A nossa cidade é reconhecida por muitas coisas Brasil afora. Além do famoso sanduíche, Bauru também famosa por ser, entre outras coisas, a capital nacional do voo a vela e terra natal de gente importante, como o astronauta e ministro Marcos Pontes e o ator Edson Celulari.

Uma outra faceta bauruense é a quantidade de histórias pra lá de malucas que aconteceram nessas terras. Confira a seguir algumas delas!

Tim Maia e o Baurets

O Síndico veio a Bauru fazer um show e saiu da cidade com uma nova gíria que tomou conta do vocabulário dos jovens da época. Duranta a apresentação, Tim Maia ficou na vontade de fumar um cigarro de maconha, parou tudo e fez um pedido inusitado à plateia: “quem aí tem um bauruzinho, um baurets?”. A gíria ficou tão popular que chegou até a batizar um álbum da banda Mutantes.

Tim Maia e a capa que eternizou a expressão criada em Bauru. (Montagem: Reprodução)
Tim Maia e a capa que eternizou a expressão criada em Bauru. (Montagem: Reprodução)


Cazuza e a Garota de Bauru

Além de dar nome ao álbum, nossa cidade já serviu de inspiração para músicas. Depois de fazer um show em Bauru, Cazuza compôs uma canção chamada “A Garota de Bauru”, que fez muito sucesso durante os anos 1980. Acontece que a música não repercutiu muito bem na cidade por causa da letra, que falava de uma menina em tom um tanto depreciativo.

Muita gente em Bauru não gostou muito com a forma que Cazuza retratou a garota da cidade na cação. (Foto: reprodução)
Muita gente em Bauru não gostou muito com a forma que Cazuza retratou a garota da cidade na canção. (Foto: reprodução)

O abaixo-assinado para tirar a estátua da Havan

Talvez você se lembre dessa história. Quando a loja da Havan chegou na cidade, trouxe também a tradicional réplica verde da estátua da liberdade. Acontece que muita gente não gostou da obra, que foi considerada de mal gosto. A insatisfação foi tamanha que rolou até um abaixo assinado para que ela fosse removida.

A "revolta" dos moradores de Bauru chamou a atenção da mídia em todo o país. (Foto: Folha de São Paulo)
A “revolta” dos moradores de Bauru chamou a atenção da mídia em todo o país. (Foto: Folha de São Paulo)

O roubo do Bauruzinho

Até 2010, a estátua do sanduíche que leva o nome da cidade ficava no parque Vitória Régia. Antes dela ser transferida para a Rodoviária, o seu atual lar, ela passou por uma história pitoresca: um grupo de estudantes a roubaram para enfeitar a república onde moravam. Claro que a polícia descobriu e, além de irem presos, foram obrigados a levar o mascote da cidade até a delegacia.

A história teve um final feliz para os moradores de Bauru. Já para os estudantes... (Foto: Youtube)
A história teve um final feliz para os moradores de Bauru. Já para esses estudantes… (Foto: Youtube)

O noivo pelado

Essa permanece um mistério. Por algum motivo desconhecido, um noivo teve um acesso de fúria, tirou toda a roupa e saiu correndo da igreja onde estava acontecendo o seu próprio casamento em direção às ruas da cidade. Ninguém entendeu nada, nem a gente.

Dizem que é normal ficar um pouco nervoso antes do casamento. Em Bauru, no entanto, isso acontece de uma forma bem mais intensa. (Foto: Uol)
Dizem que é normal ficar um pouco nervoso antes do casamento. Em Bauru, no entanto, isso acontece de uma forma bem mais intensa. (Foto: Uol)

Nações em chamas!

No dia 13 de agosto de 1976, uma sexta-feira, a avenida mais famosa da cidade literalmente “foi para os ares”. Um grande explosão no subsolo destruiu várias quadras das Nações e pegou todo mundo de surpresa.

A história fica ainda mais intrigante pelo fato de que, minutos antes, o então presidente do Brasil, o general Ernesto Geisel, havia passado pela via em visita a cidade. Os boatos falavam em um atentado terrorista, mas em pouco tempo a história foi explicada: um caminhão carregado com 20 mil litros de combustível tombou na alameda Octávio Pinheiro Brizola. O líquido inflamável vazou e foi até a avenida pela tubulação, resultando nas enormes explosões.

Imagine o susto que os moradores de Bauru levaram nessa sexta-feira 13! (Montagem: Reprodução)
Imagine o susto que os moradores de Bauru levaram nessa sexta-feira 13! (Montagem: Reprodução)

Nasi e o anel perdido (e recuperado!)

O cantor veio se apresentar na cidade com a sua banda, o Ira!, e acabou perdendo um anel em formato de coruja. Até aí tudo bem, pessoas perdem coisas mesmo. Acontece que, dias depois, o músico anunciou na internet que havia perdido o dito cujo do anel e que o queria de volta. Rolou toda uma mobilização em Bauru e não é que encontraram esse anel, para o alívio do Nasi?

Para nossa alegria e a alegria do Nasi, o anel foi encontrado e devolvido! (Foto: Jornal da Cidade de Bauru)
Para nossa alegria e a alegria do Nasi, o anel foi encontrado e devolvido! (Foto: Jornal da Cidade de Bauru)

Che Guevara em Bauru?

Essa rende discussões acaloradas até hoje. Segundo a história, o guerrilheiro argentino teria passado por Bauru em 1966, vindo de São Paulo. Se hospedou por uma noite no Hotel Cariani, em frente à estação ferroviária e, no dia seguinte, pegou um trem em direção à Bolívia. Aliás, falando nessa história, existem até uma fotografia da nossa estação em um museu cubano que homenageia Che Guevara.

Muita gente discute se o argentino esteve ou não em Bauru. (Foto: reprodução)
Muita gente discute se o argentino esteve ou não em Bauru. (Foto: reprodução)

E então? Gostou das histórias? Conhecia algumas? Sabe de outras boas histórias para contarmos aqui? Conta pra gente!

LEIA TAMBÉM:


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você conhece alguma história bacana de Bauru e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui