A pandemia pela qual estamos passando trouxe como uma das consequências o crescente desemprego no país. Em Araçatuba a realidade não é diferente: dezenas de profissionais perderam seus empregos e buscam novas oportunidades diariamente. Com isso em mente, a empresária araçatubense Mônica Fonseca pensou em uma maneira de ajudar o próximo, e assim deu início a um projeto que ajuda moradoras da cidade há quatro meses.

Mônica é proprietária da Malharia Monalisa, que atua há 20 anos na categoria de Uniformes e Malharia em Araçatuba. Durante a pandemia, ela deu início ao Projeto Dorcas – Aprendiz de Costureira, com o intuito de ajudar quem precisa de renda extra nesse período:

“É um projeto que há muitos anos eu tinha vontade de desenvolver, e no meio dessa pandemia, eu resolvi fazer. Falei ‘vou abrir essas oportunidades para essas mulheres que estão desempregadas ou que perderam seu trabalho em meio à pandemia, pra fazer dessa dificuldade uma oportunidade’ […] Eu creio que há muita portas abertas no meio do caos, a gente só precisa estar com os nossos olhos bem atentos”.

Mônica divulgou a iniciativa nas redes sociais e logo foi um sucesso: dezenas de mulheres demonstraram interesse, fazendo com que fosse criada inclusive uma lista de espera.

Projeto Dorcas

A ação hoje conta com 20 mulheres e é totalmente gratuita. No projeto, as alunas participam de aulas de corte e costura, ministradas pela Mônica; tanto as máquinas, quanto os tecidos utilizados durante o curso são cedidos pela Malharia Monalisa.

“Algumas das mulheres ajudam com o que podem para que a gente possa levantar mais rapidamente fundos para comprar as máquinas de costura, mas esse valor é voluntário, não é obrigatório”.

No projeto, o processo de aprendizagem é completo e ensina todos os passos do corte e costura, de peças básicas às mais complexas; para tanto, o curso tem duração de 1 ano. Ele acontece na Malharia Monalisa (Rua Joaquim Cândida 1427, bairro Hilda Mandarino -Araçatuba/SP), aos sábados, das 8h às 17h. São cinco mulheres por horário, e cada aula tem a duração de 2 horas.

As peças confeccionadas durante as aulas são vendidas, posteriormente, e o valor arrecadado é convertido em investimentos no próprio projeto – principalmente para a aquisição de novas máquinas de costura.

Através de sorteios, também são doadas algumas das máquinas de costura para que o trabalho desenvolvido pelas alunas possa ter continuidade fora do ambiente das aulas.

O projeto conta ainda com mais uma oportunidade incrível: a Malharia Monalisa também faz a logomarca das alunas para impulsioná-las ainda mais para o mercado de trabalho.

É importante ressaltar que o projeto é muito bem estruturado: a ação conta com uma tesoureira que fica com toda a verba arrecadada, e há também a geração de recibos personalizados para os patrocinadores- inclusive, eles contam com uma pessoa responsável somente por visitar empresas e captar patrocinadores.

Realização de um sonho

Mônica ainda complementa sobre a realização do desejo de poder, enfim, realizar o Projeto Dorcas e ajudar quem precisa durante esse momento:

“É um prazer maravilhoso poder estar contribuindo para que essas mulheres aprendam o ofício da arte de costurar, porque com os meus 12 anos de idade eu tive essa oportunidade; não foi fácil, mas eu fui aprendendo – algumas pessoas me ensinaram e outras me fecharam as portas, foi muito difícil. Mas, como era um sonho e eu já sabia um pouco costurar porque a minha mãe era professora de corte e costura, então, desde criança eu estou nesse meio. A minha história começou através da minha mãe, a Cida costureira.

[…] As costureiras Dorcas vão, no final do curso, receber o certificado como costureira já não mais aprendiz, mas uma costureira formada”.

Novas vagas

No momento, não há vagas abertas para o curso. Porém, há uma lista de espera.

“A gente monta um grupo de espera no WhatsApp e vai mantendo as pessoas informadas logo que surgirem as vagas, e através de sorteio elas vão sendo chamadas”.

As interessadas podem entrar em contato com a Mônica pelo WhatsApp (18) 99147-3549.

Patrocinadores

Hoje, o projeto conta com quatro patrocinadores, que contribuem com R$50,00 mensais para a compra de maquinário. São eles a Malharia Monalisa, Empório da Moda Tecidos, Casa das Linhas e Tia Cy Massas.

Os interessados em patrocinar o projeto podem também entrar em contato com a Mônica pelo WhatsApp (18) 99147-3549.

“Eu já estou vendo frutos desse trabalho maravilhoso”

A empresária nos conta que cinco das alunas já abriram o seu próprio ateliê de costura e confeccionam peças para vender. “Para mim, ver a vibração delas quando elas aprendem alguma coisa ou vêm me mostrar, eu fico tão feliz, eu acho maravilhoso […] porque o intuito do projeto é justamente isso, gerar renda e capacitar mulheres que não tem profissão e que snham em ser costureiras.”.

Falando ainda sobre os frutos do projeto, Mônica compartilhou conosco depoimentos e imagens:

Poliana:

Reprodução/Arquivo Pessoal

Rogéria:

Reprodução/Arquivo Pessoal

Cristiane:

Reprodução/Arquivo Pessoal

Tatiane:

Reprodução/Arquivo Pessoal

Bianca:

Reprodução/Arquivo Pessoal

Rosemary:

Reprodução/Arquivo Pessoal

Priscilla:

Reprodução/Arquivo Pessoal

Eliana:

Reprodução/Arquivo Pessoal

Confira essa e outras histórias da cidade no site da Solutudo Birigui!

Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você conhece alguma história bacana de Birigui e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui