Nessas últimas semanas, as histórias das dançarinas araçatubenses Beatriz Nunes, de 21 anos, e Graziela Medeiros, de 18, estão ligadas pelo mesmo propósito: arrecadar dinheiro para participar de festivais.

A estudante de Letras Beatriz competirá no 10º Festival Nacional de Dança Expressão e Arte – 2ª Edição 2019, nos dias 14 e 15 de setembro, no Rio de Janeiro (RJ). A bailarina Graziela embarcará, junto com o grupo Superação, do Espaço de Dança Superação – Brenno Fabris, para a cidade Posadas Missiones, na Argentina, onde disputará no Concurso Internacional na Argentina (CILD), entre 11 e 15 de setembro. A classificação ocorreu após a equipe ganhar as competições Promodança e Dançar a Vida 2019.

Apoio da família e dos amigos

Segundo Graziela, a ideia de arrecadar dinheiro surgiu entre os colegas de trabalho da mãe dela, a copeira Hilma Rodrigues, 53 anos. Com a ajuda dos pais e amigos próximos, a jovem vende marmitas com feijoada por R$ 20,00 e organiza rifas para custear as despesas da viagem. A bailarina não tem certeza da quantia exata de dinheiro que precisa conseguir. “Para mim, é especial demais saber que tenho pessoas maravilhosas ao meu lado e que me ajudam dessa forma.”

Da terra do Boi Gordo à cidade do Cristo Redentor

Criada em uma família simples, Beatriz, que competirá na modalidade Street Dance, com a performance “Tigresa”, decidiu arrecadar dinheiro por não ter condições para pagar a viagem. No último domingo (11), a dançarina realizou um bingo no Centro Cultural Casa Maré, em Araçatuba.

“Comecei pedindo parceria de espaços que já frequentava, como Oficina de Macacos, Casa Maré, Quintal Cultural e MNFST, para organizar o bingo. Depois apareceu ajuda até de quem eu não conhecia. Fiquei bastante surpresa. As redes sociais auxiliaram muito nesse processo”, explica Beatriz.

Com o bingo, Beatriz arrecadou R$ 1.489,00. Mas ainda faltam R$ 1.746,00 para a artista independente conseguir atingir a meta de R$ 3.235,00. O dinheiro será utilizado para bancar as despesas dela, do assistente de cabine (o diretor de teatro da “Cia 3 pontos”, Fernando Tavares) e da maquiadora (Aline Donato).

“O evento exige um acompanhante na cabine de som. Sem ele, sou desclassificada. Então chamei o Fernando. Como é meu amigo, ele vai me ajudar arcando com parte das despesas dele. Meu sonho é também conseguir levar a Aline, que é a criadora da maquiagem da Tigresa. Na pior das hipóteses, vou só com o Fernando e tento encontrar algum maquiador profissional por lá”, conta.

Amor pela dança desde a infância

A história da Graziela com a dança começou quando a bailarina ainda era criança, aos 9 anos, no Ballet Municipal de Araçatuba, que, hoje em dia, se chama Escola Municipal de Dança. O trabalho duro e amor pela arte rendeu a jovem, aos 13, uma bolsa na Academia de Dança Stella Maris.

“A dança é a minha vida. Atualmente, estou no Espaço de Dança Superação. O diretor da escola, Brenno, me ajuda demais. Eu abri mão da vaga na faculdade, do meu trabalho e das aulas que eu dava só para viver esse sonho. Eu procuro nem falar tanto sobre isso para as pessoas porque me questionam muito”, revela Graziela.

“A dança é a minha forma de existir no mundo”

Beatriz começou a dançar na igreja, onde aprendeu os primeiros passos, principalmente clássicos. Ao longo da adolescência, estudou em escolas de dança de Araçatuba com bolsa. Mas foi apenas em 2016, após ingressar na graduação de Letras da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), em Três Lagoas, que a jovem decidiu seguir a carreira como artista independente.

“A dança, e a arte no geral, é o que me faz viver, sobreviver. É o que me dá forças para continuar a caminhar e a sonhar com dias melhores. É uma forma de eu me expressar com o corpo o que não consigo dizer em palavras. É o modo como consigo ser eu mesma. É a minha forma de existir no mundo”, explica Beatriz.

Tigresa

De acordo com a Beatriz, a performance Tigresa, criada neste ano, envolve movimentos inspirados nos sinais de libras. Para a apresentação no Araçatuba Shopping, que acontece nesta quinta-feira (15), às 19h, e no festival no Rio de Janeiro, a dançarina prepara novidades ao público.

A-dançarina-Beatriz-Nunes-vestida-de-tigresa-para-a-performance-na-festa-da-MNFST
A dançarina Beatriz Nunes fantasiada de Tigresa para a performance na festa da MNFST, no início do ano. A maquiagem foi feita pela maquiadora araçatubense Aline Donato (Foto: Reprodução/Rede social)

“Ao invés de MNFST, estará escrito as iniciais CVV (Central de Valorização da Vida) e 188, que é o número do Atendimento de Prevenção ao Suicídio. Parte do público também vai receber um pequeno pergaminho, que deverá ser aberto ao final da apresentação, com a seguinte mensagem: ‘não se despeça. Você não está sozinho. Se for preciso, ligue 188’”, conta Beatriz.

Como ajudar

A bailarina Graziela continuará vendendo marmitas com feijoadas e rifas, que serão anunciadas nos perfis pessoais no Instagram e Facebook da jovem. Já a dançarina Beatriz pretende preparar uma mostra de dança e, no próximo domingo (18), estará na Feira de Mangaio, das 14h às 20h, vendendo bolo no pote e brigadeiro. Além disso, há uma “vaquinha” online, na qual as pessoas podem doar dinheiro diretamente.

E aí, vamos ajudar as artistas locais?


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você conhece alguma história bacana de Araçatuba e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: aracatuba@solutudo.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui