Se fosse para listar todas as vezes que as mulheres foram taxadas de interesseiras na hora de escolher um parceiro, selecionando o melhor pelo poder aquisitivo do pretendente, as páginas deste portal não seriam suficientes.

Longe de defender ou ser utópico afirmando que não existe união por interesse, proponho que tracemos um breve panorama da relação entre a mulher e o dinheiro, pontuando uma série de mitos oriundos da cultura, da criação familiar e até da deficiência ou ausência de educação financeira nos lares brasileiros.

(Foto: Reprodução)

Vamos além

Aquele histórico sobre a mulher não ter direitos ou trabalho remunerado até pouco tempo atrás, isso você, querido leitor, já sabe. Minhas reflexões ousam ser um pouco mais questionadoras.

Pais & filhos

Ainda hoje, pais tomam a dianteira para falar de educação financeira com meninos, mas só conversam sobre o tema com as meninas quando elas demonstram interesse. E você, como tem educado financeiramente suas meninas?

Generosidade em tudo

Outro hábito que vale notar é que as mulheres, em sua maioria, são mais generosas, seja ao dividir suas coisas com as amigas – um sapato, uma joia, um vestido – ou ao dedicar parte do tempo (e tempo é dinheiro) para algum trabalho voluntário. Você tem sido assim generosa, ou adormeceu essa preciosidade nata do ser mulher?

(Foto: Reprodução)

Disponibilidade e valorização

A disponibilidade parece ser mesmo algo propriamente feminino. O que chama a atenção quando conversamos com elas, principalmente aquelas que passam por momento de transição de vida (mudança de área, casamento, chegada dos filhos), é a abertura que possuem para, se necessário, receber menos.

É bem verdade que os índices ainda indicam disparidade de salário entre homens e mulheres em cargos iguais, mas quase ninguém comenta sobre a percepção generalizada da sociedade de que as mulheres se satisfazem com menos. O pior disso é perceber que elas mesmas repetem esse comportamento diante das outras companheiras, tamanha a profundidade das marcas que a cultura machista de anos nos imprimiu.

Você tem menosprezado o valor de outra mulher diante de um homem? E tem aceitado receber menos, mesmo que seu trabalho seja tão ou mais primoroso do que o deles?

Negociação e valorização!

Já na hora da negociação, quando as mulheres negociam para terceiros, atingem resultados melhores do que quando negociam para elas mesmas. É o caso de representar a empresa onde trabalham ou a própria família. Você tem dado mais crédito às ideias dos outros do que às suas?

Elas e os investimentos

Como os especialistas em investimentos já sabem, as mulheres costumam ser cautelosas. Atualmente, as mulheres representam apenas 25% do total de pessoas físicas que investem em renda variável diretamente. E isso pode ser explicado quando olhamos para o comportamento de nossas famílias. Existe uma tendência a elogiarmos as mulheres por sua prudência, previdência e cautela, enquanto os homens normalmente são mais incentivados a arriscar, ganhar e perder. Por que não aprender sobre investimento e assim ter mais coragem de se lançar?

(Foto: Finanças Femininas/ Reprodução)

Você e o SEU dinheiro!

Ufa! Quantas questões a serem refletidas e debatidas, não? E com o objetivo de te ajudar a ser ainda mais feliz nesta relação com seu dinheiro, indico alguns minutos de reflexão para responder sem ilusão a você mesma:

  • 1) Como é a minha relação com meu dinheiro?
  • 2) Onde e em que estou gastando?
  • 3) O que eu sinto quando gasto?
  • 4) Por que tenho gastado?
  • 5) Que resultados eu esperava ao gastar?
  • 6) O que farei de agora em diante?

Que neste mês de Dia Internacional da Mulher você compreenda ainda mais seu valor e sua responsabilidade no mundo e que possa sempre encontrar o equilíbrio entre delicadeza e resiliência, inclusive nas suas finanças. 😊🙏💲

Feliz Dia, Mulher!


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui