No dia 4 de agosto comemora-se o Dia do Padre. Todo mundo, pelo menos uma vez na vida já viu ou conversou com um, né? 🙏 E quem é aqui de Itupeva tem um orgulho danado desse aqui, ó: o padre Murillo Moutinho. Padre Jesuíta, viveu por déecadas aqui na cidade lá pela região da Fazenda Ribeirão, e por muito tempo contribuiu tanto para a religiosidade do nosso povo como para o desenvolvimento de Itupeva. 👏

Muuito mais do que cumprir com dedicação e zelo apenas suas atribuições como sacerdote, o Padre Moutinho trabalhou ativamente para que Itupeva oferecesse aos seus filhos um pouco mais de dignidade e de esperança em um futuro promissor e próspero! Bora conhecer um pouco das obras desse homem apaixonado por Deus e por Itupeva? 🥰

Padre Murilo Moutinho, S.J. (Foto: Moacir Perlini – Memórias de Itupeva/ Reprodução)

Primeiro pároco de Itupeva

Padre Moutinho, desde o início de sua missão em Itupeva como Jesuíta, sempre cuidou muito bem do seu povo e da própria cidade. No campo da religião, quando ainda Itupeva não tinha sua própria paróquia, o padre Moutinho dividia seu tempo entre as atividades religiosas de celebrar Missas nas capelas espalhadas pela cidade, e em uma mais ‘burocrática’, que era a de organizar e documentar as capelas da cidade, preparando toda essa estrutura para a implantação de uma paróquia por aqui – o que de fato se concretizou em maio de 1967, com a criação da Paróquia São Sebastião. ⛪

Escritos do Padre Murilo Moutinho no livro tombo da Paróquia São Sebastião, que entre outros assuntos também relata as outras capelas existentes na cidade e suas origens. (Foto: Livro ‘Memórias de Itupeva/Reprodução)

Precursor do Hospital Nossa Senhora Aparecida

Inaugurado no dia 1º de outubro de 1979, o Hospital Municipal Nossa Senhora Aparecida marcou a história tanto de Itupeva como também do padre Murilo Moutinho. Isso porque foi o religioso quem conseguiu o terreno para a construção do hospital, como também a terraplenagem do local.

A lei nº 172, datada de 17 de outubro de 1975, sancionada pelo prefeito Waldemar Checchinato, dispunha a principal finalidade a que o Hospital deveria atender: o cuidado com os indigentes da cidade. Dispunha também, entre tantos outros pontos, que a instituição deveria “proporcionar meios para o desenvolvimento da pesquisa científica“, “servir como centro de estudos para aperfeiçoamento da prestação da assistência social” e “contribuir para a educação sanitária do povo, desde o período escolar”.

Benfeitor de diversas obras pela cidade

Segundo consta no livro “Memórias de Itupeva”, do jornalista Rogério Eduardo Pansonato, o padre Moutinho se envolveu em diversas outras iniciativas de benfeitorias pela cidade, muito além de suas atribuições religiosas. O sacerdote ajudou na construção do então Centro de Saúde Central, na implantação das Escolas Estaduais José Polli e José Manoel da Fonseca, na vinda da energia elétrica na região do Quilombo, além da construção da Rodovia Vice-Prefeito Hermenegildo Tonoli, graças à uma intervenção junto ao governo do Estado. 🔝

Em 1995, em seu 60º aniversário sacerdotal, o padre Murilo Moutinho foi reconhecido pela Câmara Municipal “como o grande benfeitor de nossa terra e o primeiro e maior responsável pelo seu desenvolvimento”. Olha que honra, hein! 😊

Padre Moutinho foi homenageado recentemente em mural no Centro da cidade (veja mais abaixo). (Foto: PMI/ Reprodução)

Historiador de São José de Anchieta

Durante décadas, até sua morte, em 2002, o padre Murilo Moutinho foi o Vice-Postulador da Causa de Canonização de São José de Anchieta, iniciada após sua proclamação como beato em 1980. Em praticamente 20 anos de postulação, o padre Moutinho, que pertencia à mesma congregação que Anchieta, a Companhia de Jesus, foi um dos grandes estudiosos do ‘Apóstolo do Brasil’, como o santo sempre foi conhecido. Moutinho chegou a escrever uma das principais obras sobre a vida de José de Anchieta, o livro ‘Bibliografia para o IV Centenário da Morte do Beato José de Anchieta: 1597-1997’.

Padre Moutinho sempre presente na vida dos itupevenses. (Foto: Paulo Sergio Ferreira – Grupo Memórias de Itupeva/ Reprodução)

Padre Moutinho também preservava duas cartas originais de São José de Anchieta, uma datada de 1556 e outra de 1570, que estiveram em sua posse até sua morte, quando passaram para o próximo responsável pela vice-postulação da causa de canonização de Anchieta.


Ufa, que vida, hein? 🤩🤗 Nossa Itupeva deve muito ao padre Moutinho e toda sua garra e dedicação pela cidade e por sua vocação. Tanto é que a cidade resolveu homenageá-lo em um mural no centro da cidade. A obra, finalizada em abril de 2020, destaca cartões postais, como o nosso Cristo, pontos altos da história de Itupeva, como no caso da locomotiva, e claro, grandes personalidades itupevenses, como a servidora Maria Preta e o próprio padre Murillo Moutinho. Bacana, né? Você pode ler mais sobre o assunto aqui. 😉

Nesse Dia do Padre, mande um abraço no da sua comunidade e não deixe de rezar por ele! ??

Fontes: Livro “Memórias de Itupeva”, blog da Elis Salles, Leis Municipais, Folha de S. Paulo, Artigo “De Apóstolo do Brasil a santo: a consagração póstuma e a construção de uma memória sobre o padre jesuíta José de Anchieta (1534-1597)”.


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você tem alguma informação bacana de Itupeva e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: jornalismo.itupeva@solutudo.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui