Hoje, iremos conhecer um pouco da história de Edmo José de Carvalho, mais conhecido como Parracho, um homem que fez imensa diferença na vida de muitas pessoas.

Técnico Parracho – Foto: Luciana Targino

Parracho

Nasceu em Santa Cruz do Rio Pardo, em 21 de novembro de 1948, 73 anos, é formado em Educação Física em Lins e pós-graduado em Didática e filho de seu Toninho e Dona Doroti. Ainda pequeno mudou-se para Maracaí, onde iniciou seus estudos e a paixão pelos esportes. Lá, casou-se com Jacira, sua primeira namorada, e com ela tem dois filhos, Emanuel e Elton. Em 1960, mudou-se para Assis, tornando a cidade seu lar.  

Parracho e sua esposa Jacira – Foto: Luciana Targino

“Minha infância foi uma infância muito feliz, com uma família tranquila. Sempre vivi em meio a todas as classes sociais e aprendi muito com todos a minha volta. Utilizei muito do que aprendi com os meus colegas e transformei em sucesso”, diz Parracho.

O início de tudo

O pai, Prefeito de Maracaí na época, se relacionava com muitas pessoas e algumas delas enxergou algo a mais no professor, sempre o alertava pela sua resistência e o interesse em brincar com as palavras e a matemática. Para sua época, o professor sempre foi a frente da maioria, tinha interesses distintos, inclusive em Psicologia.

Equipe de atletismo de Assis – Arquivo pessoal: Julio Cesar

“São duas pessoas importantes em minha vida. É Vivaldo Batista de Souza que com poucas palavras me orientou e tem grande importância para a minha formação. Outro homem é Ezequiel Cesário Garcia, este homem viu minha resistência, viu a minha velocidade, ele tinha bons ensinamentos, eu aprendi com ele o que era resistência e o que era velocidade. Ao longo dos anos, com muito estudo, me aperfeiçoei e criei a frase: ‘Meus atletas estão voando baixo’”, conta o professor.

Arquivo pessoal: Professor Parracho

Professor Parracho é um homem de coração nobre, comprometido, estudioso e pesquisador nato que criou uma escola para crianças especiais. Por muitos anos, funcionou no Centro Social Urbano, fazendo a diferença na vida de todas aquelas crianças e famílias, contribuindo para que Assis recebesse um prêmio da UNICEF.

Arquivo pessoal: Professor Parracho

“Esta foto é especial para mim, ela tem o olhar de esperanças nos pais que deixavam seus filhos, muitas vezes vinham pela necessidade de que passavam”, confessa Parracho.

Parracho sempre teve pessoas comprometidas ao seu lado, responsável por desenvolver técnicas, incentivando seus atletas e tornando-os campeões. “Eu e o professor Goldinho de matemática (também atleta) desenvolvemos alguns exercícios e algumas técnicas para aplicar nos meus atletas que foram o sucesso que foram”, diz o professor.

Arquivo pessoal: Julio Cesar

Ele não pensava somente em desenvolver as habilidades de seus atletas, além do treinamento físico, ele trabalhava também o psicológico. “Os treinamentos que eram rígidos demais, duros demais, eu comecei a aplicar muita psicologia neles, tornando-os leves, transformamos meninos e meninas que tinham dificuldades”, comenta o professor.

Campeão na natação e no atletismo por inúmeras vezes, por volta dos anos 70, tornando seu tempo no esporte memorável, era notícia em todos os meios de comunicação da época.

Confira alguma delas:

Arquivo pessoal: Julio Cesar
Arquivo pessoal: Julio Cesar
Arquivo pessoal: Julio Cesar

Momento marcante

Ao longo de todos esses anos treinando, ensinando e se dedicando, ele diz ser muito difícil dizer qual foi o momento mais marcante, porque foram vários, várias fases e várias vidas impactadas.

“Foram vários momentos de você chegar numa Vila e ver uma menina correndo atrás de umas cabritas, em cima de um monte de meias, por exemplo. Na mesma hora pensei: não é uma menina, é uma craque, e não era uma, eram duas, essas meninas se transformaram, foram para o Projeto Futuro e tornaram-se respeitadas no Brasil todo. As meninas que corriam descalças”, relata Parracho muito emocionado.

Arquivo pessoal: Julio Cesar

Simplesmente, um ser humano fantástico! Ajudou muitas crianças tirando elas da rua com ajuda de vestuário e com alimentação, para que eles não desistissem do atletismo e, principalmente, da vida. Sempre foi um ‘paizão’ para os seus atletas, tornando-os seres humanos de sucesso, cada um em sua caminhada. E a maioria, atualmente, ocupa cargos importantes em suas profissões. Ele não só incentivava nos esportes, mas para o futuro de cada um, sempre quis ver a felicidade de todos eles.

“Não era primeira vista só no esporte, era algo a mais, nós tínhamos a psicologia, tínhamos a matemática, tínhamos a física e tudo nosso era treinado”, diz Parracho.

Foto: Departamento de Comunicação PMA

PAI-RRACHO como muitos o chamam, tem dois filhos biológicos, mas com toda certeza ao longo de sua vivência no atletismo adotou centenas de filhos pelo coração, confira a homenagem que alguns deles fizeram:

Técnico Parracho e Angelina (uma das meninas que corriam descalças) – Foto: Luciana Targino

“Ele que me tirou (bem dizer) das ruas, porque eu só cuidada das cabritas da minha mãe, ele viu um futuro em mim, amo minha história! Para quem não tinha roupa e sapato, me tornei campeã. É um orgulho! Pois, me tornei campeã não só nas pistas, mas também na vida” – Angelina Malaquias da Silva, ex-atleta de Parracho.

“Quando penso em minha trajetória de vida, há um espaço enorme preenchido pela memória viva do Senhor Parracho, que muitas vezes sem dizer uma só palavra deixou mensagens muito claras, você pode tudo o que quiser se dedicar e acreditar; foi o que eu fiz. Sua participação em minha história se faz presente até hoje, digo isto porque tudo que vivo e desfruto é reflexo direto de muitas ações e incentivos que recebi e da minha dedicação em acreditar que tudo é possível, não importa o quanto difícil é, vá lá e faça a sua parte e, fatalmente, os resultados virão. Ele quis que eu fosse muito mais que uma simples atleta e eu acreditei, ele me oportunizou alimentar muito mais que meu corpo físico, ele me possibilitou preencher a minha alma e, hoje, sou o que sou, por isso serei eternamente grata ao Senhor Edmo de Carvalho, para mim, simplesmente, Seu Parracho” – Maria Helena Ferreira Santos, professora de Educação Física, Pedagoga e futura pós-graduada em TEA.

Julio Cesar e Técnico Parracho na abertura do 63º Jogos Regionais de Assis – Arquivo pessoal: Julio Cesar

“Conheci o Professor Edmo José de Carvalho (Parracho) no mesmo ano que iniciei a quinta série (na escola Leo Pizzato), pois, ele dava aula de Educação Física (vôlei, futebol, handebol, atletismo e etc…) com um olhar atento e em busca de novos talentos para o atletismo de Assis-SP. Observava todos os alunos com muita dedicação, sempre incentivando e nos orientando para um futuro melhor. O que significa o Professor Parracho em minha vida? (Pai-rracho/Pairracho) Foi um pai para mim, me tirou das ruas (naquele tempo nós, crianças, passávamos muitas horas do dia nas ruas), me oportunizou coisas que eu nem imaginava viver, me orientou a estudar e ter uma profissão, foi um divisor de águas, um ser iluminado que Deus providenciou em minha vida para me guiar e apoiar. É com enorme satisfação que posso chamá-lo de padrinho e amigo e peço a Deus em minhas orações que o proteja e guarde sempre. Enfim, o Professor Parracho merece tudo de bom, ele é alguém que fez e faz a diferença com seus bons ensinamentos” – Júlio Cesar da Silva, Agente Penitenciário Aposentado, formado em História (Unesp/Assis) e Pedagogia (Univesp/Assis).

“Sua orientação e apoio foram muito importantes para minha vida. Nunca esquecerei o que fez por mim. Muito obrigado” – Elza Maria dos Santos Camargo, professora de Educação Física.

“Parracho, para mim, significa tudo! Vitória, superação, força e a pessoa que amo muito” – Cilene, ex-atleta.

Parracho e Clorivaldo – Arquivo pessoal: Clorivaldo

“Parracho! Professor, técnico, “paizão”, mestre e, principalmente, amigo. Exemplo para nós no sentindo mais amplo da palavra. Buscando mais do que nossos melhores resultados nas pistas, sempre se preocupou com a formação escolar, profissional e pessoal de seus atletas. Nunca se limitava apenas aos treinos e competições. Foram incontáveis as vezes que foi até as casas dos atletas para conversar com seus pais quando alguém deixava de comparecer aos treinos ou apresentava algum problema pessoal/familiar. Grande incentivador da educação, conseguiu que vários atletas concluíssem o ensino superior em diversas áreas do conhecimento. Lapidou atletas nas pistas e formou cidadãos para o Brasil. Exemplo de ser humano que nos inspira por toda vida” – Clorivaldo Laurindo Ribeiro, Oficial de Marinha – Capitão de Mar e Guerra, na Marinha corresponde a Coronel no Exército ou Polícia Militar.

Poderia incluir vários outros atletas que passaram pelo professor Parracho e são muitos, mas quem conhece ele sabe que o amor pelo atletismo e pelos seus alunos é inquestionável.

Angelina e Professor Parracho, homenageado pelos seus atletas na abertura do 63ª Jogos Regionais de Assis – Foto: Jean Galvão

Como professor fundou o curso de Contabilidade no Colégio Pedro D’Arcádia com escritório modelo em Maracaí, fundou o curso de Contabilidade com escritório modelo em Assis no Instituto de Educação, fundou a Escola modelo de Técnicas Comerciais em Florínea e fundou o escritório modelo de Datilografia no Colégio Theófilo Elias, todos pelo Estado em Assis.

Conseguiu na faculdade de psicologia testes vocacionais para diversos alunos e obteve resultados fantásticos, como os profissionais na Marinha, Deputada Federal por Rondônia, Engenheiros, Advogados e Contabilistas, todos seguindo orientações e fazendo muito sucesso.

Foto: Departamento de Comunicação PMA

O legado

Professor Parracho diz estar se preparando para o que a vida tem para ele e quer deixar um legado.

“Estou caminhando para meu destino, me preparando, mas deixo meu legado: a honestidade e o amor. Não se constrói nada sem amor. Eu peço a Deus todos os dias que o homem se torne mais humano, mais verdadeiro, que possa sempre doar, doar e doar. Doar um sorriso, doar uma mão na cabeça, doar um abraço. Tem muita gente que em tantos anos vividos nunca recebeu um abraço, um beijo na face. Doe, beije muito, abrace muito, acarinhe muito, o mundo precisa de amor. Doe muito amor”, conclui o professor.

Realmente, Parracho merece todo reconhecimento e carinho de todos por ter realizado um grande trabalho na nossa sociedade. 


Que ser humano incrível! Você já conhecia a história do professor Parracho? Adoraria saber! 💜


Para ficar por dentro de tudo que acontece por aqui, siga a Solutudo Assis nas redes sociais:

CLIQUE AQUI PARA O FACEBOOK!

CLIQUE AQUI PARA O INSTAGRAM!


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você conhece alguma história bacana da cidade de Assis e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: [email protected] ou fale com a autora!

4.3/5 - (9 votes)

3 COMENTÁRIOS

  1. Apenas como uma correção:
    O Edmo (parracho) mudou-se para Assis entre 1963 e 1965;
    Seu pai não se chamava Antonio (toninho), mas sim Antonino José de Carvalho (meu padrinho);
    Onde consta Ezequiel, trata-se de Ezequias Cesário Garcia.
    Obs: o Edmo é uma espécie de irmão pra mim, sou filho do Vivaldo Batista de Souza, que considerava o Edmo como seu filho.

  2. Meu conterrâneo na década de 60 em MARACAÍ. Na escola, nas ruas filho do querido prefeito Antonino José de Carvalho mais tarde já na mocidade aparece por lá sua irmã Edna como nossa professora. Feliz em saber dessa trajetória. Parabéns Edmo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui