As cartas eram o maior meio de comunicação existente, até o final do século XX. Com a chegada da era digital e seus aparelhos eletrônicos, a prática da escrita no papel foi deixada de lado por muitos.

A fim de reviver esse hábito, o jornalista Estevão Pinheiro Salomão, desenvolveu no último sábado (21/12), uma ação voluntária com o intuito de conscientizar a sociedade na demonstração afetiva através da escrita, tornando-se uma iniciativa para complementar o natal das famílias.

A ação consistiu na produção de cartas em um local público para a população em geral, de forma gratuita e democrática. No qual todos os perfis passaram por ali, desde crianças a idosos, até mesmo pessoas que não sabiam escrever

comenta Estevão.

O conteúdo da carta era ditado pelo remetente e escrito pelos voluntários, que imprimia a folha e colocava em um envelope. (Foto: Estevão Salomão)

O ato aconteceu na Praça 9 de Julho, localizada no centro de Presidente Prudente, tendo uma média de 20 cartas impressas durante as três horas em que estiveram atendendo.

Para Estevão, a escolha do natal para sustentar a ação, foi devido à importância emocional que a data carrega consigo.

Sempre tive a vontade de aplicar essa ideia, mas nunca houve oportunidade tão evidente em relação aos laços afetivos quanto à proximidade com o natal. Esse momento foi muito propício para colocá-la em prática, pois é quando todos estão mais sensíveis às trocas de palavras de amor, afeto e perdão

Na estrutura montada na praça, constava uma mesa com computadores e impressoras, além da placa de identificação para a ação.

As pessoas em que passavam eram abordadas e convidadas para a escrita da carta, da qual era impressa e posteriormente colocada em um envelope para que pudesse ser entregue ao destinatário.

Éramos ali uma ponte, o elo entre o emissor e a concretização dessa ideia por meio da escrita. Ajudamos a pessoa a formular seus pensamentos, organiza-los e passar para o papel. Entregávamos o envelope para que a ela mesma pudesse dar a carta na noite de natal ou quando achasse o momento propício

A grande repercussão em redes sociais fez Estevão ter certeza de que a ação valeu a pena e atingiu o seu objetivo. Ato do qual adquiriu muito conhecimento e a satisfação de dever cumprido.

O sentimento é de gratidão, por ter feito parte da história dessas pessoas por um instante. A ação é necessária, mesmo sendo pequena, pois estimula os demais a colocarem em prática gestos semelhantes a esse. É o que o mundo precisa em meio tantas notícias ruins

O psicólogo Gabriel Abbade foi um dos voluntários para a escrita das cartas, juntamente com sua namorada Carla Yamashita, a convite de Estevão.

A ação gerou várias percepções para Gabriel, que pode observar a quebra de uma barreira entre a sociedade, onde apesar da correria do dia a dia, conseguiram parar por um instante e depositar seus sentimentos no papel.

Quando apresentamos a proposta e convidamos a pessoa para se sentar, é como se fosse uma parada para ela respirar naquele dia. Foi quando eles decidiram falar sobre assuntos íntimos, e até pedidos de desculpas

diz Gabriel.

O psicólogo também ressalta a influência para essa ação com o fim do ano estando próximo, destacando a reflexão que cada um fez a partir da convivência que teve com a pessoa em que a carta foi enviada.

Essa experiência me fez reparar o quanto as pessoas refletem, planejam e agradecem nessa época. Eu pude perceber o quão comum isso é dentro da sociedade

Estevão, Carla e Gabriel após a finalização da ação solidária com a vinda da chuva, que apagou seu cartaz. (Foto: Estevão Salomão)

Ainda não há data prevista para a próxima edição, mas o Estevão garantiu que logo irá acontecer!


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você conhece alguma história bacana da sua cidade e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br

Avalie este conteúdo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui