Uma linda e longa jornada

Ele tem 66 anos e trabalha como pipoqueiro na Praça do Bosque, mas para chegar até aqui foi uma longa caminhada! 💜

Claudinei Sanches trabalhava na área administrativa de parques de diversões. Morava na cidade de Itapetininga com sua esposa, mas foi surpreendido com a descoberta de um câncer no intestino.

Vencendo desafios

Para fazer sua quimioterapia, Claudinei iniciou seu tratamento na Unesp de Botucatu em 2011, e passou então a morar na terra dos bons ares. Após vencer o câncer, passou a vender pipoca na frente do camelódromo, fazendo sucesso com sua pipoca colorida!

Padoka e Praça do Bosque

Anos depois, abriu a venda de cachorro-quente com um carrinho na parte de cima da Praça do Bosque, conquistando sucesso mais uma vez, porém, quando descobriu uma pneumonia, passou o carrinho para seu genro e abriu então uma padaria, chamada de Padoka, localizada na Cohab II.

Em 2020, seu genro sofreu um acidente de moto. Sua esposa, a filha de Claudinei, passou a cuidar do carrinho. Para fazer companhia pra filha e por gostar muito do movimento da rua, ele passou a vender pipocas na mesma praça.

Alegria no que faz

Hoje, Claudinei se diz muito feliz no que faz e adora acompanhar a correria e movimento da Praça do Bosque e da Rua Amando, e dá um conselho:

“Se você se dedica e faz o que você gosta, você vai estar sempre na ponta, com o sucesso e prosperidade andando ao seu lado.” 😊

Fotos: Solutudo / Nathan Corte

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui