A vacinação contra o COVID-19 já teve início, e grande parte da população não vê a hora de chegar a sua vez; contudo, ainda podem surgir dúvidas sobre o que fazer após a imunização. Quais cuidados ainda devem ser tomados? Confira conosco!

Como funciona a vacina?

Ao receber a primeira dose da vacina, dentro de alguns dias nosso sistema imunológico começa a produzir células de defesa contra o SARS-COV 2, causador da doença. Porém, para as duas vacinas já disponíveis no Brasil, foi reconhecida a necessidade de uma dose de reforço, a 2ª dose, que auxilia o organismo a produzir um número maior de células que realiza a proteção contra a COVID-19.

  • Vacina de Oxford / AstraZeneca: reduz em 79% a proporção de casos sintomáticos; reduz em 100% os casos graves e que exigem hospitalização;
  • CoronaVac: reduz em 50,7% os novos registros de contaminação em uma população vacinada; reduz em 83,7% os casos leves que exigem algum cuidado médico.

A vacina, portanto, reduz o risco de desenvolvermos a doença e nos protege contra as formas mais graves – porém, até o momento não se sabe se o indivíduo vacinado pode se infectar e transmitir o vírus para outras pessoas. Por isso, todos os cuidados para evitar a proliferação do vírus devem ser mantidos.

É válido ressaltar que estes cuidados serão mantidos até que as Autoridades de Saúde se pronunciem; possivelmente, até que grande parte da população esteja vacinada ou até que a velocidade de propagação do vírus seja muito baixa.

Medidas de Proteção

Se você já tomou a vacina ou ainda está aguardando a sua vez, os cuidados que devem ser tomados para evitar a proliferação do vírus são os mesmos:

  • Manter o isolamento social;
  • Utilizar a máscara sempre que sair de casa;
  • Respeitar o distanciamento entre pessoas quando em convívio social;
  • Higienizar as mãos constantemente.

Quais reações podem surgir após a vacina?

Assim como qualquer outro tipo de vacina, a vacina da COVID-19 também pode provocar o aparecimento de alguns efeitos secundários, como:

  • Dor ou inchaço no local da injeção, cansaço, dores de cabeça e musculares, arrepios, dores articulares, febre (mais frequente após a 2ª dose), aumento de volume de gânglio linfático na axila do braço onde a vacina foi administrada, náuseas ou vômitos;
  • Podem também surgir pequenas manchas de cor rosada na pele (rash cutâneo).

Os sintomas geralmente são leves e tendem a desaparecer em poucos dias.

Reprodução/Freepik

Fontes: Rede D’Or São Luiz / G1 / Tua Saúde / Hospital da Luz


Confira essa e outras histórias da cidade no site da Solutudo!

Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você conhece alguma história bacana e quer que ela seja contada aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br

Avalie este conteúdo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome aqui