O seu Carlos Alonso, de 91 anos, já compôs cerca de 200 músicas caipiras e muitas poesias. Nascido em Itatinga, morou em Avaré na infância, onde conheceu e se apaixonou pela música. Filho de pai administrador de fazenda, ele foi influenciado pelo estilo musical desde muito cedo.

“Já gostava da música caipira desde garoto, quando tinha dez anos ouvia muito Tonico e Tinoco na rádio e outros cantores”, conta ele.

Aprendeu a tocar viola com poucas aulas com um conhecido. Ele observava bastante quando alguém tocava perto dele para aprender cada vez mais sobre o curioso instrumento. “O negócio é gostar, se gostar aí vai para frente” , fala seu Carlos.

Foto: arquivo pessoal do seu Carlos

Sonho e carreira

Apesar da paixão do seu Carlos por compor, ele buscou conciliar o sonho com o trabalho que exercia. Foi motorista de diretoria durante 30 anos em quatro empresas em São Paulo. Felizmente, quando voltou para Avaré há 22 anos atrás, pôde se dedicar integralmente a música. Fundando até mesmo uma reunião muito famosa em Avaré.

Clube da Viola

Em 2001, seu Carlos criou o Clube da Viola que durou 16 anos. Todos os domingos diversos violeiros da região se reuniam inicialmente no Centro Comunitário (ao longo dos vários anos, o lugar do encontro mudou). Onde os artistas se reuniam para cantar e celebrar a música caipira. Seu Carlos investiu no projeto com recursos pessoais. O evento deu bons frutos, por meio dos deles seu Carlos também se tornou produtor de algumas duplas. As quais gravaram vários cds com músicas de sua autoria, chegando até a acompanhá-los em programas de televisão.

Composição

Seu Carlos conta que a inspiração para escrever tantas músicas acontecem muito naturalmente. “A inspiração surge de um personagem qualquer”, conta ele. Depois do processo de composição, vem a métrica da música, uma parte mais “complicada” como o artista fala.

A posição do instrumento tem que ser de acordo com a palavra da música. O tempo tem que estar certo (sendo necessário em muito casos cortar ou aumentar uma palavra) para ter harmonia. Atualmente, o artista continua compondo e participando de um grupo literário em Avaré.

Centro Literário Anita Ferreira De Maria

A cada uma vez por mês (preferencialmente, a terceira quinta-feira do mês) é realizada uma reunião com cerca de 15 poetas avareenses para recitarem poesias no Centro Cultural. O encontro já ocorre há 13 anos, fez uma pausa durante a pandemia e recentemente retornou. Seu Carlos conta que “sempre tem alguém que também faz a parte musical com uma viola e acompanha”.


Que história de persistência e amor a música do seu Carlos!!

Você já conhecia este talento de Avaré? Conta pra a gente nos comentários!!


Se você tiver alguma história bacana de Avaré, manda para a gente pelo e-mail: [email protected]


5/5 - (2 votes)

1 COMENTÁRIO

  1. Sr Carlos Alonso , um prazer imenso , uma honra para mim ter feito parte da história desse grande artista .
    Um grande abraço e que Deus abençoe sempre🙏🏾

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui