As Olimpíadas são uma das poucas ocasiões em que as pessoas do mundo todo deixam suas diferenças de lado e se unem em nome de algo. No caso, se unem pelo esporte, revestido naquele um mês de competições pelo Ideal Olímpico, definido pelo Comitê Olímpico Brasileiro pela ideia de “mais importante que terminar em primeiro lugar é explorar o próprio potencial, dar o melhor de si e considerar isso uma vitória”.

E foi seguindo o Ideal Olímpico nos estudos que o jundiaiense Francisco Marchiori da Mota alcançou a façanha de ter seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Educação Física pela ESEF, em Jundiaí, publicado pela Biblioteca Olímpica Mundial, iniciativa do Comitê Olímpico Internacional, onde pesquisadores do mundo inteiro terão acesso ao trabalho.

Sonho Olímpico

O educador físico conta que desde antes da faculdade já estava envolvido no meio esportivo. Francisco era atleta amador de salto com vara e já sonhava em um dia participar dos Jogos Olímpicos. “Infelizmente, como atleta, essa possibilidade não se concretizou. A última porta a se fechar para mim no esporte foi justamente em meu último ano de faculdade”, conta.

Neste momento, o jovem começou a se questionar se não haveria alguma outra forma de poder viver o sonho olímpico. Francisco estava no final da faculdade de educação física e, prestes a começar a redigir seu TCC, uma ideia lhe surgiu: porque não unir o útil ao agradável?

“Foi quando nas minhas pesquisas que encontrei o Olimpismo, ou Filosofia Olímpica, a base de toda a ideia dos Jogos Olímpicos. A partir de então comecei a me envolver mais e mais com a pesquisa, resultando assim no artigo científico”, explica.

Francisco já representou Jundiaí em diversas competições. (Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução)

Artigo olímpico

Com o título “O Olimpismo em uma perspectiva intrínseca no âmbito escolar”, Francisco buscou defender no trabalho a hipótese de que os valores do Olimpismo teriam sua origem a partir do próprio ser humano, e que quando trabalhados no contexto esportivo poderiam servir como didática para transmissão de valores universais aos alunos durante as aulas de Educação Física.

Segundo Francisco, o período entre iniciar as pesquisas até a conclusão o texto foi relativamente rápida e, conforme ia encontrando as informações que comprovavam a hipótese levantada, mais o estudante se animava em continuar.

As respostas das dúvidas sempre apareciam no momento certo. A grande dificuldade foi organizar cada uma das ideias, selecionar aquelas que mais se encaixavam com o contexto do trabalho, e depois formatar tudo nas normas foram tarefas bem trabalhosas. No final, tudo valeu a pena.

Caminho até a Suíça

Durante o processo de análise do trabalho pela banca examinadora na faculdade, Francisco enviou o artigo a um congresso que aconteceria naquele mesmo ano na cidade do Rio de Janeiro, ocasião que refletiriam sobre o legado que os Jogos Olímpicos de 2016 deixaram ao Brasil.

“Enviei o resumo do trabalho e fui aceito para apresentá-lo durante o evento. Após o congresso e pela aprovação do TCC pela banca da faculdade, submeti mais uma vez o trabalho à uma revista científica, a Olimpianos. E só depois de quase um ano e meio que o TCC foi publicado em forma de artigo cientifico.”

Francisco durante a apresentação do TCC, em 2017. (Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução)

Cerca de 4 meses depois, em setembro de 2019, quando mal havia se recuperado da expectativa e surpresa da publicação na revista científica, uma outra surpresa arrepiou os cabelos de Francisco. “Foi quando recebi um e-mail vindo do Comitê Olímpico Internacional me avisando que a pesquisa que realizei fazia parte do acervo digital da Biblioteca Olímpica Mundial”, relembra.

De acordo com Francisco, a seleção de qualquer artigo com a temática olímpica para compor o acervo digital da Biblioteca Olímpica Mundial é feita exclusivamente pelo Centro de Estudos Olímpicos, em Laussane, na Suíça. “A partir de uma análise nos estudos realizados ao redor do mundo, o Centro de Estudos capta os artigos e os disponibiliza em sua plataforma online”, explica.

É algo surreal imaginar que tudo se iniciou a partir de uma simples pergunta e agora alcança uma proporção mundial . Isso me deixa fascinado e entusiasmado a me aprofundar nas pesquisas.

Tóquio é o limite?

Claramente, não! “Está previsto para ocorrer em julho um Simpósio Olímpico em Tóquio, no Japão, em virtude dos Jogos Olímpicos, e estou escrevendo um artigo para submeter à análise e, se assim ocorrer, ser aprovado para ser apresentado lá”, almeja Francisco.

Neste novo trabalho, Francisco esmiuçará a natureza dos valores universais e aprofundará filosoficamente o argumento de sua origem própria no ser humano. Chique, né?


Francisco, Jundiaí inteira está na torcida por você! Você é um belo exemplo que os valores e o Ideal Olímpico podem ser vividos todos os dias, em todas as ocasiões e lugares! Parabéns! 💪🙏👏


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você conhece alguma história inspiradora de Jundiaí e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui