Não são muitas as pessoas que possuem o dom para tocar instrumentos musicais, né? Ainda mais quando estão ligados a música clássica, o que não é comum num país onde há outros gêneros musicais.

E é por isso que os três músicos prudentinos se encantaram com o mundo clássico das orquestras, com diferentes instrumentos e sentimentos para compartilhar.

Violino 🎻

O jovem Wilton Pereira Duarte possui diversas profissões, sendo elas: professor, ator, cantor e, principalmente, músico. Seu primeiro instrumento foi o violão e, posteriormente o violino.

“Em 2012 teve uma seleção entre os melhores alunos da região no Projeto Guri e acabei sendo contemplado com uma bolsa para estudar em uma orquestra profissional, com repertório e concertos semestrais. Foi um momento que consegui me aprimorar profissionalmente”, comenta.

Wilton foi inspirado por grandes nomes da música clássica, como Mozart, Bach, Fiocco, Vivaldi e Beethoven, mas principalmente do seu amigo, o violinista Rafael Silva. Durante seu aprendizado, sofreu muita dificuldade por causa de sua postura errada, pois é um fator importante para tocar violino.

Para ele, nenhum instrumento é difícil, basta você querer, estudar e aprender. Assim, ele pôde realizar parte dos seus sonhos no mundo musical.

“O fato mais marcante até hoje foi quando recebi o e-mail avisando que eu tinha sido aprovado para o meu primeiro teatro musical, onde envolvemos canto, dança e atuação. Estou no elenco principal e, esse é o meio que eu mais amo e quero seguir para o resto da minha vida”, ressalta.

Piano 🎹

O músico Thiago Silva Rocha, iniciou tocando teclado aos sete anos, motivado por sua avó e, logo depois, surgiu o interesse pelo piano, que desde então, tem sido sua grande paixão. Ele ainda comenta que aprendeu a tocar os instrumentos na Escola Municipal de Artes Professora Jupyra Cunha Marcondes, em Presidente Prudente.

“No começo do curso, minhas maiores dificuldades era conseguir pagá-lo, então, consegui uma bolsa e, assim, essa necessidade financeira foi suprida”, relata.

O pianista também possui grande admiração pelos compositores Beethoven, Tchaikovsky e Bach.

Após perder o pai, Thiago fez-se o uso da música como terapia para se expressar. Foi assim, que conseguiu se destacar e chamar a atenção de um canal de TV local.

“Fomos convidados para fazer o jingle (mensagem musical publicitária) dessa emissora, a gravação aconteceu no estúdio e foi muito legal. Para mim, a música sempre foi muito mais que um escape para acontecimentos da minha vida pessoal, ela acabou se tornando uma coisa que eu amo”, conta.

Saxofone 🎷

Inacio Bratifisch, mais conhecido como Maestro Bratifisch, iniciou seus estudos de saxofone aos 17 anos; motivado pelo tio que também tocava o instrumento na Corporação Musical 7 de Setembro, uma das bandas musicais mais tradicionais de Presidente Prudente.

Sabendo que o sobrinho gostava de música, fez o convite para que ele tocasse com ele na Corporação e ao mesmo tempo tivesse aulas de saxofone.

“Logo em seguida eu passei no concurso da Polícia Militar de São Paulo e, depois de um tempo, fui transferido para Prudente. Por ser músico, fui convidado a trabalhar na Banda da PM”, diz.

No início dos estudos, passou por dificuldades para encontrar bons professores de saxofone. Além do preço elevado que o instrumento de sopro possui.

Bratifisch se formou no curso de habilitação profissional de técnico em música em saxofone e piano pelo Conservatório Musical Maestro Julião de Presidente Prudente, onde continua lecionando aulas musicais atualmente.

“Foi a participação como saxofonista da Banda Sinfônica Municipal de Presidente Prudente, em 1998, sob a regência do Maestro Cilas Gonçalves Albano. Nessa ocasião, o projeto contou com ensaios, apresentação na Casa do Médico e gravação de CD. Era um marco na história da música prudentina!”, finaliza.

🎵🎶🎻🎷🎹


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E, se você conhece alguma história bacana da sua cidade e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui