Tuudo começou ainda com a avó de Claudia Regina, “Ela tinha a coruja como um símbolo da Justiça e Sabedoria. Quando viajava, gostava de trazer corujas de pedras nacionais, não sei se alguém achou que ela fazia coleção por gostar e ter mais de uma, mas desde então, os parentes que viajavam traziam uma corujinha pra ela, ela tinha metade do que eu tenho hoje, e muitas que estão aqui já foram dela também!”

Redescoberta

Após o falecimento de sua vó, as corujas foram embaladas e esquecidas em uma caixa, e lá ficaram guardadas por um bom tempo… “Nessa época eu ainda não tinha filhos, era solteira e morava com minha mãe. Daí quando construí a minha casa, eu encontrei essas corujinhas e pensei ‘Vou continuar com a coleção da vó, acho que ela ia gostar’, porque nós éramos bem chegadas.” E foi em 1989 que a coleção voltou à ativa, agora nas mãos de Claudia.

Ela nos conta que todos que sabem da coleção, viajam e sempre trazem uma nova coruja! “Uma falha minha foi não ter marcado de onde elas vieram e quem me deu, pois são tantas e há tanto tempo coleciono que hoje tem algumas que não lembro de onde vieram. Antes não costumávamos fotografar e também não tinha lugar onde escrever nela, e é claro, não achei que ia aumentar tanto a coleção! Comecei a ganhar umas bonitinhas e dei continuidade!”

Ela continua a coleção por achar muito linda e também pela simbologia da Sabedoria, “Eu acho legal e gosto dessas coisas, tem horas que parece que você tá sendo vigiada, acho que por isso tem gente que não gosta, as relacionam com mau agouro, falam que dá azar, chama a morte, tem a ver com bruxas… Mas eu sou descolada para essas coisas, pra mim são lindas, não vejo nada de errado com elas e sempre gostei do animal!” E não são só esses objetos de corujas que estamos falando, “Um tempo atrás minha mãe resgatou filhotes de corujas que caíram do ninho, cuidamos de 3 corujinhas em casa, ficaram indo e vindo até irem para a natureza, eram a coisa mais linda…”

A coleção

Hoje, sua coleção contempla quase 80 itens, dentre corujas de pedra, pena, madeira, concha, origami de papel, cerâmica, papel machê, plástico, a maioria esculpidas a mão, e são essas as suas preferidas, as artesanais! Sua paixão por coruja é tanta que ela nos contou sobre como seus amigos a veem como uma pessoa fanática por corujas, “Fora essa coleção, o pessoal acha que eu gosto tanto de coruja que acabo ganhando outras coisas como camisetas, bolsas, sapatilhas, bolsinhas de marmita, joias, colares, brincos, chaveiros, tenho um monte de coisas que ganhei, tudo isso com corujas! Me dão de tudo, desde que seja de coruja, na realidade eu coleciono “A Coruja”, mas eu aceito e gosto de tudo, pois as pessoas dão de coração e eu deixo tudo guardadinho!”

A maioria dos itens da coleção são nacionais, muitos que vieram de praias e feirinhas, mas também tem algumas da Argentina, Índia, Uruguai… Uma coruja que ela quer muito é uma que viu na Festa da Uva. “Eu vi e pirei, porque ela era toda diferente, feita de metal e com peças tiradas de bicicletas, essa é uma que eu ainda quero ter! Às vezes você vai no lugar e vê várias, mas tem umas que não me chama tanto a atenção, tem feirinhas que tem milhões, mas tem aquela que você olha e fala ‘Eu tenho que levar essa!’ Não é que eu escolho, mas tem umas que são a minha cara! As feitas de cabaça eu acho muito lindas, às vezes dá bicho, mas eu vou e compro outra!”

O legal de quem tem coleção é que a gente acaba conhecendo pessoas, tem gente que você nem conhece muito e vem e te entrega uma, mostrando o carinho que as pessoas tem com você! Não é uma coisa que eu peço muito, mas receber esse carinho é muito bom, saber que a pessoa lembrou de você… Tem até pessoas inesperadas, que você nem sabia que sabia de sua coleção, e aparece com um pacotinho, é uma coisa que emociona, toca o coração da gente! É diferente, distrai e decora!

E chegamos ao fim da nossa #SérieColecionadores ? Agradecemos a todos os nossos personagens e os que nos ajudaram na produção dessa série! Esperamos que tenham gostado. ??

Ah, e você pode conferir todos os episódios da série clicando na hashtag, tá? Obrigado por te nos acompanhado até aqui. ? <3


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você conhece alguma história bacana da sua cidade e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui