Será que você já olhou para alguém importante para o Brasil e pensou se a pessoa é ourinhense? Pois, é! Muitos profissionais de diversas áreas nasceram em Ourinhos e agregaram valor à cultura e diversidade brasileira. Uma destas pessoas é o Antônio Abujamra, famosíssimo pelo programa “Provocações” da TV Cultura. Então, bora conhecer melhor este cidadão?

Antônio

Ele nasceu em 1932 em Ourinhos e veio a falecer em 2015 em São Paulo. Era diretor e ator que participou da Revolução Cênica em 1960 e 1970. Já nos próximos anos, desenvolveu espetáculos críticos e lúdicos.

Se formou em Filosofia e Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC/RS) em 1957. A sua carreira na carreira teatral começou como diretor no Teatro Universitário com as peças “O Marinheiro” e “À Margem da Vida e o Caso das Petúnias”.

Foto: Jair Bertolucci/Carta Capital

Estudou na Europa a Língua e a Literatura Espanhola em Madri e fez estágio na França. Sua volta ao Brasil foi em 1961 e já estreou em São Paulo no Teatro Cacilda Becker e no Teatro Oficina. Em 1963, se associou com diretores do Teatro Antônio Ghigonetto e Emílio Di Biasi e fundaram o Grupo Decisão. O objetivo era de disseminar o teatro político. A primeira peça foi “Sorocaba, Senhor” e levaram para os bairros um teatro mais de mobilização e de realidade nacional.

O sucesso do grupo foi a peça “O Inoportuno” e transferiram-se para o Rio de Janeiro. As encenações de Antônio eram subversivas e apaixonadas, um alguém inquieto com capacidade de criar cenas polêmicas com linguagem moderna e de influência europeia.

Foto: divulgação

Depois, dedicou os anos ao Teatro Livre com montagens e produções com intuito comercial. Em 1975, aliou-se com Teatro de Resistência com um monólogo sobre a vida de um proletariado em construção civil.

No mesmo ano, recebeu o Prêmio Moliére pela direção de “Roda Cor de Roda”, da dramaturga Leilah Assumpção.  E nos anos 80, Abujamra foi uma pessoa engajada na recuperação do Teatro Brasileiro de Comédia. Um movimento que trouxe novos diretores e atores.

Com 55 anos, ele iniciou a carreira de ator. Atuou em duas novelas. Em 1991, recebeu mais uma vez o Prêmio Moliére e o Prêmio Shell em 1998 como melhor direção com uma adaptação do romance “O Casamento” do escritor Nelson Rodrigues.

O seu programada jamais será esquecido. Foto: divulgação

Por fim, a partir de 2000 apresentava o programa “Provocações” na TV Cultura. Fora 15 anos de televisão até a sua morte. Antônio veio a óbito e a certeza é de que todo o seu trabalho em televisão e no teatro são vastos e deixou um legado importante para os seus sucessores. A mensagem é de valorização com equilíbrio com um toque de sacarmos, humor e deboche.

Fonte: Enciclopédia ItaúCultural


É tão bacana conhecer estas pessoas, né?!


LEIA TAMBÉM

–> De São Paulo capital para Ourinhos: o arquiteto que se sente casado com a terra do povo de coração de ouro

–> Guerreira e mulher cheia de fé: ourinhense conta como enfrentou aneurisma, AVC e outras surpresas da vida

–> Você sabia que a atriz brasileira Malu Rocha era ourinhense?


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você conhece alguma história bacana de Ourinhos e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: [email protected]

Siga a Solutudo Ourinhos nas mídias sociais:

CLIQUE AQUI PARA O FACEBOOK!

CLIQUE AQUI PARA O INSTAGRAM!

Avalie este conteúdo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui