Como é gostoso descobrir um pouco mais sobre o lugar onde vivemos, não é mesmo? Saber a origem, a história por trás de muitos dos lugares onde hoje frequentamos ou que sempre passamos em frente é também entender e se encantar um pouco mais com a cidade onde moramos. 🥰

E às vezes essas descobertas vem acompanhadas de histórias um tanto, diríamos, engraçadas e inesperadas. 🤭 Como a origem da capela em honra à São Sebastião e que hoje é a Matriz da Paróquia da cidade. Você sabia, por exemplo, que ela só existe por causa de uma rivalidade de famílias? 😅

Tem história pra contar…

Quem nos contou esse ‘causo’ é o Padre Moutinho, o primeiro pároco de Itupeva e uma figura importantíssima não apenas para a fé dos itupevenses.

No quarto capítulo acerca da criação da Paróquia São Sebastião, extraído do livro tombo da paróquia, da década de 60, o padre Moutinho descreveu que por volta de 1933 a capela de Santo Antônio já existia, e ficava nas propriedades da família Polli. “Antes da Igreja de São Sebastião, havia a capela de S. Antonio, do grupo Polli, há 1.260 metros adiante.”

Registros do livro tombo da Paróquia São Sebastião. (Foto: Livro ‘Memórias de Itupeva/Reprodução)

“Em 1933 ou 1934, o grupo de baixo, perto da Estação da Sorocabana, em parte pela distância, em parte pela velha “rivalidade”, hoje desaparecida entre os Marchi (e outros debaixo) e os Polli, resolveram construir a capela de S. Sebastião”, conta o padre.

Para a construção da igreja de São Sebastião, as famílias Marchi, Roveri, Tonolli e Benedictis doaram pedaços de terra entre a Estação Itupeva – hoje a Praça São Paulo – e a atual Matriz, que aliás, foi reconstruída em 2004. Já a velha Capela de Santo Antônio se desenvolveu ali, no mesmo lugar em que foi concebida pelos Polli, Tozi, Condini, Fabricio e outras famílias.

Foto da primeira construção da Capela Santo Antônio. (Foto: Dan Dan‎/Grupo Itupeva Histórica)

Reforma

Como qualquer outra construção, a centenária Capela de Santo Antônio foi castigada com os efeitos do tempo, até precisar de uma intervenção mais do que necessária em praticamente toda sua estrutura, da alvenaria, passando pela parte elétrica, ao madeiramento do telhado.

Em 2015 teve início um projeto de captação de recursos junto à comunidade e empresários da cidade, que possibilitou o restauro e reinauguração da capela 3 anos depois, com a presença do atual pároco, padre Marcos Adriano, de autoridades e toda a comunidade itupevense. 😊

Capelas que contam histórias

Por conta das diversas fazendas que por aqui ficavam localizadas e da forte religiosidade de nosso povo, em cada cantinho de Itupeva podemos encontrar uma capela: desde a Santo Antônio e da São Sebastião, passando pela São Roque da Chave, construída em 1919, até a São Francisco de Assis, a mais recente da lista e que foi construída pela família Foga.

E aí, quais lembranças você tem das capelas históricas de nossa cidade? ⛪ Conta pra gente aqui embaixo nos comentários! A gente vai amar te ouvir e descobrir o que de bom Itupeva nos reserva. 🥰🙏💜

Fonte: Elis Salles, Jornal de Itupeva e Livro ‘Memórias de Itupeva’.


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você conhece alguma história bacana da sua cidade e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br

2 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns Mateus.
    Essa história faz muito sentido para muitas coisas vividas no município.
    Além do conhecimento que vc nos trouxe, trouxe também respostas para muitas perguntas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui