Já é hábito para a maioria de nós, na hora da fome, pegar o celular, abrir algum aplicativo de entrega de comida e, em dois ou três toques, pedir aquele lanchão ou mesmo o jantar com a mesma facilidade que dar um ‘amei’ no Facebook. E nem é preciso falar que toda essa praticidade se tornou mais do que corriqueira nestes tempos de pandemia por causa principalmente de uma preocupação: segurança.

Foi justamente pela segurança tanto do homem do campo como também dos responsáveis pelas compras de frutas, legumes e vegetais dos restaurantes, que o aplicativo Hort-e (pronuncia-se “órtí”) foi criado. Rafael Montanhez, gestor comercial especialista em Sucesso do Cliente, co-fundador e CEO da Hort-e, explica que, além do fator segurança, o aplicativo gratuito para smartphones proporciona a conexão direta entre produtores rurais e estabelecimentos, eliminando intermediários e melhorando os custos para ambos.

(Foto: Camila Tibério – G1/ Reprodução)

“Cada produtor cadastrado coloca seus produtos à venda em forma de lote, delimitando período de disponibilidade para a oferta e a data que vai entregar, ou seja, controle total sobre a venda nas mãos do produtor”, explica Rafael. O gestor acrescenta que os bares e restaurantes, por sua vez, compram o quanto precisam dentro da quantia ofertada. “No final, o produtor vende em boa quantidade, e os restaurantes compram coletivamente o produto mais fresco que o mercado oferece, por preços excelentes, sem nem precisar sair do estabelecimento. É uma relação de ganha-ganha sem precedentes!”

Saídas para a Pandemia

A ideia do Hort-e surgiu durante a maratona de programação Sancathon 2020, organizada pela USP de São Carlos e voltada especificamente para soluções que ajudassem os restaurantes a se recuperarem da crise imposta pela Covid-19. “Na competição ficamos em terceiro lugar, mas com um gostinho de primeiro! Os dois primeiros colocados eram projetos nascidos anteriores ao evento, já se consolidando no mercado e com clientes reais usando o produto. Mas a Hort-e nasceu ali, os fundadores se conheceram ali, em apenas duas semanas conseguimos pensar e prototificar uma solução completa”, exalta Rafael.

“Durante o estudo das dores do mercado, olhamos para o desafio que os restaurantes têm que é baixar custos enquanto ganha qualidade no produto final. Analisamos os canais de compra de insumos, e encontramos essa desconexão com os produtores rurais. Um restaurante sozinho dificilmente tem volume de compra suficiente para render um bom custo-benefício na compra direta dos produtores”, conta o gestor.

“Conversando com produtores da região rural de Itatiba, cidade onde moro, ficou claro que estavam com muita dificuldade na venda e havia interesse em um método eficaz para vender aos restaurantes, além de se sentirem reféns dos preços normalmente praticados pelos distribuidores. Tudo que fizemos foi ligar os pontos, e surgiu a Hort-e.”

Escolha por Jundiaí

Segundo o gestor do aplicativo, Jundiaí foi escolhida como a primeira cidade a usufruir da estrutura do serviço por ser uma terra fértil para os testes do Hort-e: “cerca de 95% dos agricultores da cidade são pequenos e médios produtores familiares, que além da crise da pandemia ainda enfrentaram estiagem no ano de 2020. A gastronomia da cidade é rica e diversa, mas não conta com a facilidade de compra de insumos dos grandes centros”.

Jundiaí conta com um cenário favorável à inovação, e a aceitação foi muito boa. Acabou sendo bem fácil convencer as pessoas a experimentar o aplicativo, e elas mesmas nos indicaram amigos e parceiros para participar do experimento também. Nos sentimos acolhidos!

O aplicativo está em versão Beta e apenas disponível para Android. Os testes foram realizados com um grupo restrito de produtores e restaurantes da cidade para avaliar as funcionalidades e coletar comentários, e atualmente a equipe está trabalhando para implantar as melhorias, disponibilizar uma versão também para iOS, e lançar ao público-alvo em meados de janeiro de 2021.

Futuro do Hort-e

Rafael acredita que os 8 integrantes do atual time da Hort-e ainda têm uma longa, mas brilhante jornada pela frente para tornar a plataforma a solução definitiva para compra e venda de insumos. “Pretendemos permitir a “uberização” das entregas, criar ferramentas de redução de desperdício, programas de reconhecimento de qualidade e mapeamento de mercado usando inteligência artificial. Vamos dar um passo de cada vez, estamos abrindo a empresa e operando sem investimento financeiro e isso limita um pouco nossa velocidade de desenvolvimento e tração.”

Acreditamos que a Hort-e será a ferramenta que vai trazer de volta o brilho aos olhos do homem do campo, trazendo mais renda e valor, ao mesmo tempo que ajuda os restaurantes a prosperar e permite mais qualidade e saúde no prato que chega ao consumidor final.


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você tem alguma informação bacana de Jundiaí e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: jornalismo.jundiai@solutudo.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui