Transformar hobby em mais do que uma profissão. Foi assim que Baydyr abriu a Old Trouble Classic & Custom, uma oficina de restauração e customização de motocicletas localizada em Jundiaí, após um tempo trabalhando “nas escuras” para amigos.

E olha que sua paixão por motos passa por gerações, começando com seu pai, irmãos, primos e já tá chegando até no pequeno Vince, seu filho, que já tem a sua própria moto! “Eu fiz uma pequena moto elétrica pro meu neném, utilizando uma moto de plástico da década de 70. Inicialmente meu irmão havia negociado a moto, que estava bem velha, com um sucateiro. Seu filho era pequeno e pensou em comprar pra ele, mas depois acabou deixando comigo. Como meu filho já tem mais de 1 ano eu resolvi fazê-la pra ele!” Parece que ele adorou, mas ainda não tem idade ou altura pra andar haha! “A família toda gosta, inclusive, todos aprendemos a andar na mesma moto, mas só eu resolvi seguir com isso por chamar minha atenção e pelo conhecimento no assunto.”

Um pouquinho de tudo

Baydyr é formado em engenharia mecânica e eletroeletrônica, e também técnico em elétrica, diz que conhece um pouco de tudo: “A indústria foi uma boa escola, me deu bastante noção, mas eu sempre gostei de trabalhar com a área automotiva, mesmo antes de me formar engenheiro, acredito que você continua sempre se aperfeiçoando e o aprendizado é diário.”

Essa paixão também acabou virando uma espécie de coleção, com algumas motos próprias e outras que ele cuida de seus amigos e clientes. Ao todo, possui 7 motos de datas e modelos variados, que fazem parte de sua coleção. Todas as suas motos funcionam e às vezes ele faz uns passeios com elas! “Eu gosto mais de andar com moto antiga do que com as novas! Ainda estou no início, mas tenho um carinho enorme por todas, principalmente pela Old Trouble Number 1 que eu construí do zero!” Essa moto foi ele mesmo que criou e está em processo para entrar com documentação de veículo artesanal, assim ela poderá ser utilizada. “Não é tão barato e é um processo burocrático!”

Inspirações

Quem inspirou o seu interesse por motos foi seu pai, “Ele tem uma Honda CG azul 1977 que comprou zero. Na Década de 90, quando eu tinha 12 anos, ficava louco pra usá-la!” A primeira moto restaurada por ele foi em 2001, “Um pouco antes, em 1999, comprei uma moto desmontada de 1977 fabricada pela Harley-Davidson no Brasil, a comprei totalmente desmontada, em caixas, não entendia nada, arrumei um manual e comecei a montar.” Ele conta que a comprou na intenção de restaurar, pois queria uma moto antiga para começar com esse trabalho!

Apesar de já ter restaurado carros antigos, a sua verdadeira admiração é pelas motos! “Aprendi a pilotar com 12 anos e nunca mais parei! Com essa idade, meu irmão mais velho já estava aprendendo a pilotar e me ensinou também! Todo domingo meu pai deixava eu andar depois do almoço em família, isso perdurou por uns 2 anos… Lógico que eu dava meus ‘balãozinhos’, eu tinha que ficar dando voltas no quarteirão, mas como sabia que depois do almoço meu pai gostava de dormir no sofá, eu dava algumas voltas e assim que ele dormia eu ia pros bairros procurar os meus amigos! Aos 15, ganhei a minha primeira moto, que utilizava para ir estudar, era uma Honda Dream e eu me arrependo de não ter guardado! No ano seguinte, troquei por outra, e por outra, e assim por diante…”

Nesse ramo, tudo é muito caro, principalmente por se tratar de motos antigas, “É algo que valorizou demais, antes era considerado sucata, mas hoje está cada vez mais caro para comprar, ainda mais as voltadas para a Harley! As peças compradas em sua maioria são importadas, muitas do Japão. “A intenção não é trocar as peças originais, e sim restaurá-las, fazer funilaria, cromar, pintar o que tá opaco, etc.”

Indo além

Ele também participa de eventos e já ganhou várias medalhas por suas restaurações. Recentemente marcou presença no Encontro de Motos Antigas de Jundiaí e desde 2015 participa do PNT (Pé na Tábua), evento que acontece anualmente em Barra Bonita, sendo o maior evento de motos do país! “Lá você expõe e compete na corrida com as motos no cartódromo, mas as medalhas que tenho são todas de exposição! É legal, pois só quem vota são aqueles que restauram ou colecionam, uma votação com só aqueles que entendem do assunto!”

A mensagem que ele deixou pra vocês é “Quem tem uma moto mais velhinha, de história de família, às vezes uma moto que era de seu bisavô ou avô, independente do ano, deveria pôr ela pra andar! As primeiras motos datam em torno de 1900, então elas contam muita história de nosso país, deixando-as paradas, você acaba matando um pouco de história! Por isso recomento que a leve nos encontros, ande pela cidade e se precisar, traz aqui pra Old Trouble fazê-la funcionar!”

Serviço

Old Trouble Classic & Custom

  • WhatsApp: (11) 98541-7441
  • E-mail: contato@oldtrouble.com
  • Facebook

Fotos: Samuel Leme da Doze Doiz.


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você conhece alguma história bacana da sua cidade e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui