Alô, alô, terra querida! Para comemorarmos o aniversário de Jundiaí, que este ano completa 364 aninhos, nós aqui da Solutudo bolamos uma série especial de reportagens mostrando os detalhes mais bacanas da terrinha! Até o dia 14 de dezembro, data do aniversário da cidade, o #JundiaíRaiz será o seu guia descontraído e completo de curiosidades e detalhes desta cidade maravilhosa que, cá entre nós, poderia ser a 8ª maravilha do mundo, né? Fala sério, que cidade! 🥰

Para abrir a série #JundiaíRaiz vamos viajar na maionese, pirar na batatinha, comer aquela coxinha de queijo na cidade… Vamos conhecer, (re)lembrar 5 pontos culinários importantíssimos aqui de Jundiaí. Bora, nessa? 🤩

Banner de divulgação da série #JundiaíRaiz, em roxo, com texto de divulgação acima, logo no meio, logo da Solutudo no canto direito abaixo e como imagem de fundo a Catedral Nossa Senhora do Desterro.
Vem com a gente conhecer a verdadeira Jundiaí! #JundiaíRaiz 😉

Coxinha de queijo: É DE JUNDIAÍIII!!!

A iguaria famosíssima em diversos cantos do Brasil é um clássico: uma massinha que envolve um recheio de carne de frango. Ummm. Mas aqui em Jundiaí, pra variar, o que já era bom ficou INCRÍVEL! Um comerciante aqui da cidade, o senhor Carlos Delbim, dono da Casa de Massas da Padroeira, lá em 1982 resolveu trocar o recheio de frango pelo queijo e… pronto! A melhor coisa criada depois de Jundiaí e da Turbaína veio ao mundo: a coxinha de queijo. 💕 E ó, não adianta chegar em outra cidade e pedir por ela que você definitivamente não irá encontrá-la. É tão coisa nossa que passou a pertencer, a partir de 2018, ao Patrimônio Cultural Imaterial da cidade. Isso na prática significa que a coxinha e toda sua história e importância será documentada e preservada para as futuras gerações. Muito legal, né?

Foto do criador da coxinha de queijo e uma das famosas coxinhas da #JundiaíRaiz.
Criador e criatura: Carlos Delbin foi quem, há 37 anos, inventou a coxinha de queijo. (Foto: Reprodução/Tribuna de Jundiaí)

Vamos pra cidade… tomar sorvete?

Sério, essa aqui acho que todo mundo já fez quando chegava ‘na cidade’: quando criança com a mãe, ou já adulto pra pagar boleto, a primeira coisa era passar pela Galeria Bocchino para tomar o famoso ‘sorvete da galeria’. A sorveteria, com quase meio século de existência, ainda é do mesmo dono desde a inauguração e sem dúvidas faz parte da vida de muitos jundiaienses. Uma deliciosa casquinha, um maravilhoso sundae, sempre acompanhados com uma colherzinha colorida…

Foto de 1956 e outra de 2018 da fachada da Galeria Bocchino, ponto famoso de Jundiaí
A Galeria Bocchino, projetada por Vasco Antônio Venchiarutti e inaugurada em 1956, é o lar do famoso sorvete. (Foto: Mauricio Ferreira/Reprodução)

Mirim Dog

Ainda no Centro, vamos de mais um point da cidade, e dessa vez QUE BAITA POINT, HEIN? Estamos falando do Mirim Dog, simplesmente a primeira lanchonete da cidade! SIM! A. PRIMEIRA. LANCHONETE. DE. JUNDIAÍ! A inauguração foi há mais de 50 anos e tipo, a lanchonete continua no mesmo lugar desde então e com um baita de um lanche! A lanchonete é um ícone da cidade! Até famosos que estavam de passagem por essas bandas deram as caras por lá: Roberto Carlos, Jô Soares, o cantor Peninha… Pois é, meus amigos, Jundiaí tem seu próprio Mc Donald’s! 😅

Programa da TVTec no cinquentenário do Mirim Dog!

Bolinho de carne (com queijo!) do Dito

Essa maravilha agora é bairrista! Saímos do Centro da cidade e partimos lá para a Vila Progresso, numa das esquinas da Samuel Martins. O Bar do Dito, como todo boteco de bairro, é especialista em: reunir os amigos, matar a sede da galera de passagem pela rua, ser o consolo dos que buscam afogar as mágoas… enfim! Ah, e ainda oferece o acompanhamento perfeito — e mais conhecido de seu cardápio: o famoso bolinho de carne com queijo (que até inspirou um bloco de carnaval do bairro da Vila Progresso, o ‘Carne com Queijo’!) faz sucesso há 38 anos, e surgiu da receita de um bolinho de batata com queijo da mulher do Dito. Olha só!

Bolinhos de carne com queijo e de batata com queijo do Dito, dignos de uma #JundiaíRaiz.
Como resistir, me fala?? (Foto: TripAdvisor/Reprodução)

Turbaína

Partimos agora ali para a região da Vila Arens, onde a famosa e ORIGINAL (cof cof, a original é jundiaiense, ok? 😝 ) Turbaína – ou Tubaína – foi criada e ainda hoje, após quase 90 anos, continua sendo produzida pela Ferráspari e fazendo sucesso. Afinal, qual jundiaiense que nunca comeu uma saborosa coxinha de queijo, ou um recheado pão com mortadela acompanhado de um copo de Turbaína trincaaando de gelado? Pois é, a bebida criada pelo italiano Pedro Pacini aqui mesmo em terras jundiaienses bem que poderia se tonar patrimônio da cidade, hein?

Foto de registro histórico dos funcionários com o criador da Turbaína, bebida da Ferráspari, outra joia de Jundiaí.
Orgulho jundiaiense: funcionários da Ferráspari com o criador da Turbaína, de jaleco branco. (Foto: Jundiaí Agora/ Reprodução)

Eita quanta coisa boa, hein?? Deu até fome! 😅 E por enquanto é isso, pessoal! Nossa série #JundiaíRaiz continuará nessa semana e na próxima com muita história e curiosidades da cidade e ó, queremos também que você participe! Mande ideias de matérias, conta pra gente as curiosidades sobre Jundiaí que só você sabe e, claro, você pode se declarar para essa cidade maravilhosa! Tá valendo de tudo se você ama Jundiaí! Só não esquece de contar pra gente, tá? 😉

Foto: TV Tec

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui