Sapatos, sandálias, botas, coturnos, tênis, sapatilhas. Tudo isso e muitos outros tipos de calçados fazem parte do dia a dia do Sr. Lourival Delgado. 👞

Seo Lourival nunca deixa barba crescida. Permitiu o crescimento para se vestir de Papai Noel para a neta, a pedido dela mesmo.

É em um salão comercial de aproximadamente 9m² que Lourinho, Loro ou ainda Crispim, o sapateiro mais antigo da cidade, sustentou seus 6 filhos e esposa.

O inicio no oficio

Nascido em Getulina em 1955, começou a trabalhar cedo. Seu primeiro contato com o trabalho foi como engraxate a principal rua daquela cidade. Foi ali que começou a se entusiasmar com os concorridos sapateiros da cidade. Nos intervalos, Seo Lourival buscava aprender um pouco sobre o oficio de sapateiro.

A sapataria em Lins

Sua história com a cidade de Lins começa em 1979. Há 42 anos atrás, cheio de coragem iniciava sua primeira oficina. A rua sempre foi a mesma: Floriano Peixoto. Mudou de salão pouco tempo depois, em 1983 para o que até hoje trabalha.

Foi um período que exigiu muito esforço – lembra Seo Lourival:

“Eu não morava aqui em Lins ainda. Foram 25 anos morando em Getulina e vindo de ônibus todos os dias para Lins. Os motoristas dos ônibus até brincavam comigo, dizendo que se soltassem ele na estrada de olhos fechados, ele chegaria ao destino sem precisar ver nada, de tanto que já havia feito o trajeto”, disse ele.

Decidiu, portanto, morar definitivamente aqui na cidade. Em todo este período viu as profundas mudanças que a cidade sofreu.

As mudanças que viu acontecer

“Tem comércios que existiram aqui, que embora não funcionam mais, sempre serão inesquecíveis para mim” –  disse ele, lembrando por exemplo de uma choperia, o bar do Mario, e do Clube Linense, gloriosos a seu tempo.

Guarda com carinho os antigos boletos do Grupo Garavelo de 1989

Gosto por desafios

Seo Lourival afirma que quanto mais complexo for o serviço, mais ele gosta. Um dos seus troféus pessoais é um martelo quase centenário (95 anos) mas em perfeito estado de conservação e em pleno uso até hoje.

O martelo de 95 anos que usa até hoje

Momentos que mais surpreenderam

Para Seo Lourival, a pandemia, ao contrário da maioria esmagadora do comércio, não sofreu danos; muito pelo contrário! Foi uma época que ele viu o número de solicitações de concerto aumentarem extremamente.

Clientes


Os calçados possuem um certo vínculo emocional com o seu dono, explicou. As vezes é um presente ou ele remete a um acontecimento importante. Outro fato é o de também ser um produto muito caro e que necessita de reparos pequenos, o que não justifica o descarte. São estes os que o procuram.

O maior desafio da profissão

Seu maior gigante é um só: O não retorno dos clientes para buscarem o calçado pronto. É aí que brilha mais uma vez o compromisso com o trabalho deste profissional. Ele ainda tem calçados guardados desde 2015. O cliente não voltou e eu não posso passar para frente. Embora louvável, isso representa um prejuízo muito grande ao seu negócio por ter já investido tempo e insumos.

A continuidade

É aí que vemos seo Lourival dar uma sentença: O Oficio de sapateiro pode acabar. Com uma sociedade cada vez mais desapegada e adepta ao consumismo, ele vê a profissão sendo cada vez menos requisitada e isto desestimula o ingresso de novos profissionais.

Ele é um profissional vigoroso e não está nos seus planos parar em breve período.


Quantas histórias não passaram pelas mãos do Seo Lourival. Seu legado certamente está entrelaçado na história da cidade.

Você conhece a sapataria do Seo Lourival? O que você acha da profissão? Comente aqui em baixo. Estamos ansiosos para saber a sua opinião.

FacebookSolutudo Lins Instagram@solutudolins

4.4/5 - (24 votes)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui