Hoje, no Dia Mundial de Doação de Leite Humano, saiba como colaborar com alimentação de alguns bebês da cidade, além de realizar um gesto de empatia as mães que não conseguem gerar esse nutriente.

A coordenadora do Banco de Leite Humano de Presidente Prudente, Adriana Trevisan Monteiro, relata que devido a pandemia, houve uma queda no estoque de leite da unidade, onde constam 60 doadoras, porém, a quantia ideal seria entre 90 a 110 mulheres ativas.

“Atualmente, a situação do estoque é de 34 litros, essa quantidade dura de 8 a 10 dias, pois temos atendido quatro hospitais, sendo ao todo 30 recém-nascidos”, comenta.

Com a chegada da quarentena, novas medidas para a coleta de leite foram adotadas pelo Banco de Leite Humano, bem como sua equipe, que busca os recipientes com a extração feita pela própria mãe em casa, para que assim, possam continuar atendendo as maternidades e bebês da cidade.

Doação de Leite Materno: um gesto de empatia que pode alimentar vidas
(Foto: Prefeitura de Pres. Prudente)

“As recomendações após a pandemia são intensificar a higienização das mãos, lavando-as por 20 segundos, prender o cabelo e usar máscara para ordenhar”, relata.

Em comemoração a data, o Banco de Leite da cidade organizou um chá virtual que acontecerá hoje (19/05), às 15h, com a participação de profissionais da saúde e mães doadoras, abordando temas relacionados ao desenvolvimento infantil.

Assim que o conteúdo gravado for disponibilizado, o público poderá ter acesso clicando aqui.  

Quem pode doar?

Mulher saudável, que esteja amamentando e tenha leite excedente. Se a doadora estiver em estado gripal, então não poderá realizar o procedimento por 15 dias.

Como doar para o Banco de Leite Humano de Presidente Prudente?

Basta entrar em contato pelo telefone: (18) 3229-1249, assim, a equipe irá até sua casa levando o material todo esterilizado, além de realizar um pré-cadastro para as mães que estiverem doando pela primeira vez, além disso, é preciso ter confirmado todos os exames pré-natais em dia.

Como retirar o leite materno em casa?

A mãe pode fazer o processo manualmente ou com a bombinha que é entregue pela equipe, porém algumas mulheres alugam ordenhadeira elétrica. Em seguida, armazenar o pote no congelador caseiro e em até 15 dias, entrar em contato com a visitadora do Banco de Leite para fazer a coleta.

Mamãe de primeira viagem

Mesmo antes de engravidar, a escrevente Carolina Martines Fernandes, já imaginava que se fosse possível, gostaria de fazer doação de leite materno, pois sabia que existem muitos bebês precisando desse alimento e, apesar de ser sua primeira gestação, já planeja continuar doando nas próximas.

“Essa é uma experiência maravilhosa de amor ao próximo. Temos que ser muito gratas em produzir o melhor alimento que um bebê pode receber para crescer e se desenvolver de forma saudável, mas infelizmente, algumas mães não conseguem o mesmo. A doação garante que esses bebês também possam receber esse alimento tão maravilhoso”, conta.

Carolina está impressionada com o trabalho que é realizado pela equipe de coleta do Banco de Leite, que ao vir até as casas, possibilitam maior segurança para as mães doadoras, já que não precisam sair às ruas e correr risco de qualquer contaminação.

Quanto ao chá virtual que acontecerá nesta tarde destinado a doadoras de leite da unidade, Carolina conta que pretende participar.

“Soube que terá a participação de enfermeira, médica, psicóloga e nutricionista. Acredito ser uma oportunidade de novos conhecimentos e aprender mais coisas sobre o desenvolvimento dos bebês”, diz.

Doando pela segunda vez

A técnica em enfermagem, Romilsa Mendes Santos, percebeu logo no primeiro mês de gestação que, mesmo após alimentar o filho, ainda continuava produzindo grandes quantidades de leite. Com isso, lhe fez refletir quanto ao desperdício do alimento.

“Comecei a pensar: será que eu posso doar? Assim, fiz o primeiro contato com uma enfermeira do Banco de Leite, que me encaminhou a um profissional para fazer o cadastro. Após a entrevista, fiquei muito otimizada em saber que eu estava podendo ajudar de alguma forma, outros bebês que acabavam de nascer”, ressalta.

Para Romilsa, poder compartilhar do mesmo benefício que concedia ao seu filho, levando as demais crianças, rendeu uma sensação de utilidade e gratidão, realizando o processo de ordenha com muita alegria.

“Recentemente, vi uma reportagem que o Banco de Leite estava com baixo estoque devido a essa crise, com isso, me preocupei em mobilizar as doadoras em continuar contribuindo, pois sei que esse gesto faz toda a diferença. Estou muito feliz e satisfeita em ter tomado essa atitude”, finaliza.

Doação de Leite Materno: um gesto de empatia que pode alimentar vidas
Romilsa foi doadora de leite em suas duas gestações. (Foto: Arquivo Pessoal)

Qualquer recém mamãe, que esteja interessada em colaborar com essa causa, deve entrar em contato com o Banco de Leite Humano de Presidente Prudente e seguir todas as instruções necessárias, para juntos, alimentarem muitos bebês em nossa cidade!


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E, se você conhece alguma história bacana da sua cidade e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui