Você também pode ouvir este conteúdo! 🎧

É muito comum escutarmos as seguintes frases das pessoas que estão disponíveis para o mercado de trabalho: “O mercado de trabalho está muito exigente”, “As empresas estão solicitando muitas qualificações”, “Não consigo emprego ou me recolocar”, “Não consigo meu primeiro emprego ou estágio”.

Claro que, às vezes, notamos que para uma vaga simples que não exige muitas qualificações, algumas empresas estão mesmo bem exigentes. Temos pleno conhecimento disso.

Mas, por outro lado, também notamos a grande dificuldade de preencher as diversas vagas que estão disponíveis devido à baixa qualificação de muitos candidatos e a falta de comprometimento no dia a dia após conseguir a vaga de emprego ou de estágio.

Com efeito, podemos também observar algo bastante curioso quando uma empresa vai abrir uma vaga. Na solicitação, as características voltadas para o perfil têm mais ênfase do que propriamente as exigências técnicas para a posição. Curioso isso né? 😅

(Foto: Reprodução)

De olho na oportunidade

É claro que o conhecimento técnico é fundamental para conseguir exercer a função, mas algumas falhas do candidato começam a ser mostradas na entrevista, o que o ajuda a ser possivelmente eliminado do processo atual e futuro. Podemos citar algumas falhas:  

  • Agenda-se as entrevistas com 10 candidatos, e apenas 2 aparecem. Normalmente, as justificativas são daqueles que tiveram de fato um imprevisto, mas muitos não se justificam;
  • Às vezes ocorre de alguns candidatos não conseguirem fazer a entrevista durante a semana em horário comercial e solicita que seja mais tarde ou no sábado, por exemplo. Entende-se que o candidato deseja muito a vaga e abre-se uma exceção. E o que acontece? Candidato não aparece e não se justifica, ou quando se justifica, diz que não era bem o que queria. Mas será que ele tomou essa decisão na hora da entrevista? A consideração e respeito pela pessoa que está esperando é fundamental, é básico!
  • Compromisso e interesse são exigências do mercado de trabalho que deveriam ser tão básicas, mas que acabam não sendo. É necessário ler muito bem todos os requisitos de uma vaga antes de se candidatar. As empresas recebem muitos currículos para análise e, no final, pouquíssimos se encaixam, pois muitas vezes não há nenhuma ligação com a vaga ofertada. A leitura e análise das informações são cruciais para a assertividade do processo e otimização de tempo.
(Foto: Reprodução)

As dores de cada dia

Após o processo de entrevistas, logo vem a aprovação do candidato e, em alguns casos, também as grandes “dores” das empresas, que estão relacionadas ao comportamento e posicionamento do profissional no dia a dia. As “dores” mais recorrentes são:

  • Falta o “espírito” de dono – fazer o melhor como se a empresa fosse sua;
  • Falta de iniciativa para inovação;
  • Falta de vontade;
  • Falta brilho nos olhos;
  • Falta de atenção e interesse;
  • Falta aprendizagem contínua (lifelong learning);
  • Falta trabalho em equipe;
  • Falta de disciplina e resistência para seguir hierarquia;
  • Excesso de marketing pessoal > fala muito age pouco;
  • Quer o emprego, não o trabalho.

Em todo esse contexto podemos observar que ambas as partes perdem muito com esses pontos citados, e na minha opinião, esse match entre vaga e candidato vai além de tantas análises profundas e testes – é uma questão de sorte, sinergia e ética.

Um abraço e até a próxima!


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui