No interior do estado de São Paulo é mais que comum encontrar grandes empresas familiares. Negócios que começaram com o esforço de uma pessoa, normalmente é o patriarca ou a monarca da família, e as gerações continuaram a honrar a ideia de empreendedorismo que deu certo.

Um exemplo é a Special Dog Company instalada em Santa Cruz do Rio Pardo. Priscila Manfrim conta que seu avô, em 1967, criou o Grupo Manfrim com atuação em produção de café, arroz, cereais e farinha. Uma atitude empresarial que não trouxe bons frutos e foi preciso 36 tentativas para a família perceber que este não seria o melhor caminho. O pior momento foi quando quiseram investir em xarope de arroz para ser matéria prima de uma cervejaria.

Mas ainda queriam manter vivo o Grupo Manfrim e, naquela época, ouviram dizer que o setor do mercado pet poderia ter altas chances de crescimento. Então, resolveram tentar. E o mais interessante é que a família, em um núcleo mais restrito, sempre apoiou cada etapa, cada processo, mesmo os mais difíceis.

Priscila acompanhou toda a evolução da empresa de sua família na infância e adolescência e consegue especificar exatamente qual é o motivo da Special Dog ser um sucesso.

“Faltava expertise e know-how na época, mas fomos crescendo com o mercado, num processo de tentativa e erro. Tentando acertar mais do que errar, claro”, falou em uma entrevista para a Forbes.

E comentou que os principais pilares do Grup Manfrim é o que pode ter feito a empresa conquistar o seu R$ 1bilhão de faturamento em 2020. É o relacionamento com parceiros, colaboradores e clientes.

Mario Manfrim e Erik Manfrim, os fundadores da Special. Foto: assessoria

Além de ser um grupo empresarial, ainda de acordo com Priscila, que se mantém fiel em seus propósitos , valores e a consolidação de uma empresa humana. Um lugar que valoriza os colaboradores e credita todo o sucesso a eles. Bem como as práticas de Recursos Humanos (RH) desenvolvidas na empresa que geram orgulho e contribui para o desenvolvimento de marca.

Atualmente, a empresa possui quatro fábricas de alimentos secos e uma de alimentos úmidos, além de um centro de distribuição em Curitiba, no Paraná, que ajuda na entrega dos processos no sul do país.

Dificuldades e Conquistas

Ao avaliar toda a trajetória do início até agora, a conclusão foi de que as principais dificuldades sempre foram as financeiras. Lá no começo, os sócios estavam sem grana para investir em razão das frustrações e também era necessário compreender melhor, de forma geral, sobre um novo negócio em um setor diferenciado.

Hoje, na visão de Priscila, o principal desafio é manter-se fiel à essência da companhia e viver em um setor de mercado cada vez mais competitivo. Já sobre as conquistas, “penso que é termos conseguido manter a fidelidade aos nossos propósitos e valores ao longo de nossa história e a consolidação como uma empresa humana”, fala Priscila.

Projetos Sociais

O bacana da companhia são os projetos sociais em prol de Santa Cruz do Rio Pardo. É um sinal de que a empresa não pensa somente em lucros, mas também em pessoas e em responsabilidade social. Isso mostra que quem está por trás de todo este sucesso são humanos conscientes.

“Acreditamos que é nosso papel como empresa contribuir com a transformação que queremos ver em nossa sociedade, gerando impacto positivo. Desta forma, pensamos que agir na comunidade onde estamos inseridos é a maneira mais concreta de contribuir com essa transformação”, exalta Priscila.

Um deles é o Projeto de Formação de Gestores da Educação Infantil em parceria com o Instituto Avisa Lá de São Paulo. O objetivo é melhorar a qualidade do atendimento às crianças de zero a seis anos da rede pública de ensino de Santa Cruz. São beneficiados mais de 200 profissionais, 20 unidades de educação e quase dois mil crianças.

A companhia também é parceira da Childhood Brasil no desenvolvimento do Programa Na Mão Certa para enfrentar a exploração sexual de crianças e adolescentes. É um projeto com caminhoneiros para serem agentes de proteção da infância nas estradas por este Brasilzão. Aproximadamente, são 300 motoristas da Special que fazem parte do projeto.

O Gibi Turminha Special Dog que é uma publicação socioambiental distribuída para 35 mil crianças em oito estados, locais onde a empresa atua. O Mãos que Cuidam que já produziu mais de 22 mil máscaras de tecido para doações.

Por fim, o Programa de Voluntariado Cuidar com mais de 280 colaboradores da Special Dog Company, são pessoas que acompanham ações de responsabilidade social e preservação ambiental da empresa com foco em educação infantil, assistência social, bem-estar animal e sustentabilidade. É aberta aos familiares de quem participa e à comunidade.

Futuro

Os passos para o futuro da família Special Dog Company, o Grupo Manfrim, é se manter fiéis aos propósitos e ser os melhores nos momentos mais desafiantes. E Priscila se orgulha de toda a trajetória empresarial da sua família. “Naquela época eles já enxergavam que este era um segmento em ascensão. Como tinham a extrema urgência de sustentar a família, decidiram mergulhar no negócio”, finaliza a executiva em uma entrevista para a Forbes.

A família Manfrim. Da esquerda pra direita atrás, Thiago Manfrim, Marcos Tavares e Gabriel L. R. Manfrim. Da esquerda para direita na frente, Priscila Manfrim Tavares, Mário S. Manfrim, Erik Manfrim, Natália Manfrim e Juliana Manfrim. Foto: divulgação

Fonte: Forbes


É bacana conhecer a história de grandes empresas, né? Gostaria de indicar outra? Conte para nós!


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você conhece alguma história bacana da sua cidade e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br

Siga Solutudo Santa Cruz do Rio Pardo nas mídias sociais:

CLIQUE AQUI PARA FACEBOOK!

CLIQUE AQUI PARA INSTAGRAM!

5/5 - (1 vote)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui