Hoje iremos conhecer a história de superação de Alexandre Honorato dos Santos, 45 anos, nasceu em Pão de Açúcar – Alagoas, assisense de coração desde 1988.

Alexandre Honorato

Alexandre se mudou para Assis com seus pais, Dona Luzinete  e Seo lorinando (ambos In memoriam) aos 12 anos, sua mãe teve uma gestação pós-termo (aquele famoso “passou da hora”), faltando oxigênio no cérebro e não bastando toda essa dificuldade ele ainda estava com o cordão umbilical preso ao seu pescoço, causando assim paralisia temporária na parte inferior de seu corpo.

A reviravolta do bem em sua vida

Por volta do ano de 1992, Alexandre aos 15 anos ainda tinha dificuldade em andar, e em uma brincadeira entre os amigos começou a jogar futebol sentado, puxando o corpo pelos braços, e nessa brincadeira viu seu corpo se desenvolvendo e criando resistência foi ali que viu que haveria a possibilidade de andar.

Arquivo pessoal

O Início nos esportes

Alexandre iniciou nos esportes em 2004 no Futsal da Vila Eldorado com o treinador Marquinhos Rauseo, seu treinador na época.

Um pouco antes de se dedicar totalmente aos esportes adaptados, ele representou Assis, nos jogos de Dama juntamente com o Aroldo e Nadinho que representam a cidade até hoje.

“Antigamente existia muito preconceito com pessoas de Deficiência física”, diz Alexandre

Sua determinação e coragem de enfrentar todas as barreiras o levou longe, se tornando atleta paraolímpico oficial pela Secretaria Municipal de Esportes de Assis, nas modalidades de lançamento de disco, dardo e peso lançador.

Em 2010 participou de sua primeira disputa representando a cidade de Assis, juntamente com Everton, nos jogos Regionais e trouxe a medalha de ouro.

Arquivo pessoal

Colecionador de mais de 70 medalhas, ele diz com maior orgulho, que as suas preferidas são as paraolímpicas, que conquistou nos jogos Regionais e jogos Abertos.

Sua última competição oficial foi em 2018, representando a cidade de Assis em Marilia/União Bauru, onde ficou em 4º lugar.

Alexandre com toda essa bagagem nos esportes adaptado foi estagiário na ADPM – Escolinha de Futebol de São Caetano para os atletas sub15 e sub17. Foi seu último projeto com o Fernandinho, seu treinador na ocasião.

Arquivo pessoal
Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

Fez Fisioterapia durante 10 anos com Cassia, coordenadora da Unip. A qual ele diz se sentir muito agradecido.

“A Cassia foi muito importante nessa minha recuperação e no meu desenvolvimento, devo muito a ela e sinto saudades também”, diz Alexandre

Arquivo pessoal

Ao longo desse período, Alexandre com todo aprendizado adquirido e superação nos esportes adaptados, foi convidado para palestra na escola João Mendes algumas vezes, com o tema sobre sua trajetória de vida nos esportes.

Arquivo pessoal

Desde que sua mãe faleceu em 2004, Alexandre mora sozinho, diz que tem muito apoio da família e dos amigos.

“O melhor remédio para o preconceito das pessoas e da sociedade é o meu sorriso sincero, estar com meus amigos ao meu lado, eu sei que incomodo muita gente com meu jeito de ser e de agir, mas só quero ir atrás das minhas coisas, eu só faço minha parte, corro atrás dos meus objetivos”, confessa Alexandre.

Alexandre diz que Assis é considerado por ele sua cidade natal, pois foi aqui que ele nasceu para os esportes.

“Assis é tudo para mim, é a cidade que nasci para os esportes”, diz Ale, em meio a um sorrisão.

Arquivo pessoal

No início da pandemia Alexandre resolveu desenvolver seu intelecto e escrever sua biografia, toda sua história de vida e nos esportes adaptado.

“No início da pandemia decidi fazer minha biografia, escrever a história da minha vida, “meu livro já tem até título”, diz ele todo empolgado, “mas foi passando os dias e agora estou com preguiça”, diz em meio a gargalhadas.

Gargalhadas essa que por um instante se foi, ao me revelar o título que deu ao seu primeiro livro: “Sonho de mãe”.

Alexandre me olhou nos olhos e me perguntou: “Você sabe qual é o sonho de uma mãe”?

Acanhada, respondi: “Ver seu filho realizando seus sonhos”.

Neste momento a emoção tomou conta de todo o ambiente que estávamos, não me contive, em ver aquele homem tão forte, tão sonhador, tão determinado se desmanchando na minha frente.

Percebi que onde existia toda aquela fortaleza, existia também um homem frágil, que se desarmou naquele momento.

Entre as lágrimas Alexandre diz, “Minha mãe enfrentou tantas barreiras para eu estar aqui, pelos preconceitos”.

Arquivo pessoal

Sonho para o futuro

Alexandre é um sonhador, de conversa descontraída e amável, tem um amor gigantesco pelo esporte e pelas pessoas que ao longo de sua caminhada estiveram caminhando ao seu lado.

São tantos nomes que foram citados, que não conseguiria mencionar todos eles aqui, mas estejam certos, de que vocês que estiveram ao lado desse campeão, saiba que a gratidão dele será eterna.

Alexandre confessa que seu maior desejo é poder treinar um time nos esportes adaptados, representando a cidade de Assis, sua cidade e deixa um recadinho para os novatos nos esportes e para todos os jovens de Assis.

“Não tenha medo do futuro, prove que você é capaz, supere os obstáculos da vida”

Alexandre Honorato, foi um prazer enorme te conhecer e poder contar a sua história.

Fico imensamente feliz em poder te chamar de amigo, pois foi o que nos tornamos. 💜

Você já conhecia a história de vida desse campeão? Me conte aqui, adoraria saber!

Aproveite e siga a Solutudo nas redes sociais:

CLIQUE AQUI PARA O FACEBOOK!

CLIQUE AQUI PARA O INSTAGRAM!


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você conhece alguma história bacana da cidade de Assis e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: [email protected] ou pelo WhatsApp!

Leia também:

Professora de Educação Física de Assis já ajudou dezenas de paratletas da região

A brilhante trajetória de Buda, o camelô mais antigo de Assis: “Foi o momento mais feliz que vivi”

Venceu! Professora que precisou largar as aulas agora faz sucesso com brechó em Assis

4.7/5 - (3 votes)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui