A Solutudo e o Descubra Botucatu separaram 8 atividades radicais pra você embarcar na aventura!

Ciclismo

Temos várias estradas rurais onde o ciclismo pode ser feito, é comum no início da manhã ver a turma do pedal se aventurando pela nossa região. Uma dica é iniciar as atividades aos poucos, seja generoso com o corpo, principalmente quem está iniciando na atividade.

“Minha experiência começou em função do meu pai! A paixão dele pelo ciclismo foi a minha porta de entrada. Depois fui gostando de viver essa experiência junto com ele. Hoje é uma atividade física, mas que também é um pouco de terapia que não me imagino sem!”


-Karina Santos, praticante de Mountain Bike na Cuesta

Fotos: Fernando Yoshida

Caminhada

Seja na cidade ou na área rural, é comum ver pessoas caminhando, uns mais lentos, outros mais rápidos, alguns sozinhos, outros em grupos, mas todos com o mesmo objetivo: lazer, e melhoria da saúde física e mental.

“Trilhar, caminhar ao livre é um remédio para alma, é se sentir viva! Lógico que minha preferência é estar junto a Cuesta, mesmo em trajetos já conhecidos por mim, porém, garanto que cada caminhada proporciona olhares e vivências ímpares. Quando não posso, não dispenso as caminhadas urbanas, andar pela cidade revela “a poesia” da arquitetura urbana que a correria do dia a dia esconde, super recomendo!”

– Patrícia Shimabuku, uma caminhante apaixonada pela Cuesta

Fotos: Patrícia Shimabuku

Corrida

A Cuesta oferece locais com belas paisagens e trajetos inesquecíveis para uma boa corrida, na região é comum ver moradores praticando e pessoas de fora que visitam para reconhecer os trajetos que são feitos em diversas provas ao longo do ano. Se você deseja praticar corrida na Cuesta procure a Elite da Cuesta

“Pratico está atividade aqui na cuesta de Botucatu, realizando o que gosto e apreciando a bela natureza que ainda se preserva em nossa região.”

– Walter Contessotti Junior – Fotógrafo esportivo, Atleta de corrida de montanha, com mais de 10 anos em corridas e mais de 10.000 km em trilhas, percorridos na Cuesta de Botucatu.

Fotos: Walter Contessotti Jr

Slackline

A modalidade básica é o slackline, que consiste em uma fita especial, ancorada em dois pontos fixos, com o objetivo de atravessar a linha de um ponto ao outro, fortalecendo músculos, criando uma consciência corporal e trabalhando também com a concentração. Da modalidade derivam-se outras como o highline, onde é praticado o slackline em alturas superiores a 30 metros, waterline que consiste na prática sobre a água, trickline modalidade acrobática que tem como objetivo realização de “saltos” e manobras. Aos interessado em conhecer melhor sobre slackline, procure o grupo Cuesta Slackline

“Sou atleta de highline e conheci o slackline em 2012 através de amigos. Confesso que no primeiro contato cheguei a pensar que não seria um esporte para mim, devido as inúmeras dificuldades que você se depara subindo na fita nas primeiras vezes. Porém justamente esse desafio que culminou na minha motivação, me tornando um apaixonado pelo esporte. O slackline me ensinou e ainda ensina muito e trouxe ferramentas nas quais considero fundamentais para meu “bem estar” na vida em geral, como a resiliência de saber que independente das quedas, a força de vontade para retomar e voltar a caminhar é imprescindível.”

-Gabriel Diniz, atleta de highline

Foto: Kaue Fernandes

Rapel

É uma técnica vertical que utiliza cordas e equipamentos adequados para a descida de paredões, cachoeiras, pontes, vãos livres e edificações. Não é necessário experiência, o instrutor explica tudo no momento da atividade. A Cuesta favorece esse tipo de atividade, saiba mais sobre a programação pelo Descubra Botucatu

“Eu comecei a praticar rapel em busca de adrenalina, ele nos traz uma sensação de liberdade, de superação dos nossos medos e nossos limites. Eu acredito que isso ajude até mesmo na vida, de superar os desafios que nos deparamos.” 

-Mirella F. Abreu

Fotos: Berakah Turismo

Escalada

É um esporte tão antigo quanto a vontade do ser humano de subir em lugares altos. Ele consiste na ascensão de montanhas por escaladas, caminhadas, trilhas e métodos diversos.

A escalada em rocha consiste na subida de paredões de pedra, utilizando apenas seus braços e pernas e alguns equipamentos de segurança.

“O desafio de superar medos e limites, somados a sensação de liberdade e conquista são alguns dos motivos pelos quais eu pratico e amo esse esporte. A escalada não é pra muitos, mas os que se aventuram a entrar nesse esporte e experimentam a sensação de conquistar e subir um paredão usando nada além das suas mãos e pés, dificilmente querem voltar para baixo.”

– Rodrigo Teixeira, desde 1996 pratica escalada no paredão da Pedra do Índio e outros locais da Cuesta

Fotos: Daniel Barriquelo

Bicicross

BMX ou bicicross é um esporte praticado com bicicletas especiais, uma espécie de corrida em pistas de terra. Para alguns é um esporte e para outros um estilo de vida, é caracterizado pelas manobras que vão desde as simples às arriscadas, e sempre onde é praticado chama a atenção do público por ainda ser um esporte novo e pelo belo visual conferido pelas manobras e pela emoção sentida pelo público a cada manobra arriscada. Ficou interessado em conhecer esse mundo? Procure o grupo dos Anonymous Trail

“Eu pratico bmx freestyle desde 2003, através do bmx fiz muitos amigos e conheci vários lugares, é um esporte que me dediquei bastante desde sempre, Além da parte esportiva, levo o bmx como um estilo de vida, acompanhando as tendências globais. Aqui em Botucatu, temos uma pista conhecida mundialmente, onde treino e contribuo para manter o local desde 2003, é uma ótima maneira para se aprender respeito ao próximo e cooperatividade. Hoje tenho o esporte como uma rotina, já faz parte da minha vida e quero praticar e estar ligado ao esporte para sempre!”

-Felipe R. Pereira, praticante de BMX Freestyle

Fotos: @jqcampos_15

Parapente

O voo de parapente é considerado uma modalidade de esporte radical e de alto risco, praticado em todo o mundo e fortemente dependente das condições meteorológicas e geográficas locais. Em Botucatu ele ocorre na Base da Nuvem, que oferece cursos para pessoas que desejam se tornar pilotos e existe a possibilidade de fazer um voo duplo e apreciar a nossa paisagem lá de cima. Para voos de parapente, informe-se na Base da Nuvem

“Voar era meu sonho desde criança, comecei a voar apenas quando eu completei 66 anos e tenho feito isso desde então.”

-José Carlos Basseto, 73 anos de pura adrenalina nos céus da Cuesta

Fotos: Descubra Botucatu

Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você tem uma sugestão e quer ver ela ela aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br.

5/5 - (2 votes)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui