“Uma arte que não visa lucros, uma arte livre, uma arte que a gente faz porque a gente gosta.” É assim que a pedagoga Maria Eduarda, de 20 anos, descreve o Leviosá, projeto de teatro musical criado e dirigido por ela há 2 anos aqui na cidade. Inspirado por Harry Potter e tendo um grupo teatral norte-americano como grande motivação, o projeto, desde seu início, atrai a atenção de adolescentes e fãs de cultura pop. 🎭

“E eu acho que é porque o Leviosá é um grupo de jovens fazendo arte e a gente não vê isso muito. A gente já se apresentou na Biblioteca Municipal, no Complexo Fepasa, na edição de 2019 do JundiComics, já fomos convidados até pela Moviecom para apresentar algumas músicas na estreia de Os Crimes de Grindelwald 2. Foram momentos muito felizes que a gente pôde mostrar o nosso trabalho”, conta Maria, entusiasmada.

Tudo tem um começo

Maria, diríamos, sempre foi uma apaixonada por Harry Potter, a ponto de já ter lido a sequência de 7 livros por, pasmem, 9 vezes! “Sei todas as falas do filme Harry Potter e o Enigma do Príncipe”, conta o feito com a mesma animação. E foi todo esse entusiasmo que lhe fez mergulhar de vez no universo do bruxo.

Em 2018, Duda, como é conhecida pelos amigos e dentro do próprio projeto, conheceu o StarKid, um grupo de teatro que ficou famoso na internet por fazer paródias da cultura pop. “Eles tinham músicas sobre o Harry Potter, Batman, e quando eu assisti a esse musical, o sonho da minha vida era ser o Draco Malfoy, porque ele era um dos personagens mais engraçados que eu já vi numa peça de teatro”, se referindo ao musical “A Very Potter Musical”.

A ideia de fazer algo semelhante surgiu e, bem, não saiu mais de sua cabeça. Até que ela tomou coragem e perguntou a alguns de seus amigos o que eles achavam de montar uma música da peça. “A gente estava vendo os Crimes de Grindelwald no cinema, o Harry Potter estava em alta de novo, e todo mundo topou. Ensaiamos a primeira música, sem muitas pretensões, mas no final eles falaram que seria legal se a gente apresentasse em algum lugar.”

O grupo de amigos então ficou sabendo que iria acontecer um evento sobre Harry Potter na Biblioteca Municipal dali algumas semanas. Daí já viu, né? “Achei que seria sucesso se a gente conseguisse participar! Entramos em contato com a biblioteca e acabei virando organizadora do evento, e nos apresentamos lá com alguns outros números da peça do StarKid.” Realmente, um sucesso! Então os amigos pensaram: por que então não tentar fazer uma paródia de Harry Potter como o StarKid fez? “E daí veio o nome Leviosá, e não Leviosa, porque queríamos enfatizar que nosso grupo era de comedia e não deveria ser levado a sério”, explica o trocadilho.

Para você, que é leigo em Harry Potter, um uma das cenas do primeiro filme, Harry Potter e a Pedra Filosofal, um dos personagens profere um dos feitiços de forma incorreta, exatamente ‘levio‘, enquanto que sua colega o corrige da seguinte forma: “é leviosa, e não levio“. Saca só a cena:

O sonho se transformou em realidade

A hoje diretora e atriz revela que teatro foi uma coisa que nunca pensou em fazer na vida. Mas é aquilo, né: amor à primeira peça não tem escapatória! “Eu faço teatro desde 2015, e até então eu só gostava de cantar mesmo. Então descobri que existia o teatro musical, e foi paixão à primeira vista mesmo. A primeira peça que assisti foi Wicked, e eu me apaixonei perdidamente.”

Duda então começou a procurar por cursos, até que teve seu primeiro contato em uma oficina oferecida pela Prefeitura. “Lá eu conheci grandes amigos que tenho até hoje, conheci tbm o diretor do Grupo Singulari, o Paulo Grossi, que estava dando essa oficina pra gente. Comecei então a fazer parte da Companhia Arteenager, de Várzea Paulista, entrei daí no Singulari, comecei a fazer algumas peças aqui e ali, até chegar o Leviosá, em 2018.”

O que mais me encanta no Leviosá é saber que a gente gera mudança na vida das pessoas. Porque tem tantos adolescentes de 15, 16, 17 anos no projeto e, para muitos, o Leviosá é o primeiro contato deles com o teatro musical, então acho muito importante fazer parte da história, da trajetória na arte de cada uma delas. E é pra isso que o Leviosá também existe: pra trazer um impacto na vida das pessoas,

Atualmente, o grupo conta com 18 integrantes no elenco, mas já chegou a contar com 26 ao todo! “Hoje em dia tenho meus dois braços, o direito e o esquerdo: o Pedro Cavalaro e o Samuel Leone. Eles me ajudam muito na produção, na direção musical, na organização da parte financeira do grupo, eu não sei o que seria sem eles. E eu não faço mais nada sozinha hoje, e todo mundo tem um pezinho na produção, nem que seja no cenário, no figurino, tá todo mundo junto. Eu fico muito feliz que as pessoas têm essa confiança em nosso trabalho, que elas querem crescer junto com a gente, querem fazer parte da nossa história.”

Novos ares

Durante a quarentena, o Leviosá promoveu uma ação bacana nas redes sociais, postando os integrantes cantando as músicas que iriam compor a peça que seria apresentada este ano, e que por conta da suspensão das atividades e eventos em locais públicos foi cancelada. Tudo isso para mostrar uma coisa: não teve desânimo, não! E que o grupo teve e ainda tem muita energia e paixão pelo que faz. 💪💗

“Fizemos alguns encontros online com alguns nomes do teatro de Jundiaí e que foi muito legal, e estamos esperando outras atualizações sobre a pandemia para saber quando podemos voltar, porque temos muitos planos para quando tudo voltar ao normal, como um grande concert, como mostra do talento do nosso elenco”, revela Duda.

A diretora do Leviosá também revela que já está sendo preparada a próxima peça do grupo e que, acreditem, não terá nada a ver com Harry Potter! “Futuramente, o grupo também vai mudar o seu rumo, a gente não vai mais ser um grupo sobre Harry Potter, mas um grupo sobre cultura pop no geral. Livros, filmes e séries que todo mundo gosta de assistir e que marcaram a vida das pessoas de alguma maneira. Tenho certeza que os nossos fãs e seguidores vão adorar quando descobrirem qual será a próxima peça, porque a gente está muito, muito animado pra fazer.”

A gente começou em um espaço emprestado para ensaiar. Até a gente conseguir um lugarzinho no Complexo Fepasa foi muita batalha, e é muito legal ver esse crescimento do grupo, mesmo entrando e saindo pessoas, acho que todo mundo sai com um pedacinho da gente no coração e com um pedaço da nossa história também.

Demais, né? É a música, a atuação transformando verdadeiramente vidas e realidades. Parabéns, Leviosá! Parabéns ao teatro de nossa cidade, ao teatro de nosso país! 🎭💜


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você tem alguma informação bacana de Jundiaí e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: jornalismo.jundiai@solutudo.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui