Hoje é dia de quem compõem, de quem traduz em letras e melodias seus sentimentos. No Dia do Compositor Brasileiro, você vai conhecer as histórias e músicas de dois artistas que fizeram muito sucesso aqui em Presidente Prudente e região.

De versos a acordes

Compositor, poeta e carnavalesco, Ataíde Nascimento, mais conhecido como Ataíde da Cuíca, fala para a reportagem da Solutudo que a música surgiu na sua vida desde o útero de sua mãe.

Minha mãe é nordestina e desde criança eu fui pegando as cantigas com ela. Também tinha um irmão que amava samba. O tempo foi passando e comecei a estudar, daí eu descobri que levava jeito pra poesia. Aos 10 anos fiquei em quinto lugar em um concurso estadual.

Em 1976, o compositor conheceu o samba e acabou se apaixonando. Comprou um tamborim, instrumento semelhante a um tambor, e começou a participar de desfile da Escola de Samba da Zona Leste.

E a vida no samba nunca mais parou! Ataíde recebeu diversos prêmios e até mesmo troféus no decorrer na sua carreira.

Eu sempre trabalhei com alegria e espontaneidade. Em 2015, eu consegui colocar na minha escola de coração um samba e um desfile muito bonitos e no ano seguinte, resolvi encerrar carreira na pista, mas continuei como compositor.

O sucesso é tanto que ele ainda sempre recebe propostas para compor músicas, tanto para os amigos sambistas ou pedidos e composições religiosas.

Do samba ao sertanejo

Oswaldo Franco, mais conhecido como Dino Franco, nasceu na região do Oeste Paulista em 1936. Antes de se tornar conhecido, precisou trabalhar na roça colhendo algodão, mas quando participou do Tiro de Guerra, foi quando iniciou sua carreira na música, em uma emissora do Oeste Paulista. Assim, abriu-se o leque para participar de outras rádios na região e em todo Brasil.

Dino ficou conhecido por ser o pioneiro em regravações, mas em 1951 começou a compor suas músicas como: Dança da Chuva e Tafuleira.

O compositor fez várias duplas sertanejas onde acabaram sendo desfeitas. Em parceria com Mouraí, pôde trabalhar e dividir os palcos por 25 anos até a morte de seu companheiro.

No ano de 1991, já aposentado, retornou ao Oeste Paulista, mas não parou de criar suas composições musicais que fizeram sucesso por todo país. Em 2014, o cantor e compositor sertanejo, faleceu aos 77 anos, mas suas canções nunca foram apagadas das memórias de diversos fãs.


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E, se você conhece alguma história bacana da sua cidade e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui