O futebol, como todos já sabemos, é a grande paixão nacional e tem um espaço garantido no coração dos brasileiros. Os torcedores vestem literalmente a camisa, investem tempo, dinheiro e, como diria Galvão Bueno, um dos mais importantes narradores de partidas do Brasil, “haja coração” para tanta emoção que o esporte traz. Porém, quando falamos no futebol, o que nos vem à cabeça geralmente é a Seleção Brasileira, ou os principais times do país, e ainda quem sabe, os times europeus. No entanto, para comemorar esse dia, vamos voltar às nossas raízes e conhecer um pouco do que a nossa cidade tem a oferecer.

O Dia Nacional do Futebol é comemorado no dia 19 de julho, data escolhida pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) em 1976. O objetivo era homenagear o Sport Clube Rio Grande, primeiro clube de futebol do Brasil, fundado nessa data, no ano de 1900. Hoje, trata-se de um dia para relembrar todas as conquistas que o futebol masculino e feminino vem alcançando durante os anos.

Aqui em Atibaia, futebol é quase um sinônimo de Sport Clube Atibaia, time da cidade que vem surpreendendo atibaienses e adversários na qualidade do futebol que o clube vem aperfeiçoando ao longo dos seus quatorze anos de existência – ؅um time extremamente jovem para os padrões brasileiros.

Time do Sport Club Atibaia em 2017 na estreia contra o Grêmio Osasco (foto: Fabio Giannelli/Soccer Digital)

O Atibaia nasceu em 2005 com objetivo de trazer novamente o prestígio perdido pelos times já existente nas cidade: o São João Futebol Clube se transformou em um clube social (São João Tênis Clube), o Grêmio Esportivo Atibaiense está licenciado desde 1990 e o Boa Vista Futebol Clube foi extinto. Apesar do talento, a chegada da série A3 no entanto não foi fácil. Em 2013 disputou pela primeira vez a Copa São Paulo de Futebol Júnior, mas perdeu para o Cruzeiro nas oitavas de final. Em 2014 o time não foi nada bem, e não chegou nem a segunda fase do campeonato.

No mesmo ano no entanto, a equipe profissional conseguiu uma conquista inédita para o clube no Campeonato Paulista. A partir daí, o time já havia pegado o jeito, e no ano seguinte eles chegaram a série A2. Porém problemas estruturais no Estádio Municipal Salvador Russani impediram o Atibaia de avançar na competição: o estádio não atendia às exigências da Federação Paulista de Futebol e o time foi rebaixado.

Para garantir que a situação não voltasse a acontecer, em 19 de junho de 2018 o projeto de lei para a construção do novo estádio municipal foi sancionada pelo prefeito Saulo Pedroso. Segundo o projeto, o novo estádio vai atender às exigências da Federação e vai garantir que o Atibaia continue evoluindo.

Nova Arena Atibaia — Foto: Divulgação / THS Oliveira Empreendimentos

Também conhecido como uma “fábrica de revelar jogadores”, hoje grandes clubes do futebol brasileiro ficam de olho no que o time do interior paulista tem a oferecer. Um exemplo é o atacante Robinho que foi emprestado ao Figueirense em 2017 e hoje atua pelo São Paulo. Porém muitos outros times já se alimentaram da fonte do Atibaia, como o Paraná que também foi destino do zagueiro Márcio. Além disso, segundo o Correio do Povo, em junho o clube anunciou a contratação de seis jogadores de base pelo time profissional do Inter: Os laterais Heitor e Erik, o zagueiro Bruno Fuchs, os meias Zé Aldo e Zé Gabriel e o goleiro Carlos Miguel.

Muricy Ramalho

Em 1988 quem imaginaria que Muricy Ramalho se tornaria um dos técnicos de maior prestígio no país? Pois é, nem ele mesmo. Segundo o mesmo em entrevista a Vanguarda, sua passagem pelo Grêmio Esportivo Atibaiense foi breve, numa época em que o clube ainda tentava se profissionalizar: estava voltando de sua passagem pelo Puebla no México e aceitou defender o time amador.

Mal sabia ele que a lesão no joelho o tiraria dos gramados e o tornaria um técnico improvisado do lado de fora do campo. Mesmo “quebrando um galho” como ele mesmo diz, essa foi a primeira experiência de Muricy como treinador, e talvez o tenha inspirado a se tornar um dos maiores técnicos do do Brasil.

Muricy conquistou títulos paulistas e uma Libertadores ao lado de Neymar no Santos (Foto: Marcelo Hazan)

Letícia Santos

Não apenas de homens vive o futebol brasileiro. Letícia Santos, atibaiense de 24 anos foi uma das vinte e três convocadas por Vadão, técnico da Seleção Brasileira feminina de futebol para disputar a Copa do Mundo na França desse ano. Apesar da derrota para as donas da casa nas oitavas de final, o grande sonho da atibaiense continua sendo a conquista da Copa do Mundo.

Letícia já havia vestido a camisa do Brasil antes, quando disputou o sub 20, conquistando o campeonato Americano no Uruguai em 2014. Em 2017 já havia tido seu primeiro contato com a seleção que conhecemos hoje, quando foi convocada pelo técnico para cobrir Fabiana do Barcelona, que havia sofrido um entorse no joelho direito. Hoje, a lateral-direita atua no Sportclub Sand da Alemanha onde disputa a divisão principal do campeonato Alemão, e luta por igualdade e respeito na modalidade entre homens e mulheres.

Letícia decidiu ser jogadora aos 12 anos assistindo a Seleção feminina ficar com vice campeonato na China (Foto:Naomi Baker/FIFA)

Aproveite e conheça também a história do Mario Casimiro, atibaiano e estudante de jornalismo, que tem como paixão colecionar camisas de times. São mais de duas mil peças que vão desde as das seleções mundiais a diversos clubes do Brasil, Argentina e Uruguai. Clique aqui para conferir.


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você conhece alguma história bacana da sua cidade e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: atibaia@solutudo.com.br

Avalie este conteúdo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui