Tenho certeza de que você já escutou por aí a palavra “camuflagem”. Aliás, o que lhe vem à cabeça quando se depara com ela? Talvez, pelo senso comum, você imagine alguém se escondendo ou até mesmo um camaleão mudando de cor. No entanto, ela pode ter um sentido bastante diferente desses.

A body designer Silvia Gabriele Barbosa trabalha realizando camuflagens estéticas, um conceito novo em Bauru e que vem fazendo muito sucesso entre homens e mulheres que buscam um cuidado a mais com a pele.

A técnica consiste na aplicação de pigmentos sobre marcas como estrias, cicatrizes e olheiras de modo a “camuflá-las”, devolvendo assim o tom original da pele da pessoa nessas regiões.

Apesar de ser visto como um procedimento estético, Silvia afirma que a camuflagem vai muito além disso. “O meu foco sempre foi a busca por ajudar aquelas pessoas que possuem não só um problema estético, mas de saúde.” Desta forma, a body designer percebeu que o seu trabalho era capaz de devolver a autoestima para muita gente. “Comecei a ver que as pessoa buscavam a camuflagem não só pela beleza, mas porque aquilo [marcas e cicatrizes] realmente as incomodavam. Têm pessoas que se sentem muito mal com estrias de gestação, homens também, como os que fazem academia. Não é só uma questão puramente estética, visual. É uma coisa que incomoda no íntimo.”

Foi unindo a sua vocação para as artes com muito estudo e cursos na área de micropigmentação que Silvia chegou ao seu trabalho atual. “Tenho uma base artística muito boa, possuo formação acadêmica em design, e essa questão de mistura de cor, de chegar a melhor tonalidade para a pele, eu sempre gostei muito”, conta a especialista.

(Foto: Karolyne Silva)

Camuflagem é tatuagem?

Essa é uma dúvida comum de quem busca o procedimento. Afinal, se são utilizados agulha e pigmento, seria a camuflagem uma tatuagem igual as artísticas?

Silvia explica que não, as duas coisas são diferentes. Antigamente era comum que as pessoas fizessem tatuagens artísticas para cobrir marcas e cicatrizes, mas não é disso que se trata a camuflagem. “Não é simplesmente fazer um desenho na pele para esconder uma marca indesejada, eu quero recuperar a autoestima dessas pessoas.”

Além disso, existem diferenças técnicas entre os dois métodos. Enquanto a tatuagem introduz o pigmento em uma camada mais profunda, a derme, a coloração da camuflagem se concentra na epiderme, camada mais superficial.

Por se tratar de um trabalho delicado, a camuflagem também utiliza um aparelho próprio, com agulhas e pigmentos desenvolvidos especialmente para o método. Por fim, a técnica utilizada pela body designer é praticamente indolor devido ao uso de cremes anestésicos, ao contrário das tattoos.

Aplicações

De um modo geral, a técnica da camuflagem pode ser utilizada para cobrir diversas marcas pelo corpo. Silvia nos conta que os trabalhos mais procurados envolvem estrias, cicatrizes e olheiras.

Mas as vezes é necessário realizar uma etapa antes de partir para o procedimento. Tudo depende do estado das marcas. Por exemplo, no caso de estrias muito flácidas, a body designer utiliza uma técnica chamada reconstrução dérmica. Ela consiste em aplicar ativos na pele, de modo a facilitar a fixação do pigmento. “Esses ativos são de alta performance que conseguem fazer a pele regenerar sua estrutura interna, é um trabalho de dentro para fora”.

(Foto: Karolyne Silva)

O procedimento também atua como camuflagem capilar para disfarçar a calvície, desde que não seja muito acentuada. O couro cabeludo é escurecido, o que passa a sensação de um maior volume de cabelo. Outra possibilidade é a camuflagem para vitiligo, uma doença autoimune em que a pele vai perdendo coloração.

Micropigmentação paramédica

Silvia explica que a camuflagem também pode ser utilizada para a reconstrução ou reposicionamento da aréola mamária. É indicado para mulheres que fizeram mastectomia em decorrência do câncer de mama ou cirurgias como colocação de prótese e redução mamária. “Antigamente as pessoas faziam uma tatuagem porque não havia profissionais que fizessem essa reconstrução. Hoje conseguimos redesenhar realisticamente as aréolas.”

Um trabalho conjunto

Como já dissemos, o trabalho de camuflagem realizado pela body designer pode ajudar, e muito, a devolver a autoestima para pessoas que não se sentem bem com certas marcas pelo corpo, ou mesmo passaram por intervenções cirúrgicas. No entanto, o resultado do trabalho não depende exclusivamente da profissional.

A camuflagem é como uma maquiagem permanente, “a pessoa também tem que cuidar, por conta do sol, da renovação celular, e do envelhecimento da pele” . Para que ela dure bastante tempo e mantenha a tonalidade, é necessário se proteger utilizando bons protetores solares e hidratantes.

Além disso, Silvia explica que é fundamental realizar uma avaliação presencial, pois cada caso deve ser tratado individualmente, de acordo com suas especificidades.

Serviço

Camuflagem Estetica Silvia Gabriele Barbosa
Endereço: Rua Saint Martin, 23-09 – Vila Santa Tereza
Telefone: (14) 99118-2508
Facebook: www.facebook.com/SilviaGabrieleCamuflagemEstetica/
Instagram: www.instagram.com/camuflagem_estetica
Site: camuflagemestetica.com.br/


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você conhece alguma história bacana de Bauru e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: [email protected]r

4.9/5 - (12 votes)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui