Celebra-se no dia 12 de maio o Dia Internacional da Enfermagem e do Enfermeiro, data que ganha ainda mais expressão neste ano de 2020, com toda a comoção e esforços no combate à pandemia do Novo Coronavírus.

Segundo dados do Conselho Federal de Enfermagem, no Brasil atualmente, entre Auxiliares, Técnicos, Enfermeiros e Obstetrizes, são mais de 2 milhões de profissionais de enfermagem, 580 mil só no estado de São Paulo e cerca de 3,8 mil em nossa Jundiaí.

Para homenageá-los, conversamos com 3 profissionais da área de enfermagem e que atuam no Hospital Universitário (HU). Com histórias e trajetórias diferentes, eles são movidos e estão unidos além da profissão, por um sentimento, um gesto incrível e que, mais do que nunca, cada um de nós precisamos: cuidado. ?

Começo mais do que desafiador

A Daniela Marangoni Ramalho Leite se formou em enfermagem no final de 2019, e começou a trabalhar no HU no dia 1º de março. Curiosamente, 12 dias depois do seu início oficial na profissão, foi decretado em Jundiaí o Estado de Atenção por causa do novo Coronavírus. “Em meio a todo processo de adaptação do novo trabalho houve várias mudanças e planos de contingência para nos prepararmos para encarar o novo cenário. Tudo isso nos deixou temerosos quanto ao futuro, porém me senti encorajada e honrada por poder ser preparada, fazer parte e poder ajudar nessa situação, que é nova para todos”, afirma.

Apesar do medo de contaminação e da transmissão para as pessoas que convivem todos os dias com a profissional, a coragem é fundamental e não tem faltado para ela e para os colegas, viu? “Tem dias que saímos do plantão e chegamos tensos em casa, mas pude presenciar de forma clara os meus colegas sendo destemidos e não se omitirem diante do medo, fazendo valer o juramento que fizemos um dia, de mãos levantadas: ‘Juro solenemente (…) dedicar minha vida profissional a serviço da humanidade (…)’.”

Realização de um sonho

Formado há 3 anos, Ian Richardson Abreu tem o mesmo tempo de Hospital Universitário. Ele conta que desde pequeno queria trabalhar em hospitais, e vê hoje, com muito orgulho, o seu sonho ser realizado todos os dias que se veste de branco. “Ajudar as pessoas sempre foi muito gratificante pra mim. Poder acompanhar um paciente em toda sua melhora durante sua internação, saber que você fez a diferença pra alguém.”

Apesar de saber da importância que seu ofício tem, sobretudo nos dias de hoje, Ian também se sente preocupado e cauteloso, principalmente pelos seus familiares. “Faço todo o possível, tomando todas a medidas de precaução pra não me contaminar e não contaminá-los também”, afirma.

A espera tudo alcança

Priscila Galvão está na área hospitalar há cerca de 11 anos: 7 como recepcionista de um hospital e há 4 na enfermagem do HU.

Desde a época de recepcionista, Priscila tinha o desejo de atuar na Enfermagem, mas não tinha condições para pagar uma faculdade. “Depois que me casei, comentei com meu marido esse meu desejo e com a ajuda dele cursei 5 anos de Enfermagem na Faculdade de Medicina de Jundiaí e me apaixonei cada vez mais pela profissão. Fui estagiária no HU e quando me formei fui contratada”, conta.

Hoje trabalho cuidando de crianças, e é muito gratificante o momento de dar alta, o sorriso de uma criança e o agradecimento da mãe não tem preço.

Nesse tempo de cuidados no combate ao Coronavírus, Priscila não esmorece e busca da melhor forma possível cuidar dos pacientes e, claro, dela mesma. “Mas é assustador como a população está agindo mesmo diante de tantas mortes e de tanto sofrimento.”

Enfermagem segundo eles mesmos

E como é bonito ver como cada um deles falar da própria história, dos desafios e da paixão proporcionados pela profissão, não é? E olha, é claro que a definição de ‘Enfermagem’ existe nos dicionários, nas apostilas, nos livros… mas, sem dúvidas, a melhor definição só poderia vir mesmo de alguém que vive ela 24 horas, que sente na pele o que ela é! Com vocês, o que é Enfermagem para cada um deles:

Ter empatia, trabalho em equipe, respeito e cuidado com alguém que você nunca viu e fazer o melhor por ela.

Ian

A enfermagem pra mim é uma arte que tem que ser vivida intensamente com dedicação e amor.

Priscila

A enfermagem para mim neste momento pode ser definida como desafiadora, porém recompensadora. Sou grata por poder comemorar este dia, o meu primeiro como formada, bem no ano de 2020, declarado como Ano Internacional da Enfermagem pela OMS e o ano de uma grande batalha que, com muito trabalho em equipe e suor, há de ser vencida.

Daniela

Que lindo, não?! ? Pra todos vocês, verdadeiros guerreiros que cuidam todos os dias de nós, os nossos mais sinceros e carinhosos parabéns e toda a nossa gratidão! ??

Feliz Dia Internacional do Enfermeiro! ?⚕❤


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você conhece alguma história bacana da sua cidade e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br

5/5 - (2 votes)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui