Tem coisas que nos fazem felizes e emocionam no meio da nossa correria do dia-a-dia. A história que vamos contar agora é assim, inspiradora e cheia de amor.

Inaiara (22) e Guilherme (23) são dois jovens apaixonados e que estão lutando por um sonho: o casamento.

Inaiara chegou a Bauru aos três anos de idade com a família. Aos nove, mudou-se para São Paulo devido ao trabalho da mãe, mas em 2016 retornaram à Bauru, ano em que a sua história com Guilherme, nascido e criado em Bauru, foi cruzada.

O casal se conheceu no trabalho em abril de 2016. Com o passar do tempo o interesse um pelo outro foi surgindo nos dois.

Segundo o casal, eles engataram um relacionamento baseado em muitas orações, pois acreditam que um namoro sem um propósito é apenas mais um relacionamento.

Em 3 de dezembro de 2016, Guilherme oficializou o pedido de namoro. “Foi lindo”, diz Inaiara. O jovem também oficializou o pedido para a família dela.

Os planos

Como começaram a namorar jovens demais, esperaram um período para amadurecer e ter mais estabilidade para o casamento.

O casal ganhou uma bolsa parcial numa faculdade de Agudos, mas, quando tiveram a oportunidade de comprar um apartamento, foi preciso trancar a faculdade pois não conseguiriam arcar com todas as despesas.

A partir daí, tiveram a ideia de fazer uma bolachinha de leite condensado recheada para poder pagar as despesas do apartamento. Mas nada muito dedicado até o momento.

Um amigo do Guilherme lhes apresentou um novo doce, o qual ele tinha conseguido arcar com os custos de sua formatura através da venda: o alfajor.

Inaiara já conhecia o doce de quando fez curso técnico de nutrição, mas achou a receita do colega muito mais prática. A partir daí começaram a produção dos doces, no final de 2018.

As vendas eram feitas apenas no dia de pagamento e no final do mês, sem muito foco. Depois de um tempo, deram uma pausa nas vendas e durante as férias vendiam de vez em quando.

Decidiram ter uma conversa para saber dos valores que precisariam e que conseguiriam arrecadar se focassem e se dedicassem às vendas.

Neste meio tempo, ambos conseguiram bolsa de estudo, mas agora integral. Inaiara faz Administração e Guilherme faz curso técnico em edificações, mas pretende cursar Engenharia Civil.

O pedido de casamento

No dia 05 de setembro Guilherme preparou uma surpresa. Inaiara vai embora da faculdade de carona com uma amiga, que a levou ao Mc Donald’s neste dia. Ao chegarem lá, Inaiara deu de cara com sua família, amigos e um fotógrafo. “Tinha até violino!”, exclama a jovem. Ali, Guilherme a pediu em casamento oficialmente.

Alfamor. Casal no dia do noivado
Noivado do casal no Mc Donald’s. Foto: Arquivo Pessoal/Eternizar Fotografias

O local do pedido tem um motivo. Assim que começaram a engatar o relacionamento, o casal teve o primeiro “encontro” lá, no Mc Donald’s. É um lugar bastante importante para o casal, que relembra o início do namoro.

Alfamor. Casal no início do namoro e hoje.
À esquerda, o casal no primeiro dia no Mc Donald’s em 2016. À direita, atualmente no mesmo local. Foto: Arquivo Pessoal

O casamento e o Alfamor

O casamento já tem data marcada! No dia 05 de setembro de 2020 o casal vai celebrar essa união tão batalhada. Foi marcado com bastante antecedência para que pudessem se programar financeiramente e arcar com as despesas da cerimônia.

Em junho deste ano decidiram pegar firme nas vendas dos alfajores. Inaiara sugeriu que produzissem 80 doces por dia, porém Guilherme se assustou com a meta. Começaram então com 40 unidades por dia, mas começaram a perceber que estes 40 vendiam muito rápido.

A chácara onde será realizada a cerimônia, o fotógrafo e o buffet já foram fechados com o dinheiro das vendas! Os convites estão sendo feitos com uma amiga do casal e as lembranças dos padrinhos o próprio casal que está fazendo.

Além disso, os docinhos da festa e a decoração foram presentados ao casal. Demais, né?

A próxima meta para o casório é fechar o dia da noiva, o DJ, músicos, o vestido da noiva e o traje do noivo. Dá-lhe alfajor!

Alfamor
Via GIPHY

Rotina e produção do Alfamor

Os dois começam a produção do Alfamor no domingo de manhã. Eles produzem a quantidade para vender na segunda-feira. É tudo preparado apenas um dia antes, para que tudo esteja sempre fresquinho.

Eles saem do trabalho às 14h00, então, Inaiara vai para sua casa começar a preparar os doces do dia seguinte e Guilherme passa para retirar os produtos para vender. Ele sai da casa dela, que fica próximo ao Camélias e vai andando até o SENAI, onde faz seu curso técnico a noite.

Inaiara faz os doces até umas 18h30, quando sai para ir à faculdade. Sua avó a ajuda na produção, embalando os produtos.

É uma rotina bem puxada para o casal, que concilia trabalho, produção e vendas e os compromissos da igreja.

A recompensa

Além do financeiro, que é o objetivo principal do esforço na produção e venda dos alfajores, o casal vê uma recompensa enorme em todo o “projeto Alfamor”: o amor e carinho das pessoas.

Guilherme diz que todo o dinheiro arrecadado está sendo apenas uma consequência, pois todo feedback das pessoas, todo amor e ajuda é muito mais gratificante.

Inaiara se emociona ao dizer que faz cada doce com muito amor e que é bastante perfeccionista. “Além da pessoa ver a nossa história, que é contada pelo Guilherme na venda, quero que a pessoa sinta o amor ao morder o doce e sentir o recheio gostoso. É muito gratificante tudo isso”, completa.

Por fim, o casal acredita que chegará ao casamento sem nenhuma despesa pendente.

Alfamor e o alfajor

Pra quem quiser experimentar e ainda ajudar o casal, estão disponíveis nos recheios dos sabores doce de leite, leite ninho, morango e brigadeiro. Cada um custa R$ 2,50 no dinheiro. Para pagar no cartão, cada um sai R$ 2,75, mas acima de 100 unidades, mesmo no cartão, o alfajor sai por R$ 2,50.

Sem dúvida, as calorias não serão um problema, pois a causa é nobre! 😋

Eles aceitam encomendas para festas também, com pedidos acima de 100 unidades.

Para encomendar é só entrar em contato com eles através das informações abaixo:

Alfamor
Facebook: alfamor2020
Instagram: @alfamor2020
WhatsApp: (014) 99172-1301


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você conhece alguma história bacana de Bauru e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui