Jefferson Quirino mora desde pequeno na periferia do Rio de Janeiro, no Morro do Turano. Ele criou um projeto em 2015 para incentivar as crianças da favela a praticarem surfe. O esporte entrou tardiamente em sua vida e ele reconhece que sua realidade poderia ter sido diferente se tivesse entrado antes.

Durante sua adolescência, Jefferson teve várias passagens pela polícia por tráfico de drogas. Entrou para aeronáutica na juventude, mas não conseguiu sair de sua antiga vida e foi preso.

Ele usou seu tempo no cárcere para pensar em como poderia mudar os rumos de sua vida. Além disso, já pensava em como poderia trabalhar e usar seu esforço para evitar que outras pessoas passassem pelo que passou.

Mas só quando deixou a cadeia surgiu a inspiração para a criação do projeto Favela Radical. Jefferson decidiu que praticaria surfe! Ganhou a prancha de um amigo e viu que o esporte poderia ser também a ferramenta transformadora na vida de muitos jovens.

O projeto

Em 2015, decidiu então fundar uma instituição para promover a modalidade para as crianças de sua comunidade. A categoria tida pertencente às elites, passaria a fazer parte da realidade da favela.

A Praia do Arpoador virou o ponto de encontro da garotada. Ali, começou a transmitir os primeiros ensinamentos do surfe para as crianças. Com os jovens se animando cada vez mais e se interessando pelo projeto, Jefferson percebeu que não poderia parar.

Hoje, o Favela Radical atende cerca de 70 crianças. Além das aulas de surfe, elas também aprendem natação e escalada. E o projeto ainda se prepara para mais duas modalidades: ciclismo e skate. Além disso, instituto fechou parcerias com instituições para promover melhorias para a região, como descontos em cursos superiores.

Em uma entrevista para o Razões Para Acreditar, o tutor reconhece que o trabalho pode ter uma grande influência na mudança da vida dos moradores do morro.“É ressignificar a favela, tirar da invisibilidade social. No projeto começa o protagonismo da criança favelada que também acessa a todas as possibilidades de forma ilimitada”, completou.


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E, se você conhece alguma história bacana da sua cidade e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: [email protected]

Avalie este conteúdo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui