“Se é seu sonho, não desista! Vá atrás! Você vai receber muitos nãos, mas nunca desanime! Pegue os nãos e os use como inspiração! Como motivação!” – Karen Affonso Arruda

A história de Karen é algo que me surpreendeu enquanto eu escutava, como há muito tempo não acontecia.

Com paixão e dedicação Karen alcançou um marco histórico, se tornando referência e abrindo portas para outras depois dela.

Mas o começo não foi assim.

O Sonho

Lençoense de berço, Karen Affonso Arruda chegou a esse mundo em 1989, mas foi somente após 16 anos que se encontrou e se sentiu viva de verdade!

Desde adolescente sonhava emtrabalhar na indústria, e foi movida pelo sonho que ingressou na Escola Senai de Lençóis Paulista e realizou diversos cursos, entre os principais: Desenho Técnico Industrial e Soldagem de Manutenção.

“Eu não tive nenhuma inspiração ou referência, foi apenas uma paixão intensa que nem sei de onde veio! Quando vi já tinha feito vários cursos, até Mecânico Industrial e Montador de Andaimes!”

Foi durante as aulas no Senai que Karen teve suas certezas: Queria ser uma soldadora!

De graça para aprender

O cenário Lençoense é muito hostil quando mulheres querem ingressar no ramo industrial.

E pelo machismo já instaurado dentro de tantas empresas, era difícil Karen conseguir seu primeiro trabalho.

Foi quando em 2007 começou a trabalhar auxiliando um rapaz em montagem de portões, de graça.

“Eu fui trabalhar de graça para aprender o serviço. Não foi nada fácil, mas não desisti.”

A oportunidade certa, no ramo errado

Karen continuou na área em pequenos trabalhos até saber do início da mega obra da maior fábrica de celulose mundo!

Ao saber da contratação de centenas de pessoas em diversas empresas que prestariam serviço durante a construção, Karen foi atrás e se candidatou em uma delas!

“Eu fui até a empresa Irmãos Passaúra e me candidatei, porém não entrei para a vaga que era meu objetivo, mas sim como Auxiliar de Serviços Gerais”

Karen estava tendo a oportunidade certa, porém na carreira errada.

O cargo de Auxiliar de Serviços Gerais era destinado a manutenção da fábrica da empresa: Limpeza de banheiros, varrer territórios, manutenção e limpeza dos ambientes.

E trabalhando todos os dias ao lado do sonho, ela arriscou.

A quebra de tabus

Karen pediu para alguns soldadores que a ensinassem durante seu horário de almoço. E para a surpresa dela, a resposta foi sim!

“Fiquei intimidada no início… As pessoas falam com muito preconceito quando falam dos ’Peões’ de obra, principalmente quando sabem que muitos de lá são nordestinos que vieram em busca de uma oportunidade de vida. Porém eu fui muito bem recebida por todos!”

Karen foi surpreendida todos os dias. Desde técnicas que nunca havia visto até o tratamento com muito respeito e admiração por todos que estenderam a mão para ajudá-la.

Em pouco tempo se tornou querida por todos os soldadores da empresa e ganhou um apelido, a Chaveirinho.

A sonhadora Karen sacrificou durante 3 meses todos os seus períodos de almoço até atingir o seu objetivo: Uma oportunidade de trabalhar como soldadora.

A sonhada promoção

Após árduos meses chegando ao ponto de trabalhar sem comer, Karen realizou um teste para uma possível promoção para o cargo desejado, e assim aconteceu, fazendo-a se tornar a primeira mulher no projeto diretamente com a “mão na obra”.

“Haviam outras mulheres na empresa, porém nenhuma na obra em si. Todas como encarregadas, técnicas de segurança, engenheiras, então eu fui a primeira “Peoa” hahaha!”  – Brinca Karen com satisfação contando a história.

A Obra

Entre milhares de operários atuando diretamente na construção, apenas ela era mulher, o que gerava preconceitos, porém seu empenho e dedicação superavam tudo!.

“Me diziam que era um serviço sujo, que outros operários agiriam com segundas intenções comigo. Porém na prática era o contrário. Fui tratado com muito respeito lá dentro, por cada um que trabalhei junto, e era valorizada por meu trabalho, viam meu esforço”

“Olhando hoje, todo esforço e toda lágrima valeu muito a pena.”

O caminho trilhado por Karen inspirou outras mulheres a buscarem seu sonho e hoje trabalham como funcionárias diretas ou como prestadoras de serviço em alguma das dezenas de empresas que atuam no ramo industrial de Lençóis!

O Futuro

Hoje Karen está em outra empresa, a JAN Soldagens Industriais, onde também é a primeira mulher soldadora. E logo começará a atuar na ampliação da Usina São José e planeja levar para outras mulheres a oportunidade que teve, sendo agora ela quem estenderá as mãos!

“Não sei tudo ainda, e estou aprendendo novas técnicas, mas o pouco que eu sei quero passar adiante. Sei que vou ajudar e apoiar o sonho de alguém e vou dar todo o incentivo, assim como os soldadores dos lugares que passei me deram!”

O próximo objetivo de Karen é se tornar a primeira Encarregada de Solda na empresa que atua, e quem sabe, na região.

Karen quer ser um exemplo para mulheres de todo o país. Uma referência de luta e dedicação, e acima de tudo, de superação de obstáculos que só existem pelo preconceito de ser mulher!

E você conhece mais alguma história de mulheres inspiradoras como a Karen aqui na cidade?
Conta para a gente nos comentários! #solutudodebom

4.4/5 - (17 votes)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui