Carinhosamente chamado de ‘Zezinho’, como se espalhou pela internet nesta semana, Francisco Santana Filho, o vendedor de picolé, 68 anos, teve sua vida mudada pela jovem Bárbara, de apenas 9 anos.

Há dois anos, a rotina pós-aula de Bárbara foi acompanhar Zezinho a ler e escrever. Disposta a alfabetizá-lo, a garota passou a ensinar o idoso que vendia picolés há 44 anos em frente ao seu colégio. A jovem do Colégio Diocesano, instituição particular de Crato, CE, teve seu gesto registrado pela psicopedagoga Risélia Maria.

Nascido na cidade, Zezinho cresceu vendendo picolés, desde os 12 anos, e nunca teve a oportunidade ou acesso à educação. E a compaixão de Bárbara parece ter dado um outro rumo à essa história. Risélia conta sua como foi sua reação ao ver a cena e o que a fez refletir depois de observar Bárbara ao lado de Zezinho:


Quando eu vi a cena desta aluna ensinando a ele, isso me comoveu muito. Encarei como um aprendizado para mim enquanto educadora. Já era para nós termos tomado a iniciativa de ensiná-lo a ler e a escrever, pois faz muitos anos que ele vende picolé ali nas redondezas do colégio

Francisco comemora o aprendizado e seu progresso, por conta das aulas. Ele, que  antes dizia “não ter cabeça” para aprender mais nada, relata que já consegue assinar o nome e juntar algumas letras.“Ela me ensina aos pouquinhos e eu vou aprendendo devagar”, diz, emocionado.

Imagina só quantas vidas você pode mudar compartilhando conhecimento?

Fontes: Razões para Acreditar; Correio Brasiliense.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui