Neste dia 11 de maio, é comemorado o Dia Nacional do Reggae, estilo esse que é conhecido mundialmente. Pensando nisso, é hora de compartilhar a história de dois músicos de Presidente Prudente que conheceram e se apaixonaram pelo ritmo durante suas carreiras.

Matheus Gomes Barbará

Músicos de Presidente Prudente relatam suas experiências ao conhecer o universo do reggae
Matheus toca violão, teclado, viola, entre outros. (Foto: Arquivo Pessoal)

O músico, artesão e jardineiro conheceu o reggae na adolescência através de um amigo mais velho, que possuía um acervo de músicas gravadas aleatoriamente em CDs. Mais tarde, veio conhecer a fundo o gênero que acompanharia ao decorrer de sua carreira musical.

“O grande ‘boom’ do reggae na minha vida foi quando comecei a pesquisar por bandas nacionais, pois sempre fui uma pessoa que gosta muito de músicas brasileiras. Quando você começa a ouvir e dar atenção para o ritmo e letra do reggae, acaba gostando devido a grandeza desse estilo musical”, comenta.

Matheus admite que mesmo sem perceber, já apresentou o reggae à diversas pessoas e, para ele, a parte legal desse tipo de música é atingir todos os públicos, desde a classe baixa até a mais alta.

“É muito difícil alguém não gostar ou não se sentir bem ouvindo, é um ritmo maravilhoso que foi criado a partir de uma mistura de estilos da época, e surgiu o reggae. Foi uma sacada muito boa que, continua sendo tocada até hoje e sempre agrada”, destaca.

Segundo o músico, conhecer o gênero foi algo muito importante para mudar sua consciência e formação pessoal, devido a reflexão que o estilo carrega consigo, como relatos de amor e paz. No entanto, o jovem também costuma ouvir rap e músicas de viola caipira, dando enfoque em artistas nacionais.

Pensando nisso, Matheus indica aos iniciantes nesse gênero, a música Raiz Forte da sua banda de reggae preferida, Mato Seco.

“É uma música muito especial que fala de coisas importantes como esperança e lute, simplesmente por isso eu acredito que as pessoas deveriam ouvir. Ela faz com que procuremos sempre se renovar e ser diferente em alguma coisa”, ressalta.

Lincoln de Paula

Músicos de Presidente Prudente relatam suas experiências ao conhecer o universo do reggae
Lincoln é professor de música em Presidente Prudente. (Foto: Arquivo Pessoal)

Teve seu primeiro contato com o reggae através do observatório da faculdade de música, onde precisava conhecer todos os gêneros musicais, fazendo um tipo de viagem por todos os ritmos.

“Ainda na faculdade, tive alguns amigos que promoviam a festa ‘Brahma Reggae’, lá conheci Natiruts, O Ventania e Tribo de Jah, que são bandas nacionais famosas por tocarem esse estilo de música. A partir daí comecei a estudar e curtir o reggae”, comenta.

Durante sua carreira como músico, Lincoln relata já ter apresentado o gênero musical para diversas pessoas, incluindo alunos que desejam tocar algo novo.

“Sempre que eu posso influenciar e apresentar a parte boa do reggae, eu estou divulgando ele”, conta.

Diferente de muitos que curtem o reggae, Lincoln não adotou o estilo de roupas e penteado ligado ao gênero musical, pois prefere ouvir as bandas que gosta sem se caracterizar de forma hippie.

Além do reggae, o professor de música também é fascinado por outros estilos musicais Com isso, sugeriu a música “Na Moral” do grupo Cidade Negra, aos que desejam uma inspiração para entrar no universo do reggae.

“Essa música possui uma letra maravilhosa, além de ser voltada ao momento que vivemos de desigualdade no país”, relata.

Seja o reagge ou outros estilos musicais, o importante é sempre compartilhar diferentes tipos de sons. Compartilhe suas indicações também!


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E, se você conhece alguma história bacana da sua cidade e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui