalta a importância de ficar em casa, para preservar as vidas das pessoas que amamos e também se encontram no grupo de risco, como pais e avós. Para isso, podemos ocupar a cabeça com distrações educativas, como uma boa produção.

Com mais de 50 trabalhos dirigidos durante sua carreira, o artista recomendou algumas produções de sua autoria, e que estão disponíveis em sua playlist de filmes no Youtube para serem apreciados especialmente durante a quarentena.

– Dom Casmurro: “Eu dedico para o pessoal que está prestes a fazer o exame vestibular. Da série ‘Consciência na Cultura’”;

– Plaquita: “Para as crianças entenderem porque as ruas têm nomes e o seus significados, o filme tem animação, é divertido e didático”;

– O Baú da História: “Também possui animação e conta as histórias de diversas cidades”;

– Sol Nascente: “Fala sobre a imigração japonesa e a região. Também da série Consciência na Cultura”; finaliza Vicentini.

Da infância para a vida

O estudante de jornalismo, Marco Vinicius Ropelli, sempre participou de apresentações artísticas na infância, até que, com a ajuda de alguns amigos, decidiu gravar seu primeiro filme e, pôde guardar aquilo de recordação.

“Eu escrevi o roteiro e começamos a organizar. Naquele momento não conhecia muito sobre cinema ainda, era mais uma experiência, costumo dizer que foi um teatro gravado. A partir daí, comecei a estudar muito mais sobre a arte do cinema, inspirado principalmente no meu diretor favorito, Quentin Tarantino”, ressalta.

Após criar um estilo próprio, deu-se início as produções de Marco. O longa-metragem “Briga de Reis” conta a história fictícia de um Brasil real. Descreve o período das eleições se aproximando, um matador de aluguel que recebe a encomenda de um assassinato, e um casal de agricultores que são pressionados a vender suas terras ao preço de banana.

A história do seu segundo longa-metragem, “Duas Águas”, começa quando um corretor de imóveis tenta vender a residência de um falecido, mas acaba se deparando com a foto de uma mulher colada no teto da casa, sobre a cama do quarto principal. Curioso para entender o fato, o corretor decide que levará a foto para o filho do antigo dono do lugar. Lá, ele se depara com uma história dramática e ensanguentada de uma família que sofreu, mas nunca se distanciou do amor.      

A magia do cinema

O instrutor de cursos na Casa do Jovem Aprendiz Cidadão de Presidente Prudente, Lucas Chiaretto, conhecido como Lopine, é formado em artes visuais e fundador do grupo QG filmes PP, além de dirigir a produção de dois curtas gravados na cidade.

“Os filmes têm uma magia que faz você esquecer do seu mundo e dos seus problemas. O pensamento vai para outro universo, fazendo as pessoas sentirem emoções. Hoje, estamos passando pela pandemia do Coronavírus e, com as pessoas não podendo sair de casa, nada melhor do que assistir um filme”, conta.

“Bang Bang Super 8”, é um curta metragem de dois minutos, produzido na cidade de Presidente Prudente e, permitiu ao diretor Lopine, a trabalhar ainda mais com área de edição, tendo o desafio de criar uma história objetiva com bons resultados. Foi proposto para grupo QG filmes contracenar um duelo com câmeras super 8, o que deu origem ao filme.

“O Corvo; A pena da alma”, é um curta metragem de 26 minutos, também produzido em Prudente. O trabalho é baseado no poema The Raven do escritor norte americano Edgar Alan Poe. A adaptação do gênero suspense, conta a história de Allan, um jovem que perde a noiva na véspera do casamento e, durante a noite, recebe uma visita inusitada.

Aos amantes de cinema e que gostam de propostas diferentes, realizadas na nossa área de convivência, os trabalhos de Vicentini Gomez, Marco Ropelli e Lucas Chiaretto são ótimas opções para serem apreciadas durante os próximos dias de quarentena.

Bom proveito e fique em casa! 🏠😊


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E, se você conhece alguma história bacana da sua cidade e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui