Completando 90 anos de história, Marília, que nasceu de uma poesia, continua encantando quem passa por aqui.

As memórias contam que o fundador, Bento de Abreu Sampaio Vidal, em uma de suas viagens, se deparou com “Marília de Dirceu”, obra de Tomás Antônio Gonzaga. O nome o cativou, assim como aquele pedacinho de terra que começava a se desenvolver.

Pela cidade, encontramos marcos do que ela já foi, e no que está se transformando. Histórias de quem viveu e construiu uma vida nessas ruas, praças, igrejas.

O passado e o futuro se confrontam em harmonia, quem passa por aqui leva consigo a lembrança gostosa de uma cidade diferente, com cheirinho de bolacha.

Igreja Santo Antônio

Em 1934 (Foto: Câmara Municipal)
Fachada atual (Foto: Estefan Bombonato)

Café Delphino

Em 1945, na Avenida Sampaio Vidal (Foto: Câmara Municipal)
O prédio é hoje uma agência do Bradesco (Foto: Google Maps)

Marilan

Em 1957 (Foto: Câmara Municipal)
Fábrica atual (Foto: Marilan)

Senac Marília

(Foto: Câmara Municipal)
Fachada atual

Edifício Marília

Em 1940, localizado na Avenida Sampaio Vidal (Foto: Câmara Municipal)
(Foto: Google Maps)

Prefeitura Municipal

Em 1944 (Foto: Câmara Municipal)
Fachada atual (Foto: Câmara Municipal)

Rua São Luiz

Em 1952 (Foto: Câmara Municipal)
(Foto: Google Maps)

Rodoviária de Marília

Inaugurada 1938, foi a primeira rodoviária do Brasil.
Inaugurada em 2003, a nova rodoviária impressiona pela arquitetura diferenciada, lembrando um chapéu.

Biblioteca Municipal

Prédio histórico da Biblioteca Municipal, na Avenida Sampaio Vidal. Atualmente, a estrutura está em reforma para abrigar o Centro Cultural.
Inaugurada em 2017, a nova Biblioteca Municipal está localizada na Rua São Luiz.

“Quem faz uma obra tão perfeita e linda,
Minha bela Marília, também pode
Fazer os céus e mais, se há mais ainda”

Tomás Antônio Gonzaga

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui