Esse conteúdo é um oferecimento da Bia Shoes, empresa que apoia as boas notícias de Jaú.


Os caminheiros são um dos profissionais mais importantes para o funcionamento do país, principalmente para o abastecimento de vários setores. Vimos o impacto causado quando a categoria entra em greve, isso é reflexo da relevância desses profissionais na economia no Brasil. Cerca de 60% de toda carga movimentada é feita de caminhão.

Mulheres caminhoneiras

As mulheres estão cada vez buscando e conquistando mais espaço no mercado de trabalho e em profissões dominadas por homens. De acordo com dados da Confederação Nacional do Transporte, existem 4 mil motoristas de caminhão que são mulheres, o que representa apenas 0,5% do total de caminhoneiros no Brasil. Jaú não poderia ficar de fora e tem sua representante nas estradas de todo o país, conversamos com a caminhoneira Rosi Hubener.

Rosi Hubener no centro com amigas de profissão

Rosi nas Estradas

A jauense Rosi Hubener trabalhava como vereadora de transbordo em uma empresa de caminhões quando abriram vagas para que mulheres pudessem dirigir também, foi sua grande chance de entrar para a categoria.

Anteriormente ela trabalhava em um hospital em Jaú, mas acabou desenvolvendo depressão por passar muito tempo isolada, foi ai que ela decidiu trabalhar na roça e ter mais contato com a natureza e ao ar livre, assim surgiu sua paixão por caminhões. Ela é a única da família que segue a profissão.

“Onde eu trabalhava tinha uma mulher e aprendi muito com ela e nos transbordos eu via os caminhões chegando e foi assim que comecei a pegar gosto por caminhões e botei na minha cabeça que eu iria trabalhar como motorista.”

Desafios

Rosi conta que os desafios são diários e que está buscando e conquistando um espaço que antes não era das mulheres e que sente o retorno e as mudanças para o crescimento delas na categoria, mas que sempre foi muito respeitada nas estradas.

Ela já enfrentou alguns perrengues nas estradas, como quando o “eixo S” vira, causando falha na roda na hora de frear, mas a empresa dá todo o suporte para a segurança dos motoristas.

Saudades de casa

Há duas semanas viajando e trabalhando no Paraná em cidades como São José dos Pinhais e Curitiba, Rosi conta que sente muita saudades da família, ela tem três filhos e dois netos, mas sempre estão conectados e por chamada de vídeo dá para matar um pouco essa saudade.

“Meus filhos estão com saudades, bate uma angustia querendo voltar, mas tudo na vida é sacrifício, nada é fácil, mas lá na frente eles vão poder ter orgulho de mim.”

Seja qual for a profissão as mulheres estão se integrando e mostrando que são capazes de atuar em toda e qualquer área. Muito sucesso a Rosi e parabéns por essa carreira de sucesso nas estradas brasileiras.

Conta para a gente nos comentários se você conhece outras mulheres caminhoneiras da cidade de Jaú.


Esse conteúdo é um oferecimento da Bia Shoes, empresa que apoia as boas notícias de Jaú.





5/5 - (12 votes)

7 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns pra nois, até q enfim estamos conseguindo está aonde queremos estar, direitos iguais, ainda exite as diferenças q mulher n é capaz de kuasker profissão sim pra quem tem coragem, gara, vontade eu por exemplo há anos busco essa profissão em Jaú n concegui ainda pois sou a primeira mulher aqui em Jaú a adqueri a categoria AE sonho esse desde anos atraz, até o momento sonho n realizado mais n paro de sonhar. Gratidão…

  2. Parabéns caminhoneira
    Jauense orgulho para jau Deus abençoe grandemente
    Você merece cinco estrela
    🌟🌟🌟🌟🌟♥️🙏

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui