As histórias mais comuns sobre pessoas e animais envolvem pets como gatos e cachorros. Determinadas vezes, estas histórias podem ir além sem nunca ter vivido em um meio propício para a prática de atividades equestres a conexão entre humanos e cavalos. É algo que se torna muito mais do que um domínio sobre o animal, são conexões como se dois corações estivessem ligados por um elo em comum, a liberdade.

Fernanda Rosolino, idealizadora do Centro Equestre Liberdade, conta um pouco do seu propósito para a gente. Formada em Arquitetura, desde criança apresenta um fascínio em relação à cavalos. Os anos passam e a Fer se torna arquiteta, algo meio distante do seu sonho em trabalhar com equestres, até o momento do seu TCC. Seu projeto foi batizado de Centro Equestre Liberdade (CEL) e estaria localizado na cidade do Rio de Janeiro, a ideia era ser um centro para a prática de atividades equestres.

Bem, esse foi apenas o TCC. Se formou e mudou para Boituva quando surgiu a oportunidade de comprar uma chácara na cidade. Com a propriedade vem a ideia de ter cavalos. Fernanda adquiriu o seu primeiro amigo equestre. Ainda em Boituva, surgiu uma ideia de “por que não montar o CEL aqui?”, e seu sonho se torna realidade, lógico que com algumas mudanças. 

Centro Equestre com Baias projetadas pela Fernanda – Foto: Fernanda Rosolino

O CEL não é apenas um centro equestre, é muito mais do que isso. As atividades idealizadas por Fernanda vão muito além de uma simples aula de hipismo, ela foge do convencionalismo, como o nome já fala “Liberdade”. Fernanda ensina as pessoas a terem uma real conexão com os cavalos, não usa nada que os prendam, como embocaduras, selas muito pesadas ou desconfortáveis para o animal.

Fernanda acredita que o cavalo deve ser livre e que a liberdade é a única coisa que garante uma real conexão de amor entre o equino e o ser humano. 

“Quando eu estava treinando o hipismo livre, percebi que a relação entre eu e eles mudou muito, existia muito mais calma, até mesmo com o Malcolm que é um cavalo mais agitado, isso foi tão lindo”, relata Fernanda 

Fernanda Rosolino e seu amigo equestre – Foto: Fernanda Rosolino

Um dos grandes desafios enfrentados pela Fer é o preconceito das próprias pessoas do meio equestre, que veem a equitação livre como uma coisa de outro mundo. Devido a isso, ela acaba recebendo muitas críticas, porém segue tranquila entendendo que aquilo que ela passa um dia se tornará maior e as pessoas poderão entender o que é a real conexão com um cavalo ou qualquer outro animal por meio da liberdade.

“O mundo precisa ver esta forma linda de conexão, se está dando certo para mim, porque não pode dar certo para outras pessoas?”, ressalta Fernanda 

Para o futuro, Fernanda pretende expandir o propósito da liberdade entre humano e animal, o espaço agora começará a receber cavalos de fora para este treinamento, mostrando para as pessoas que é possível uma conexão de respeito e liberdade entre cavalos e humanos.

Para conhecer a página no Instagram, clique aqui.


Você já conhecia esta modalidade de conexão entre cavalos e humanos? Conta pra a gente, aproveita e tira uma foto sua com um amigo equino marcando a @solutudo.boituva no instagram. 


Gostou do conteúdo? Nosso aplicativo está recheado de boas histórias de Boituva. Baixe agora mesmo e descubra um mundo de possibilidades!

Para baixar para Android clique aqui
Para baixar para IOS (Iphone) clique aqui


Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você conhece alguma história bacana de Boituva e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: [email protected]

SolutudoDeBom! Obrigado por ler, e confiar em nós. A nossa missão é ajudar você a conhecer melhor a cidade em que vive! 💜

Nos siga nas redes sociais.

Fale com o autor

Avalie este conteúdo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui