Patrão, superior, mandachuva… são muitos os sinônimos usados para denominar o ‘chefe‘ de um setor, equipe ou empresa. E atualmente, mais do que nunca, o mundo dos negócios tem preferido uma outra designação, mais condizente com os avanços necessários e alcançados até aqui: e esse termo é o de ‘líder‘.

Não é de hoje que o mercado discute as diferenças entre ‘chefe’ e ‘líder’. E como explica a profissional de RH e especialista em treinamento de lideranças, Elaine Ninzoli, elas vão muito além da simples nomenclatura. “O conceito vem mudando com tempo, hoje observamos que a questão da liderança está no comportamento. O chefe é aquele profissional que tem o foco nas tarefas, determinando o que precisa ser feito, se preocupando com o resultado. O líder também se preocupa com isso, porém a grande diferença está em seu comportamento. O líder inspira o entusiasmo nas pessoas, aconselha, tem maior foco no futuro e nas pessoas e, além de resultados, se preocupa com a missão da empresa.”

(Foto: Reprodução)

O caminho da liderança

Elaine aponta para a existência de diversos perfis de líderes, e acredita que a liderança pode ser aprendida desde que a pessoa tenha o desejo e objetivo de se tornar um líder. “Se você gosta de pessoas, gosta de conversar com as pessoas, se interessa genuinamente por elas e deseja conhecer o que elas têm de bom e o que precisam melhorar, já é um excelente passo para ser líder.”

A profissional observa que o líder só vai engajar a equipe se ele demonstrar essas características de forma genuína e pelo exemplo. “A equipe tem que ver nele o que ele pede para a equipe”, afirma. Ter uma boa comunicação, deixando claro o que espera de cada colaborador, e dizer a importância de cada um para a empresa atingir seus resultados, são exemplos de como o líder deve atuar. “Aí sim, ele tem grandes chances de engajar pessoas. A equipe do líder deve se orgulhar de pertencer àquela equipe.”

(Foto: Reprodução)

E, apesar de ser primordial conhecer o outro, só isso não basta. O processo para se tornar um líder, segundo Elaine, tem início com o autoconhecimento, implicando também na capacidade de reconhecer onde e como sua liderança será melhor aproveitada. “Se você não quer ser um líder, não tem problema nenhum. Pois muitas empresas promovem excelentes profissionais técnicos, com bastante tempo de casa e de confiança, a cargos de liderança, e que no final não dão certo naquela posição. A pessoa, portanto, era excelente como técnico, mas não como líder.”

Em um curso de liderança que fiz recentemente, aprendi uma regra muito interessante: a Regra dos 3 terços. O primeiro terço é você, o segundo terço é o outro e o último terço é o ambiente. Equilibrando isso ficará mais fácil liderar!

“Se você quer aumentar resultados, pense no perfil de líder que você precisa, principalmente em tempos de crise, como estamos vivendo agora. A crise nos traz impacto financeiro, impacto emocional e oportunidade de criar conexões e saídas juntos. O líder que passa com sucesso pela crise, provavelmente é aquele que também tinha sucesso antes da crise e o inverso também pode ser verdadeiro. A crise está nos mostrando que o bom líder vai ser bom, presencialmente ou em home office, não importando a modalidade, mas sobretudo o comportamento.”

(Foto: Reprodução)

Inspirações

Se você chegou até aqui e e não se enxergou como sendo um líder, calma e não esquente a cabeça, porque como a própria Elaine afirmou, a liderança pode ser aprendida! Se o seu caso é o oposto, e você se identificou como um líder, parabéns!

E, para ambos, tanto a Elaine como o Diretor (e líder 😜) da Solutudo Jundiaí e Itupeva, Gustavo Colturato, separaram algumas indicações interessantes para aprimorar, ou gerar, o líder que há em você! 😉💪

“Pensando em grandes líderes, me vem à cabeça o Papa Francisco. Aliás, se você não assistiu ao filme Dois Papas, assista! Também me vem a grande empresária e líder brasileira Luiza Helena Trajano, do Magazine Luiza; o Walt Disney, por toda persistência e resiliência que teve, e o Steve Jobs, pela paixão e superação”, indica Elaine. A especialista também aponta os conteúdos sobre vendas e empreendedorismo do empresário Ricardo Jordão, e do CEO da Solutudo, Rafael Somera.

Já Gustavo se inspira nos exemplos de Flávio Augusto da Silva, Geraldo Rufino e também do Rafael Somera. “Muitos livros e teorias também me inspiram e modelam. Mesmo escritos há muito tempo, acho extremamente atuais e inspiradoras as linhas trazidas por autores como Dale Carnegie e Napoleon Hill. Um livro que li esse ano e recomendo muito é o Gestão do Amanhã, do Sandro Magaldi e do José Salibi Neto“, sugere.

E você, o que ou quem te motiva e te inspira a ser um líder cada vez melhor? E como tem sido a trajetória rumo à liderança? Conta pra gente! 😄


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você conhece alguma história bacana da sua cidade e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui