Sou pai sim, ele é meu filho!!! E sinto muito orgulho disso!!!

0
452

Hoje nosso papo foi com o Jordan, que tem uma história inspiradora para nos contar.

Casado desde 2011 com a Mairele e como quase todo casal sempre sonhavam em ter filhos. Pelo acaso do destino e vontade de Deus, depois de algum tempo, descobriram que não poderiam ter filhos de forma natural.

Sua esposa, como a maioria das mulheres, sonhava em ser mãe. Claro que ele também tinha vontade de ser pai, não com a mesma intensidade de sua esposa, mas tinha. Contou Jordan.

A princípio, tentaram inseminação artificial. Fizeram duas tentativas, todas sem sucesso. Jordan conta que o tratamento foi bem difícil e cansativo.

Após a segunda tentativa fracassada, sua esposa ficou muito triste e chateada, e assim tomou a decisão de buscar uma alternativa para seu grande sonho e decidiu ir ao Fórum para saber mais informações sobre o processo de adoção.

Como funciona o processo de adoção?

Jordan nos explicou que, para quem tem a vontade de entrar com um processo de adoção, o primeiro passo é buscar as informações necessárias junto à justiça, e assim darem entrada ao processo de adoção, logo depois foram chamados para fazerem um curso de 2 dias com o corpo jurídico do fórum. Nesse processo tinham vários tipos de casais que também estavam no processo de adoção, casais que já tinham filhos e queriam adotar mais um, alguns que perderam o filho e decidiram adotar e casais como nós.

Após o curso e todo o acompanhamento durante o ano de 2016, receberam a feliz notícia de que estavam aptos a adotar. Durante todo esse processo, tiveram o apoio de assistente social e psicológico. A orientação da assistente social e da psicóloga no processo era de que poderia demorar até três anos de espera na fila da adoção, tinham que ter esperança e paciência.

Jordan desabafa, que o que mais sentiu falta, é de um acompanhamento pós-adoção, não há esse suporte.

“Não estou cobrando nada, mas senti falta…”

Segunda ele, a justiça poderia criar esse suporte juntamente com os pais adotantes, até mesmo quem sabe criando um grupo para trocar experiências, para se ajudarem, para se sentirem mais tranquilos. Acredita que deveria ter esse acompanhamento.

E quando veio a notícia?

No dia 7 de dezembro de 2016, sua esposa recebeu uma ligação, era do Fórum.  A pessoa que ligou, era a Ludmylla, assistente do Juiz e amiga do casal.

Ela perguntou para a Mairele:

“Você está preparada para ser mãe? Vai lá para ver seu filho.”

Jordan e Mairele levaram um susto, pois ainda não tinha se preparado, ainda não tinha quarto, nem roupa, o processo foi mais rápido que o esperado.

“Quando a mulher engravida, ela tem 9 meses para se preparar…”

“…foi aquele negócio né, desorientou a cabeça…”

E assim, foram no lar transitório para ver a criança. Jordan conta, que sua esposa foi chorando desde a hora que recebeu a notícia.

E o encontro, como foi?

Chegando lá, o Theo estava todo pronto para recebê-los, bem arrumadinho, de banho tomado, todo cheiroso e um pouco assustado tadinho.

“… foi paixão à primeira vista…”

Na época, Theo tinha aproximadamente 1 ano e 2 meses.

Após vê-lo, eles se apaixonaram pela criança. No início, Jordan ficou meio relutante, já tinha feito outros compromissos financeiros e etc. “Ai meu Deus e agora, né!!”

Após o primeiro contato, eles foram visitar todos os dias a criança no lar transitório, para assim, ser criado um vínculo, ou pelo menos o início do vínculo, pois o vínculo mesmo é criado após a criança estar na sua casa, aos seus cuidados, segundo Jordan.

No dia 13 de dezembro de 2016, receberam pela justiça a guarda provisória de Theo, ainda não estava com o nome deles, mas estava em processo para ser destituído da família originaria.

E como foi a adaptação?

Após dez dias, levou ele para a primeira viagem, era o primeiro Natal da família…

“…foi punk viu…”

Theo acordava de madrugada, no início foi bem complicado, até o casal acostumar com a nova rotina.

Ele aprendeu a andar e falar com o casal, as primeiras palavras da criança, foi “mamãe e papai.”

Theo, Jordan e Mairele.

E como está hoje?

Hoje em dia, Theo tem 3 anos, já está frequentando a creche, e é uma criança muito ativa.

Theo tem uma irmã mais velha, sabemos que foi adotada por outra família. Nós queremos que ele futuramente tenha contato com essa irmã, e querem que os dois criem vínculos de irmão e de amizade.

Jordan diz que o amor é construído diariamente, ama o filho incondicionalmente, e cada dia ama ainda mais, existem grandes desafios e barreiras, mas nada além do normal.

Eu sou pai de coração, um coração que não tem tamanho!!!!

Ressalta também que não tem essa história de estar criando…

“Ele é meu filho, nós somos verdadeiramente os pais dele, e somos pais de coração, o que eu acho mais bonito…”

Um conselho de amigo e pai:

Para quem quer adotar, Jordan conta, existem muitos desafios, tem que ter muita vontade, e paciência.

“O que acho que principalmente deve ter é amor, muito, muito, muito amor.”

Uma história de muita alegria e que existe um amor de pai muito grande, que apesar de todas as dificuldades que são enfrentadas, como Jordan fala, não pode faltar AMOR.

“Muito amor e alegria para todos os PAIS de nossa querida cidade independente de qual tipo de Pai você é. Pois onde existe amor, existe tudo!”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui