O estudante Hemerson José Ferpotto Dias, é portador da Síndrome de Marfan (uma desordem do tecido conjuntivo caracterizada por membros anormalmente longos), descoberta logo na sua infância. Entretanto, isso não foi o suficiente para fazê-lo desistir da sua meta de um dia, se tornar parte do Corpo de Bombeiros.

“Quando eu tinha quatro anos, ocorreu um evento de fotografia na escola, em que cada um precisava escolher uma profissão, então eu fui com a roupa de bombeiro, porque sempre os assistia na TV”, comenta.

O jovem encontra-se internado em tratamento no Hospital Regional “Dr. Domingos Leonardo Cerávolo”, lugar em que nasceu há 15 anos.

Tudo começou quando ele comentou sobre seu sonho com algumas cozinheiras e, um segurança do local, fez o contato com um amigo que trabalha em uma das unidades do Corpo de Bombeiros da cidade. Foi o suficiente para esquematizar o encontro que jamais sairia das lembranças de Hemerson.

“Eu gostei bastante, porque não esperava que eles fossem vir mesmo, pensei que viriam apenas os bombeiros, mas quando eu saí, o caminhão estava lá fora. Eu falei que queria ver, então eles me deixaram entrar, colocaram um capacete em mim e fizeram tipo uma simulação, eu fiquei feliz da vida”, conta.

Sua mãe, Maria Aparecida Ferpotto Dias, sempre acompanhou a luta do filho e para ela não há palavras que possam descrever a emoção em vê-lo realizando parte desse sonho.

“Mãe sente o sofrimento do filho, né? E ver o pessoal do HR com os bombeiros fazendo essa homenagem, não tem felicidade maior! Eu vou fazer de tudo para ele realizar esse desejo e se tornar um bombeiro também”, ressalta.

Segundo Maria, assim que Hemerson tiver alta do hospital, os profissionais já prometeram vir buscá-lo para conhecer a sede em Presidente Prudente.

O 1º sargento Rodrigo Cacciatore, foi um dos bombeiros que teve a oportunidade de participar da visita ao HR. Ele conta que recebeu o chamado, pois havia um paciente muito fã da profissão, e estava internado, portanto, não conseguiria se locomover até a base.

“Foi algo muito importante para mim, pois os bombeiros se deparam com tanta coisa triste, mas nesse dia nós fomos socorrer uma pessoa de uma forma diferente. Esse pequeno gesto para nós, foi uma imensidão de felicidade para o Hemerson. A visão dele passando a mão no caminhão com o olho enchendo de lágrimas foi fantástica”, relata.

Corpo de bombeiros visita paciente do HR.
Sargento Rodrigo Cacciatore ao lado do aspirante a bombeiro, Hemerson José. (Foto: Assessoria HRPP)

Faça como o Hemerson, e nunca desista dos seus sonhos, antes de se tornar realidade!

Serviço

Para realizar qualquer ação voluntária no HRPP, basta entrar em contato com o Centro Integrado de Humanização da unidade através do telefone (18) 3229-1535.


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E, se você conhece alguma história bacana da sua cidade e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui